Receba mensagens em seu Email

terça-feira, 30 de junho de 2015

Apocalipse 3 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Lições de Vida  

Leitura Bíblica- Apocalipse 3
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

João, inspirado pelo Espírito Santo, utiliza dois capítulos inteiros para abordar mensagens às sete igrejas, as quais todo o Apocalipse foi inicialmente escrito (Apocalipse 1:11, 20; 22:16)

Apocalipse tem quase 200 referências à Igreja. Todas as conclusões das mensagens a cada uma das igrejas terminam assim: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas...” (plural). Como apresentei ontem, a mensagem das cartas pode ser aplicada...

1. ...a qualquer igreja local/congregação que se identifica com as características de uma das igrejas asiáticas;
2. ...a qualquer crente/cristão que esteja vivendo experiência pessoal parecida com características de uma das sete igrejas;
3. ...a qualquer geração de cristãos/crentes que se enquadra na mensagem de Cristo às igrejas;
4. ...aos sete períodos da história da igreja cristã – do apostólico à parousia de Cristo...

O terceiro capítulo do Apocalipse, bem como o segundo, apresenta primeiramente Jesus antes que Sua mensagem. Antes de dar o recado às Igrejas, João apresenta Cristo à igreja. Ele deve ser o primeiro na vida de cada cristão e na vida de cada igreja!

As três últimas mensagens:
• Sardes: Uma igreja com poucas pessoas puras em relação ao pecado; em geral seus membros professam ter vida, estando mortos espiritualmente. Portanto, deve arrepender-se, vigiar e aguardar Jesus para não ser pega de surpresa. Valerá a pena se seus membros ouvirem atentamente os conselhos divinos (vs. 1-6);
• Filadélfia: Uma igreja enfraquecida pelas circunstâncias, mas ainda perseverante na Palavra sem negar o nome de Cristo frente às pressões exacerbadas e perseguições desafiantes. Se conservar o pouco que tem, será vitoriosa em Cristo (vs. 3-7);
• Laodiceia: Uma igreja que deixou Jesus do lado de fora batendo à porta, desejando entrar. Está iludida em sua espiritualidade e ignora o triste diagnóstico divino. Sua mornidão causa náuseas em Deus. Falta relacionamento íntimo. Se seus membros, ao menos derem ouvidos aos conselhos de Cristo e aceitarem o que Ele oferece, subirão aos Céus para assentar-se no trono juntamente com Ele (vs. 14-22).

Em 2005 fiz minha Tese de Conclusão de Curso/TCC sobre o versículo 14, onde Jesus é o...
• Amém/confirmação/afirmação;
• Testemunha Fiel e Verdadeira;
• Princípio/Agente/Arche da criação de Deus.

É bom estudar. Estude você também e atente para aquilo que o Espírito diz às igrejas!
“Entre, Senhor! Reaviva-nos!”
Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos do Antigo e Novo Testamento você encontra em:

Apocalipse 3 Comentários de Clinton Wahlen

Reavivados por Sua Palavra

Leitura Bíblica   Apocalipse 3
Comentários  de  Clinton Wahlen

Em suas cartas às sete igrejas Jesus apresenta a história cristã e a nossa história. Cada carta aprofunda um pouco mais o assunto ajudando-nos assim a enxergarmos um pouco melhor. Desde os falsos apóstolos em Éfeso até a sinagoga de Satanás em Esmirna, os nicolaítas de Pérgamo e Jezebel em Tiatira (Ap 2:2, 9, 15, 20), os problemas se tornam progressivamente piores. É um quadro de declínio que culmina com a mais longa das sete cartas (Ap 2:18-29), que descreve a igreja sob o poder de uma mulher sedutora que leva o povo de Deus à idolatria e fornicação espiritual. Esta mulher reaparece mais tarde no livro como “Babilônia, a Grande, a mãe das prostituições” (Ap 17:5).

Felizmente, no momento em que chegamos ao capítulo 3, o quadro começa a melhorar. Jesus indica que há em Sardes alguns “que não contaminaram as suas vestes. Eles andarão comigo, vestidos de branco, pois são dignos.”(v. 4 NVI).

À igreja em Filadélfia, Jesus diz: “você tem pouca força, mas guardou a minha palavra e não negou o meu nome” e “guardou a minha palavra de exortação à perseverança” (vv. 8, 10).

Então, a mensagem à sétima e última igreja, a igreja de Laodicéia, vem como um choque, porque essa igreja parece não ter nenhuma qualidade. É a única igreja em que Jesus não encontra nada para elogiar.

