Receba mensagens em seu Email

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Oseias 1 Comentário Pr Heber Toth Armí

Oseias 1
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Quando parece que nada mais tem jeito, Deus dá jeito de restaurar!

O profeta Oseias “não começa com coisas serenas, nem de fato exorta, com gentileza, o povo a se arrepender, nem adota um curso tortuoso para suavizar a aspereza de sua doutrina. Demonstra que nada dessa espécie ele usava, mas diz, que havia sido enviado tal como arautos ou mensageiros que proclamam a guerra. O começo, então, do que o Senhor falou através de Oseias foi isto: ‘Esse povo é uma raça adulterina, todos nascem, por assim dizer, de meretriz, o reino de Israel é o mais imundo dos bordeis; e agora eu os repudio e rejeito, não mais os tenho como meus filhos’. Era uma veemência incomum” (João Calvino).

“Ora, se for perguntado por que Deus estava tão grandemente descontente, por que Ele primeiro não pediu aos homens vis para voltar para Si – visto que o método usual parece ter sido que o Profeta tentasse, por um discurso amável e paternal, restaurar a uma mente sã aqueles que tivessem se apartado da pura adoração a Deus – por que, então, Deus não adotou esse curso ordinário? Contudo, daqui inferimos” – diz Calvino – “que as doenças do povo eram incuráveis. O Profeta, sem dúvida, proclama aqui, de modo evidente, que foi enviado por Deus quando o estado de coisas era quase insanável. Sabemos, certamente, que Deus não tem o costume de lidar tão severamente com os homens, senão quando haja tentado todos os outros remédios; e isso pode, indubitavelmente, ser facilmente descoberto pelos registros da Escritura”.

Certamente, Deus não desiste de tentar nos salvar. Observe este esboço com atenção:

Casamento de Oseias e nascimento de seus filhos:

• Mandato de casamento (v. 2);
• Nascimento de Jezreel (vs. 3-5);
• Nascimento de Lo-Ruama ou Não-Amada (vs. 6-7);
• Nascimento de Lo-Ami ou Não-Meu-Povo (vs. 8-9);
• Mudança de nomes revela esperança (1:10-2:1).

Duas mensagens gerais podem ser extraídas deste texto profético:

1. Ignorar a Deus, substituí-lO por qualquer coisa, viver relaxadamente a religião, são tipos de adultério ou prostituição espiritual que ofendem terrivelmente a Deus.
2. Deus é bondoso e anseia restaurar inclusive aqueles que não têm mais jeito, oferece graça a quem está na pior das desgraças.

Frente a situações desesperadoras, Deus promove a bendita esperança. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

domingo, 19 de novembro de 2017

Daniel 12 Comentário Pr Heber Toth Armí

Daniel 12 
Comentário Pr Heber Toth Armí

O último capítulo de Daniel é o ápice da profecia, não só do livro desse profeta, mas de todo o Antigo Testamento. 

O capítulo em análise encerra não só a profecia iniciada no capítulo 10, mas todo o livro de Daniel. Para uma visão mais abrangente, observe as divisões da última profecia que Daniel recebeu, conforme apresentadas por Samuel Nuñez:

• Daniel contempla dois seres sobrenaturais e dialoga com Gabriel (10:1-21);
• O discurso profético do anjo Gabriel: Desde a Pérsia até a intervenção de Miguel (11:1-12:4);
• Daniel contempla outros dois seres sobrenaturais e dialoga com o varão vestido de linho (12:5-13).

O início de Daniel 12 conecta-se com Daniel 11. Os reis do Norte e do Sul e os países mundiais, envolvidos no conflito com Deus e Seu povo verão Miguel levantando-Se no tempo de maior angústia mundial, para dar fim à história do pecado e suas terríveis consequências.