Mas ainda existe esperança para Laodicéia. Jesus se recusa a desistir, porque Ele ama a Sua Igreja. Nós somos o objeto de Sua suprema atenção. Ele morreu por nós. Ele vive para nos beneficiar.  Jesus diz:  [Eu] “repreendo e disciplino aqueles que eu amo. Por isso, seja diligente e arrependa-se” (v. 19 NVI).

Não podemos desenvolver o arrependimento por outros – essa é uma questão pessoal. A mensagem a Laodicéia é dirigida a cada um de nós, individualmente. Jesus está batendo. Ele espera ardentemente Se reunir conosco para que possamos participar juntos da “ceia das bodas do Cordeiro” (Ap 3:20; 19:7-8).

Estamos dispostos a passar tempo com Jesus, desde agora? Estamos prontos a nos arrependermos da nossa frieza e nudez e nos vestirmos com Sua justiça e Seu amor? O mundo, quer estejamos cientes disso ou não, está esperando para saber como responderemos a essas perguntas.

Clinton Wahlen, PhD
Diretor Associado, Instituto de Pesquisa Bíblica
Estados Unidos



segunda-feira, 29 de junho de 2015

Apocalipse 2 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Lições de Vida  

Leitura Bíblica- Apocalipse 2
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Jesus está à frente de Sua igreja em todo momento. Seja nos momentos elogiáveis ou críticos. A mensagem primária deste livro é a “Revelação de Jesus Cristo” ao mundo após Sua entronização no Céu.

Cada uma das cartas escritas às sete igrejas da Ásia pode ser aplicada:

• Primeiro, a qualquer igreja local que se identifica com as características de uma das igrejas asiáticas;
• Segundo, a qualquer crente/cristão que esteja vivendo uma experiência pessoal parecida com as características de uma das igrejas;
• Terceiro, a qualquer geração de cristão que se enquadre na mensagem de Cristo às igrejas;
• Quarto, é possível ver sete períodos da história da igreja começando com Éfeso, período apostólico, terminando em Laodiceia, o tempo hodierno.

O capítulo em consideração apresenta Jesus lidando com as igrejas de:

1. Éfeso: Uma igreja operosa, paciente, intolerante a pecados, proclamadora da sã doutrina, perseverante apesar da oposição, odeia práticas contrárias à Bíblia como os seguidores de Nicolau. Contudo, deixaram o mais importante de tudo: O amor genuíno. A igreja precisa amar, senão não terá a luz, ilustrada no candelabro, para iluminar ao mundo (vs. 1-7);

2. Esmirna: Uma igreja perseguida, pobre, mas rica espiritualmente; enfrenta difamadores/acusadores/debochadores que pertencem a Satanás. Se, seus membros permanecerem fieis mesmo em face da morte, no fim recebetrão a coroa da vida, pois a segunda morte não os atingirá (vs. 8-11);

3. Pérgamo: Uma igreja de fieis, estão onde está o trono de Satanás. Seu pastor tornou-se mártir; ela é tolerante aos mestres avarentos/ambiciosos como foi Balaão e suporta os ensinos dos nicolaítas, que são anti-bíblicos. Se ela não arrepender-se, será punida por suas negligências. Caso se arrependa, há recompensas (vs. 12-17);

4. Tiatira: Uma igreja cujas obras, amor, fé e perseverança proliferaram; contudo, permite a influência de uma falsa profetiza Jezabel, símbolo da imoralidade e idolatria. Para não sofrer as terríveis consequências dos pecados e do afastamento da verdade deve arrepender-se. Caso se arrependa, receberá recompensas (vs. 18-29).

Em cada caso, Jesus vem antes da mensagem. Jesus é o Médico; Sua igreja, Sua paciente. Jesus quer curará-la/restaurá-la independente de como ela esteja e do tempo que ela esteja vivendo.

Desde o período apostólico Jesus está com Sua igreja, mas no tempo do fim Ele virá visivelmente a buscá-la!

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos do Antigo e Novo Testamento você encontra em:

Apocalipse 2 Comentários de Clinton Wahlen

Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica   Apocalipse 2
Comentários  de  Clinton Wahlen

Assim como a visão de João acerca de Cristo em Apocalipse 1 descreve Jesus com imagens  altamente simbólicas, cada carta às igrejas em Apocalipse 2 e 3 começa com alguns desses símbolos e, em seguida, passa a descrever também a Igreja de Cristo em termos simbólicos. Essa é uma das muitas pistas de que as sete igrejas da Ásia representam simbolicamente a Igreja ao longo da história. Outra dica é que essas não são cartas comuns. São muito importantes, pois vêm do próprio Jesus!

Na maioria das cartas (mas não em todas) Jesus encontra algo a elogiar naquela Igreja e é assim que Ele começa. Mas, como um médico fiel, Ele também diagnostica os males da Igreja em cada época e lhes dá uma receita que, se aceita, permitirá a cada membro da igreja não só recuperar a saúde espiritual, mas vencer o pecado e a morte.

O quadro geral apresentado em Apocalipse 2 é o de uma igreja sob ataque, de dentro e de fora. E o quadro piora antes de melhorar. A igreja de Éfeso, representando a era apostólica, é uma igreja fiel e ativa. Eles erradicam a apostasia e não se cansam de fazer o bem. A primeira igreja teve um sucesso evangelístico tão grande que Paulo pode dizer que o evangelho tinha sido “pregado a toda criatura debaixo do céu” (Col. 1:23). Mas, com o tempo, eles perderam o primeiro amor (Ap. 2:4). “Depois de algum tempo, porém, começou a minguar o zelo dos crentes, bem assim seu amor a Deus e de uns para com os outros” (White, Atos dos Apóstolos, 324).

Mesmo em nossa melhor fase, podemos estar tão preocupados com a obra do Senhor, que perdemos de vista o Senhor da obra. Esquecemo-nos de que o verdadeiro sucesso, na estimativa divina, só é possível quando olhamos para Jesus. Todos os dias precisamos de uma nova visão acerca de Cristo; precisamos ter o nosso amor por Ele renovado; precisamos da garantia de que começamos o dia em Sua força e com o senso de Sua presença. Então, nos lembraremos de que o nosso trabalho é na verdade o Seu trabalho e nossas vidas beneficiarão aqueles que nos rodeiam com a fragrância do Seu amor e graça.

Clinton Wahlen, PhD
Diretor Associado do Instituto de Pesquisa Bíblica
Estados Unidos



domingo, 28 de junho de 2015

Apocalipse 1 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Lições de Vida  

Leitura Bíblica- Apocalipse 1
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Este é a cereja do bolo dos livros bíblicos. Desafiador, mas, sobretudo, revelador. Apocalipse não quer dizer oculto/misterioso/perigoso, ou, catástrofe/guerra/ destruição. Apocalipse é uma palavra grega que quer dizer revelação.

O livro inteiro é uma revelação de Jesus Cristo. Seus 22 capítulos visam revelar Jesus, Seu poder, Suas ações e, principalmente, Sua vitória; revela tudo o que Jesus fará legal e judicialmente devido a Sua vitória na cruz.

Por isso, a primeira frase reza: “Revelação de Jesus Cristo”. O livro é cristão, evangélico; uma inspiração do Espírito Santo. João é seu escritor, mas seu Autor é Deus e tudo o que vem dEle é bom, relevante e importante.

Destacarei alguns pontos deste primeiro capítulo:

1. Sendo uma revelação de Cristo e Seu poder após vencer o diabo na cruz, o Apocalipse possui uma tríplice bem-aventurança destinada àqueles que o estudarem a fim de praticarem suas verdades (vs. 1-3). Bem-aventurados os que leem, ouvem e praticam... Muitos perdem tais bênçãos que produzem plena alegria/satisfação/felicidade... E você?

2. Há segredos expostos nesse livro que vão além do que revelam os evangelhos, consequentemente podemos dizer que o Apocalipse apresenta o evangelho depois dos evangelhos. Aqui há três títulos de Cristo que revelam três aspectos do evangelho: A Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos, o Soberano dos reis da Terra (vs. 4-6); devemos honrá-lO, glorifica-lO e exaltá-lO por nos amar, libertar e interceder por nós!

3. Deus é eterno, onipotente, Soberano, e virá juntamente com Jesus com toda glória a este mundo (vs. 7-9); eis a fonte de nossa real esperança!

4. O livro revela que ser cristão não significa ser blindado da aflição; pelo contrário, cristianismo suscita oposição. O fato de João ser atirado na isolada Ilha de Patmos ilustra esta fatídica verdade; porém, a Bíblia não oculta a realidade da vida cristã neste mundo de perversidades (vs. 9-12);

5. Apesar do sofrimento por causa da prática da Palavra de Deus, a vitória está garantida aos que dependem do poderoso e vitorioso Cristo. O ilustríssimo Cristo que ressurgiu dos mortos e ascendeu aos Céus impressiona com Sua presença, restaura aos que estão em Sua frente e, esclarece temas importantes quanto ao Seu poder (vs. 17-20).

Podemos contar com o auxílio de Cristo em nossas tribulações!