Destacamos as seguintes citações de estudiosos:

• “No capítulo 12 conhecemos os ganhadores de almas, ou seja, ‘os que ensinam a justiça à multidão’ (12:3). É também onde encontramos o texto mais claro do Antigo Testamento sobre a ressurreição (v. 2). Aqui também o livro de Daniel indica a conclusão do grande conflito entre Cristo e Satanás através da palavra ‘salvo’ (v. 1)” (Gergard Pfandl).
• “O livro termina com a promessa a Daniel de que ele estará entre os que se levantam no dia final para receber sua parte na herança do povo de Deus (12:13). Esta é uma promessa bem-aventurada que se oferece a todos os que oferecem sua lealdade a Miguel, o Filho do Homem, o Cristo de Deus” (William Shea).
• “A luz que Daniel recebeu de Deus foi dada especialmente para estes últimos dias. As visões que ele viu às margens do Ulai e do Hidéquel, os grandes rios de Sinear, estão agora em processo de cumprimento, e logo ocorrerão todos os acontecimentos preditos” (Ellen G. White).
• “O capítulo 12 de Daniel é o epílogo glorioso da cátedra profética final dada por Gabriel. Nela revela ao profeta que os dias finais deste mundo estarão pautados por dificuldades para o povo de Deus mas também de maravilhas que darão, finalmente, passo à eternidade que desfrutarão os fieis junto ao Messias” (Merlyn Alomía).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rbhw #ebiblico #rpsps

sábado, 18 de novembro de 2017

Daniel 11 Comentário Pr Heber Toth Armí

Daniel 11
Comentário Pr Heber Toth Armí

Não vai demorar, e Deus que é intolerante a heresias e blasfêmias intervirá para erradicar o mal; nessa ocasião, Seu caráter e os salvos serão vindicados.
Estude o capítulo em pauta que trata do...
• Império Medo-Persa (vs. 1-2);
• Império Grego (vs. 3-13);
• Império Romano (vs. 14-22);
• Império eclesiástico romano (vs. 23-44);
• Tempo do fim, antes da instituição do reino de Deus (vs. 40-45).
Existe no versículo 21 uma “referência à morte de Jesus na cruz, e esta nos ajuda a seguir a linha do tempo em Daniel 11 e 12. O Messias foi quebrado quando foi pregado na cruz sob o imperador romano Tibério (14-37 d.C.). O ‘homem vil’ em Daniel 11:21 provavelmente é Tibério”, comenta Gerhard Pfandl.
Embora longo e com muitos detalhes, o capítulo tem duas seções: “Na primeira seção [vs. 1-22], a ação entre o reino do norte e do sul tem muito que ver com assuntos do povo de Deus; a batalha é essencialmente uma de porte espiritual que culmina com a aparição do Messias e sua confirmação do pacto ‘com muitos’ mediante Sua morte”, explica William Shea.
E continua Shea: “Da mesma forma, a segunda seção da profecia (vs. 23-45), embora marcada por termos de reinos e conflitos, refere-se às batalhas espirituais entre o povo e a verdade de Deus por um lado, e por outro o poder perseguidor que procura obscurecer o Santuário de Deus no Céu e a salvação ministrada ali para nós por nosso fiel Sumo Sacerdote, Jesus Cristo”.
Em toda a história, o fiel povo de Deus...
• Conhece intimamente ao verdadeiro Deus (v. 32)
• Entende e ensina a Palavra de Deus (v. 33);
• Recebe auxílio e é purificado (vs. 33-35).
Neste capítulo contendo batalhas, derramamento de sangue e conflitos políticos nota-se que Deus...
• Se interessa muito no que acontece aos seres humanos;
• Se importa com o sofrimento, hostilidades e dificuldades dos Seus servos;
• Se preocupa com detalhes da complexa e difícil experiência humana;
• Se envolve nas atividades dos pecadores visando conduzir a história a um fim glorioso;
• Auxilia aos que carecem de ajuda nas agruras experiências da existência.

Este comentário está limitado pelo tempo e espaço, porém continue estudando e se reavivando ao aprofundar-se em sua mensagem; pois, o fim está próximo. Preparemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Daniel 10 Comentário Pr Heber Toth Armí

Daniel 10
Comentário Pr Heber Toth Armí

 A existência humana possui inúmeras dificuldades. Principalmente quando se quer servir a Deus numa sociedade alheia aos Seus princípios.