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos do Antigo e Novo Testamento você encontra em:

Apocalipse 1 Comentários de Clinton Wahlen

Reavivados por Sua Palavra

Leitura Bíblica   Apocalipse 1
Comentários  de  Clinton Wahlen

O livro do Apocalipse, como o primeiro versículo indica, é uma revelação recebida de Cristo e sobre Cristo, vinda de Deus Pai (cf. João 8:28; 17:8). Aqui, como em todo o livro, recebemos vislumbres do Pai e do Espírito Santo (Ap. 1:4), mas é o próprio Jesus Cristo quem toma o lugar central. Jesus é tão maravilhoso que João mal pode se conter. As imagens fluem de sua pena, uma após a outra.

Como a fiel testemunha (v. 5), Jesus é a Palavra viva, acuradamente revelando Deus e Sua vontade para nós (Ap. 19:13; cf. Jo. 1:1,18). Como o “primogênito” dentre os mortos, a Sua ressurreição é que torna possível a nossa ressurreição para a vida eterna (1 Cor. 15:17-23). Como o príncipe ou soberano dos reis da terra, Ele está no controle deste mundo. Ele nos ama. Ele nos lavou e nos purificou com Seu sangue através da Sua morte na cruz. Ele fez de nós um reino e comissionou cada um de nós, como sacerdotes, a ampliar Seu reino, proclamando as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (v 6; 1 Ped. 2:9). Acima de tudo, Ele está voltando em breve e “todo olho O verá” (Ap 1:7). Mas isso não é tudo.

A visão de João acerca de Cristo nesse capítulo é uma das mais marcantes em toda a Bíblia. Jesus está vestido como nosso Sumo Sacerdote, caminhando entre sete candeeiros – as sete igrejas da Ásia Menor (v. 20), que por sua vez representam a Sua Igreja em todos os lugares e em toda a história cristã (v. 19).

A mensagem é clara. Jesus não Se esqueceu de nós. Ele nos gravou nas palmas das Suas mãos (Is 49:16). Ele não Se esqueceu de Sua Igreja. Seus líderes – ministros cristãos que são aqui referidos como “anjos” ou mensageiros e representados pelas sete estrelas (ver Obreiros Evangélicos, 13) – estão em Sua mão. Cristo é a Cabeça da Igreja. E, como o livro de Apocalipse deixa bem claro, Ele nos guiará até o fim. Pelo fato dEle ter vencido, pela Sua graça venceremos também e reinaremos com Ele na Terra renovada (Ap 22:5).

Clinton Wahlen, PhD
Diretor Associado do Instituto de Pesquisa Bíblica
Estados Unidos



sábado, 27 de junho de 2015

Judas Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Lições de Vida  

Leitura Bíblica-Judas
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Este Judas era irmão de Tiago, ambos irmãos de Jesus por parte de José. Convertido posteriormente, Judas tornou-se cristão genuíno. Ao escrever esse livro inspirado pelo Espírito Santo, seu propósito primário era “lembrar aos cristãos seu dever de lutar pela verdade” analisa John MacArthur.

Destaco, antes de avançar, mais um detalhe observado por MacArthur: “Observe atentamente: nossa tarefa como embaixadores é levar as boas-novas às pessoas. Nossa missão como soldados é destruir ideias falsas”. Vamos à luta?

Judas tem muito a ensinar-nos, porém, dou ênfase nos seguintes pontos extraídos do texto:

1. Quando a situação exige, ao invés de pregar/escrever sobre doutrina é importante falar sobre a necessidade de lutar pela fé, defender a fé verdadeiramente bíblica. O cristão verdadeiro não deve acomodar-se frente à proliferação da religião falsa, não deve cruzar os braços quando a doutrina de Cristo está sendo deturpada e atacada (vs. 1-4);

2. Quando a falsificação espiritual está sendo difundida é preciso falar sobre suas reais consequências. Judas utiliza como exemplo os israelitas no deserto que foram destruídos porque não creram; anjos rebeldes (demônios) não estão isentos de punição e os habitantes de Sodoma e Gomorra são evidências que Deus executará Seu justo juízo sobre seres humanos e anjos maus (vs. 5-7);

3. Quando falsos mestres estão tentando levar para o inferno os candidatos ao Céu é preciso arregaçar as mangas e defendê-los. Os falsos mestres são surdos à verdade, são arrogantes, imorais, insubordinados, legalistas e ritualistas. Os falsos mestres não se submetem à Palavra de Deus, se queixam de tudo, estão sempre insatisfeitos. São interesseiros. Estes estão condenados, serão destruídos – o mal será eliminado e o bem sairá vitorioso (vs. 8-16);

4. Quando a verdade está sendo atacada e os filhos de Deus estão desorientados, é preciso incentivar o cultivo do crescimento espiritual, a oração inspirada pelo Espírito, a perseverança na esfera do amor divino, o anseio pela graça divina na consumação da vida eterna, o cuidado daqueles que têm dúvidas sinceras em relação à fé, a evangelização e o apartar pecadores de seus pecados (vs. 17-25).

O tempo do juízo final se aproxima. Confiar em Deus e crer em Suas promessas são importantes para que não desfaleçamos quando a pressão contra a verdade aumenta.

Vamos à luta?

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos do Antigo e Novo Testamento você encontra em:

Judas Comentários de Peter Landless

Reavivados por Sua Palavra


Leitura Bíblica   Judas
Comentários  de  Peter Landless

O capítulo de hoje vem com outra saudação surpreendente. O pastor Judas afirma claramente seu laço familiar com Tiago (seu irmão), mas humildemente refere-se a si mesmo como um “servo de Jesus Cristo” (v. 1 NVI). Muitos estudiosos acreditam que Judas foi um dos meio-irmãos de Jesus! Quão inspirador é testemunhar uma verdadeira liderança-serviço.

A parte realmente cativante da saudação é a descrição dos santos (você e eu): “aos que foram chamados, amados por Deus Pai e guardados por Jesus Cristo: Misericórdia, paz e amor lhes sejam multiplicados”(v. 1b-2 NVI). Ser capaz de cumprimentar com tal carinho extravagante e inclusão requer uma conexão viva com Jesus. A saudação de Judas resume a sua carta.

Com a preocupação e a paixão do coração do pastor amoroso, Judas, em seguida, adverte os leitores para os perigos daqueles que gostariam de tirar nossos olhos de Jesus e anular a Sua graça. A cautela inclui lembrar daqueles que foram libertos da escravidão do Egito, mas foram destruídos por causa de sua incredulidade. A exortação é ampliada com um lembrete das razões da destruição de Sodoma e Gomorra. Poderia isso acontecer conosco? Não deveríamos tomar cuidado para não cairmos? Caim, Balaão e Coré caíram – que garantia temos de que também não cairemos?

Graças ao Senhor, esperança e encorajamento emergem no convite a perseverar! Não desista, mesmo que hajam escarnecedores ao nosso redor. Espere pacientemente, edifique-se na fé, orando no Espírito Santo. Ousamos nós sair, neste ou qualquer outro dia, sem estas atitudes? E que em nossa caminhada – estejamos à procura de qualquer um que possa ser salvo, mesmo “… arrebatando-os do fogo” (v 23 NVI).

Para finalizar, vem a doxologia que coroa a saudação de abertura: A promessa de que Deus é capaz de nos impedir de cair, “… e para apresentá-los diante da sua gloriosa presença sem mácula e com grande alegria, ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todos os tempos, agora e para todo o sempre!” (vs. 24-25 NVI). Amém! A doxologia completa o círculo iniciado na saudação: Jesus é capaz de nos salvar, e o fará – se O permitirmos!

Peter Landless
Diretor mundial dos Ministérios de Saúde
Estados Unidos
Texto original: http://revivedbyhisword.org/en/bible/jud/1/

sexta-feira, 26 de junho de 2015

3 João Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Lições de Vida

Leitura Bíblica-3 João
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Saber proceder como cristão é desafiador quando nem todo cristão age de fato como cristão... Contudo, após examinar as três cartas de João será fácil decifrar como realmente é um cristão! Principalmente esta última!

Esta terceira carta oferece-nos dois excelentes exemplos, de um líder e de um membro da igreja; além desses, há também um péssimo exemplo revelando certos tipos de cristãos que não se devem seguir, mas cuidar com sua influência destrutiva.

O apóstolo João escreve a Gaio, um líder “cristão coerente”; fala sobre “Diótrofes, o contraditório e egocêntrico; e Demétrio, pessoa elogiável” (Jonathan Gallagher).

Hernandes Dias Lopes destaca Gaio como um homem abençoador (vs. 1-8); Diótrofes, um homem arrogante (vs. 9-10); e, Demétrio, um homem exemplar (vs. 11-15).

1. De Gaio aprendemos que o líder cristão deve ministrar com amor à igreja de Cristo. O líder espiritual deve ser amável, atencioso e bondoso; e, a alguém assim se deve desejar saúde e sucesso para que continue dando muito mais testemunho impactante da alegria de viver por Cristo;

2. De Diótrofes aprendemos o que o cristão verdadeiro não faz. Sim, tem cristãos falsos nas igrejas cristãs; eles existem para contaminar, arruinar e destruir a verdadeira religião. Eles aliam-se ao diabo, rejeitam autoridades instituídas por Cristo e ignoram verdades inspiradas. Atrapalham os planos evangelísticos. São orgulhosos. Rebeldes. Suas palavras revelam arrogância. São ditadores, cegos, surdos e frios. São egoístas! Afirmam serem cristãos, mas vivem como se não fossem.