Sempre foi difícil servir a Deus de verdade. Oposições levantam-se por todos os lados, promovidas pelo invisível agente do mal. O profeta Daniel enfrentou desafios dificílimos; diante...

• ...da ira de Nabucodonosor contra os sábios, Daniel tornou-se alvo de morte. Ele orou. Então, Deus revelou-lhe o sonho da estátua e sua interpretação (capítulo 2).
• ...do desafio dos leões famintos, Daniel orou; então, Deus enviou Seu anjo para fechar a boca dos leões (capítulo 6);
• ...do incerto futuro dos judeus, Daniel orou; então, veio Gabriel, o mais elevado anjo, para auxiliar o profeta na interpretação da visão (capítulo 9).
• ...da preocupação com aqueles que retornaram do exílio a Jerusalém, Daniel orou; então, Gabriel e Miguel (Jesus) vieram auxiliá-lo (capítulo 10).

G. Arthur Keouth divide Daniel 10 em duas partes:

1. Cristo aparece a Daniel:
• O jejum de Daniel (vs. 1-3);
• Cristo Se revela (vs. 4-6);
• Só Daniel tem a visão (v. 7);
• A reação de Daniel diante da presença de Cristo (vs. 8-9).

2. Gabriel fala com Daniel:
• Conforta a Daniel (vs. 10-11);
• Explica o propósito de sua chegada (vs. 12-14);
• A reação de Daniel diante da presença de Gabriel (vs. 15-17);
• Gabriel prepara o terreno para a visão que se seguirá (vs. 18-21).

A teologia deste capítulo mostra que “enquanto Satanás estava procurando influenciar as mais altas autoridades no reino da Medo-Pérsia para que não mostrassem favor ao povo de Deus, anjos trabalhavam no interesse dos exilados. Era uma controvérsia na qual todo o Céu estava interessado. Por intermédio do profeta Daniel é-nos dado um lampejo desta poderosa luta entre as forças do bem e as do mal. Durante três semanas Gabriel se empenhou na luta com os poderes das trevas, procurando conter as influências em operação na mente de Ciro; e antes que a contenda terminasse, o próprio Cristo veio em auxílio de Gabriel” (Ellen G. White).

Quando nos preocupamos e investimos nossas energias em orações e jejuns, Deus...

• ...amplia nossa visão e percebemos um grande conflito, do qual somente dependendo de Cristo poderemos vencer;
• ...envia Seu anjo e o próprio Cristo para atender-nos;
• ...conforta, fortalece, orienta...

Então, vamos orar e jejuar mais? – Heber Toth Armí #ebiblico #rbhw #rpsp

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Daniel 9 Comentário Pr Heber Toth Armí

Daniel 9 
Comentário Pr Heber Toth Armí

Depois da queda de Babilônia os judeus permaneciam no exílio. Daniel orou e intercedeu pelo povo (vs. 1-19) e Deus atendeu e surpreendeu-nos (vs. 20-27).

• Deus é especialista em atender as súplicas do coração impaciente. Quanto mais quando visa buscar orientação em Sua revelação.

Daniel, que estava no cativeiro com os judeus. Ele sabia que em 70 anos, deveria haver libertação – sua crença baseava-se nas profecias das Escrituras (Jeremias 25:1-14; 29:10-14).

Deus, respondendo a angústia de Daniel, foi além da libertação dos judeus. Deus Lhe mostrou o Libertador do mundo, não do cativeiro físico, mas do cativeiro espiritual. O Libertador...

• ...Faria expiação pelos pecados para justificar aos transgressores da Lei de Deus (v. 24);
• ...Seria o Ungido de Deus, o Príncipe Celestial (v. 25);
• ...Seria mais do que rejeitado pelos amantes do pecado, morreria em suas mãos (v. 26);
• ...Alcançaria seus objetivos ao cumprir as profecias acerca do Messias (v. 27).