3. De Demétrio aprendemos a ser cristão calmo e exemplar. Ela dá bom testemunho. Isso é evidente pelo que as pessoas de fora da igreja dizem, no que os líderes da igreja afirmam e na coerência com a verdade revelada na Bíblia.

Conquanto tenha de tudo na igreja, não devemos ser interesseiros, ambiciosos, dominadores e orgulhosos; mas sim caridosos, amorosos, humildes, atenciosos e fieis à verdade divina.

Na igreja tem gente boa e ruim. Tem quem presta e quem não presta. Embora a igreja seja um hospital de pecadores, nem todos tomam corretamente a medicação divina que resulta em libertação do pecado e em plena salvação.

João oferece-nos três exemplos de vida. A do líder coerente, a do crente exemplar e a do crente incoerente. Quais características você precisa abandonar, e, quais possuir?

Reavivemo-nos!
Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos do Antigo e Novo Testamento você encontra em:

3 João Comentários de Peter Landless

Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica   3 João
Comentários  de  Peter Landless
Através das horas de um determinado dia, temos a oportunidade de cumprimentar pessoas – família, amigos, colegas de trabalho, aqueles que nos auxiliam e, às vezes, até mesmo aqueles que nos incomodam. Como são os nossos cumprimentos? Calorosos ou vazios?

Eu amo a saudação na qual João saúda a seu amigo amado, Caio: “Amado, oro para que você tenha boa saúde e tudo lhe corra bem, assim como vai bem a sua alma” (v 2 NVI). Que saudação! Que bênção ele pronuncia! Alguns argumentam que essa era a maneira de João dizer: “Eu espero que você esteja bem e prosperando em todos os sentidos.” Do ponto de vista tendencioso de um médico que é apaixonado pela Mensagem de Saúde Adventista, a qual enfatiza a totalidade do corpo, mente e espírito, tomo coragem e também a permissão de enfatizar o modo como valorizamos o conceito de bem-estar holístico [NT: O ser humano como um todo].

Nós podemos ser completos, embora possamos estar fracos fisicamente – “plenitude no quebrantamento” – através da habitação do Espírito de Deus que transforma nossas vidas. Sim, é importante buscarmos a saúde total.

João elogia Gaio por sua fidelidade e carinho por todos, incluindo estranhos. De modo semelhante a II João, o apóstolo se preocupa e se alegra com seus “paroquianos” (ou convertidos), que continuam em seu relacionamento com Jesus. Esta inquietação pastoral é uma virtude que devemos imitar em nossos relacionamentos na família de fé, apoio, cuidado e partilha. Ao mesmo tempo, João adverte contra o comportamento de divisão de Diótrefes, prometendo tratar desse assunto em sua próxima visita (e isto não é apenas uma crítica, mas comentários sobre o que ele logo pretende colocar em prática!). Em seguida, ele nos encoraja a imitar aqueles que seguem a Jesus, o nosso exemplo divino, e, então cita Demétrio.

Assim como fez em sua carta anterior, João deixa muito por dizer, preferindo tratar algumas questões pessoalmente, em particular. Mas, eu suspeito que (como eu, pessoalmente, preferiria fazer), tratar do assunto com a congregação toda.

Que ao conversamos, enviarmos mensagens de texto, escrevermos, tuitarmos, e talvez até nos comunicarmos especialmente através de nossa linguagem corporal, possamos imitar o coração, a mente e as instruções de Jesus.

Ah, e que assim como João, possamos tornar nossos cumprimentos positivos, edificantes e memoráveis!

Peter Landless
Diretor mundial dos Ministérios de Saúde da IASD
Estados Unidos



quinta-feira, 25 de junho de 2015

2 João Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Lições de Vida  

Leitura Bíblica-2 João
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Com apenas 13 versículos esta cartinha não fica por baixo de nenhum escrito do Novo Testamento. O que, de tão importante, podemos aprender deste texto inspirado?

A Palavra de Deus não tem prazo de validade, nem caduca com o tempo, portanto, não perde seu poder – ela é atual e sempre revelará a verdade. Desta pequenina carta, Matthew Henry reuniu os seguintes tópicos: O apóstolo João...

1. ...saúda uma honrável matrona e seus filhos (vs. 1-4);
2. ...recomenda-lhes fé e amor (vs. 5-6);
3. ...adverte-os acerca dos enganadores (v. 7);
4. ...adverte a fim de que cuidem de si mesmos (v. 8);
5. ...ensina-os como tratar aqueles que não seguem a doutrina de Cristo (vs. 10-11);
6. ...após mencionar que esperava vê-los pessoalmente, concluiu sua cartinha (vs. 12-13).

Segundo esta missiva, o cristão verdadeiro não anda em falsidade ou causando confusão/conflito na sociedade, muito menos na igreja ou em casa; pelo contrário, ele é regido pela verdade e movido pelo amor verdadeiro outorgado por Deus.

A comunhão do cristão é com Deus e as pessoas, não com o pecado. Às vezes, será preciso colocar limites àqueles que querem induzir-nos ao pecado, ainda que venham com estratégias evangelísticas/missionárias – alias, os hereges também são evangelistas-disfarçados, mas seu alvo são os fieis objetivando desviá-los do caminho do Céu.

O erro doutrinário é resultado de falhas no relacionamento com Deus. Os falsos mestres querem que substituamos a verdade pela mentira, que despenquemos de uma espiritualidade saudável para uma espiritualidade questionável. Na dúvida, não ultrapasse; nem aceite!

“Há muitos charlatões de conversa suave pelo mundo afora [...]. Vamos chama-los pelos seus verdadeiros nomes. Enganadores! Anticristos! [...]. Quem vai longe demais, a ponto de ir além do ensino de Cristo, está se afastando de Deus, mas quem se apega a este ensino [dos apóstolos] permanece fiel ao Pai e ao Filho” (vs. 7-9).

• Devemos amar e orientar nossa vida pelo amor; entretanto, o amor que vem de Deus não tolera heresias, falsidades, erros e aberrações teológicas.
• Devemos amar, eis a essência da verdadeira religião; todavia, não devemos comprometer a verdade (a sã doutrina) em nome do amor.
• Devemos amar as pessoas, mas não ajudar a propagar aquilo que Deus não aprova. “Amar significa seguir os mandamentos” – afirmou João!

Reavivemo-nos!

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos do Antigo e Novo Testamento você encontra em:

II João Comentários de Peter Landless

Reavivados por Sua Palavra

Leitura Bíblica   II João 
Comentários  de Peter Landless

É encorajador e até mesmo emocionante reencontrar aqueles que um dia foram estranhos ao amor e à graça de Jesus e, desde que O encontraram, permaneceram fiéis. Isto é ainda mais significativo se fomos, de alguma forma, instrumentos em incentivar tal despertamento. João, “a quem Jesus amava” (Jo 13:23), expressa sua alegria ao encontrar esses seus “filhos na fé” ainda fiéis e mantendo relacionamento com Deus.

O apóstolo enfatiza o mandamento de Deus: “… que nos amemos uns aos outros” (v. 5 NVI). E, em seguida, define o amor como caminhar “em obediência aos Seus mandamentos … e Seu mandamento é que andemos em amor” (v.6 NVI). Nesta dupla ênfase, João não deixa dúvida de que Deus quer que nos amemos genuinamente.

Ele continua a dar conselhos muito diretos sobre não fazer companhia àqueles que não seguem a doutrina de Cristo, a ponto de nem mesmo recebê-los em nossa casa. Isto pode parecer extremo, à primeira vista. Não temos nós o dever de levar a mensagem da salvação a todos? Não devemos ser hospitaleiros a todos? Na verdade, João está aqui alertando contra o perigo da comunhão intencional com aqueles que desejam desestabilizar a nossa fé, crença e relacionamento com Jesus. Nos dias atuais esta é uma perigosa tendência, mesmo na família da fé.

Na sequência desta breve carta a uma congregação não identificada, João faz referência a “uma senhora escolhida por Deus” (v.1 NVI), e encerra com saudações a uma outra “irmã”, também não identificada, cujos “filhos … enviam saudações.” Mas ele escolhe deixar muito ainda a ser escrito, esperando pela oportunidade de “visitá-la e conversar com você face a face, para que a nossa alegria seja completa” (v. 12 NVI).

À medida que prosseguimos em nossas atividades diárias hoje, repletas de mensagens de texto, tweets, blogs e e-mails, esforcemo-nos em manter nossas conversas e comunicações centralizadas em Cristo e, assim, manter completa a nossa alegria.

Peter Landless
Diretor mundial dos Ministérios de Saúde da IASD
Estados Unidos



quarta-feira, 24 de junho de 2015

1 João 5 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Lições de Vida  
Leitura Bíblica-1 João 4
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Como diz uma frase: “Não adianta explicar quando o outro está decidido a não entender”. A este, quanto mais se lhe apresentar verdades, mais se firmará nas falsidades. Quando mais claro fica seu erro, mas se firma em sua opinião/ignorância.

Outra coisa: Tem gente que torna Deus um escravo, dizendo que pelo fato de Jesus ter morrido na cruz agora tem o dever de salvar a todos. Tertuliano, do primeiro século do cristianismo, escreveu:

“Há pessoas que agem como se Deus estivesse sob obrigação de brindar Seus dons àqueles que não são dignos deles. Convertem a generosidade de Deus numa escravatura...”. Assim parece que Deus é obrigado salvar perdidos sem dar-lhes escolhas de renderem-se a Ele. Tal deturpação de Deus e da salvação é absurda!

Vamos à Bíblia? João escreve esta carta aos que aceitaram a Cristo, inclusive Seus ensinamentos/doutrinas. Após revelar como avaliar àqueles que realmente se convertem a Cristo, João revela as certezas daqueles que se rendem totalmente a Cristo. João crê que há condenados e absolvidos.

Hernandes Dias Lopes destacou os seguintes pontos do último capítulo desta carta: Como crentes...

1. Temos a certeza de que pertencemos à família de Deus (vs. 1-5);
2. Temos a certeza de que Jesus Cristo é Deus (vs. 6-10);
3. Temos a certeza de que aqueles que creem em Cristo têm vida eterna (vs. 11-13);
4. Temos a certeza da resposta às nossas orações (vs. 14-15);
5. Temos a certeza de que Deus pode salvar pessoas da morte por intermédio das nossas orações (vs. 16-17);
6. Temos a certeza de que os crentes não vivem na prática do pecado (vs. 18-19);
7. Temos a certeza de que Jesus é o verdadeiro Deus (vs. 20-21).

Fé é certeza. Fé elimina dúvidas e promove certezas. Ao fazer cinco afirmações que começam com “Sabemos que...”, João menciona cinco áreas em que podemos ter plena confiança em Deus:

• Sabemos que a salvação é nossa;
• Sabemos que nossas orações são ouvidas;
• Sabemos que temos proteção;
• Sabemos que pertencemos a Deus;
• Sabemos que conhecemos Jesus.

Diante destas afirmações, “a única coisa que pode tirar nossa salvação são nossas próprias escolhas negativas” analisa o Dr. Ekkehardt Mueller.

Reavivemos nossa fé nas certezas que podemos ter neste mundo de incertezas!


Curta e compartilhe:

 “Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Comentários bíblicos do Antigo e Novo Testamento você encontra em:

I João 5 Comentários de George Knight

Reavivados por Sua Palavra

Leitura Bíblica   I João 5
Comentários  de  George Knight

Em 1 João 5 o apóstolo retoma muitos de seus temas favoritos ao apresentar seus argumentos finais contra os perturbadores mentirosos “sem pecado”. A primeira metade do capítulo levanta a questão da Trindade novamente tendo em vista a negação de que Jesus é o Cristo divino. As pessoas que negam a Jesus não têm a vida eterna, porque “essa vida está em Seu Filho. Quem tem o Filho, tem a vida; quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida” (5:11, 12). Uma das grandes tentações ao longo da história da igreja tem sido a de fazer de Jesus ou totalmente humano ou totalmente divino ao invés de aceitá-Lo como a pessoa absolutamente única que Ele é. É o fato de que Ele é ao mesmo tempo plenamente humano e plenamente divino que lhe possibilita ser o Salvador do mundo (ver Heb. 1, 2).

Um segundo tema levantado na primeira metade do capítulo 5 é uma visão adicional sobre a relação entre o amor e os mandamentos de Deus. Aqui encontramos uma das mais importantes contribuições de João à compreensão cristã a respeito de como viver responsavelmente. Diariamente devemos refletir sobre esse tema à medida que procuramos determinar o que significa ser um cristão, o que significa desenvolver um caráter semelhante ao de Cristo.

A segunda metade do capítulo destaca novamente o problema com o qual o livro começou: o pecado e suas implicações. Mas aqui o apóstolo enfatiza a diferença entre “pecado que leva à morte” e “pecado que não leva à morte” (5:17 NVI). “Toda injustiça é pecado”, ele afirma, “mas há pecado que não leva à morte” (5:17 NVI). E que pecados são esses que não levam à morte? Os que são confessados (1:9). Deus ouve nossas penitentes orações e as responde (5:14, 15). Tais pessoas não vivem vidas em rebelião, porque são nascidos de Deus (5:18; cf. 3:6, 9, à luz de 3:4).

E o que 1 João significa para a minha vida? Que eu devo ser honesto comigo e com Deus sobre mim mesmo e minhas faltas; que eu tenha por certo que Jesus é o Cristo plenamente divino; que eu deixe Deus aperfeiçoar Seu caráter de amor em mim enquanto me relaciono com meus companheiros membros da igreja e com o mundo ao meu redor. Isso é o que João chama de “vida eterna” (1:2; 2:25; 3:15; 5:11, 13, 20).

George Knight
Estados Unidos


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...