Tais acontecimentos não estavam apenas previstos, eles tinham data marcada na agenda divina 500 anos antes. Somente uma mente incrédula não vê a maravilha da profecia bíblica.

O ponto de partida para a contagem das 70 semanas é o ano 457 a.C. Estas se dividem em três períodos conforme o texto sagrado:

• 7 semanas proféticas = 49 anos;
• 62 semanas proféticas = 434 anos proféticos;
• 1 semana profética = 7 anos proféticos.

Ao todo são 490 anos. Iniciando a contagem em 457 a.C., somando 490 anos, chegamos ao ano 34 d.C. Os sete últimos anos, correspondentes à última semana, dividem-se em três:

1. Inicia com Jesus sendo Ungido/batizado no ano 27.
2. Na metade da semana, ou seja, três anos e meio após o batismo (ano 31), Jesus foi crucificado.
3. Finaliza a semana, no ano 34, quando Estêvão foi apedrejado pelos judeus por rejeitarem Jesus.

Isaque Newton referiu-se aos últimos versículos deste capítulo como “a pedra fundamental da religião cristã”. Pois, como disse Samuel Nuñez, “de acordo com as evidências linguísticas e estruturais do poema de Daniel 9:24-27, JESUS, O CRISTO, é o único que cumpre todos os requisitos de tal profecia messiânica”.

O cativeiro neste mundo de pecado logo chegará ao fim, mas antes é preciso consagração, estudo da Bíblia, arrependimento e purificação. Portanto, estudemos e reavivemo-nos!

“Senhor, capacita-nos!” – Heber Toth Armí #rbhw #ebiblico #rpsp

Daniel 8 Comentário Pr Heber Toth Armí

Daniel 8
Comentário Pr Heber Toth Armí

 Não existiria verdade no mundo caso Deus não agisse. Mesmo existindo a Bíblia, poderes antagônicos ao reino divino exaltaram o engano, a doutrina falsa e a religião pervertida. 

• Deus precisou proteger Sua verdade, pois a vontade do inimigo é que ela ficasse jogada por terra.

Se os livros de Romanos e Gálatas trouxeram ao mundo reavivamento na doutrina da justificação pela fé, promovendo reformas na doutrina da salvação, após ter sido deturpada por centenas de anos, o estudo do livro de Daniel trouxe reavivamento na doutrina da volta de Cristo, do santuário, da intercessão de Cristo e do julgamento pré-advento.

O capítulo em análise é extremamente importante ao cristão que deseja a plenitude da revelação bíblica. “Em muitos aspectos, Daniel 8 é o capítulo mais importante do livro. Ele contém a mais longa profecia de tempo. Também menciona o tempo do fim no contexto do santuário e sua purificação. Constitui a introdução dos capítulos 9 a 12” (G. Arthur Keough).

Observe os seguintes pontos do capítulo:

• Um carneiro com dois chifres: Representa a Média-Pérsia (vs. 1-4, 20);
• Um bode macho com unicórnio, que ataca e destrói ao carneiro e tem seu unicórnio substituído por quatro chifres: Representa a Grécia, que após morrer Alexandre, o Grande, dividiu-se em quatro partes (vs. 5-8, 21-22);
• Uma ponta/chifre pequena/pequeno surge e toma posse da Terra Santa, além de desafiar a Deus: Representa Roma em suas duas fases, política e religiosa (vs. 9-12, 23-26).

O coração do capítulo (vs. 13-19) e seu ápice, o último versículo (v. 21), mostram quão aflito ficou Daniel com esta profecia, pois Deus revelou o quanto seria complicado a propagação da verdade devido ao ataque dos que preferem à mentira. 

Até 2300 tardes de manhãs (ou anos), então o santuário seria purificado (v. 14), responde às perguntas do versículo 13. Antes do advento de Jesus revelado em Daniel 7, uma redescoberta de inúmeras verdades lançadas por terra trariam despertamento espiritual.

Enfim, no tempo do fim, no ano de 1844...

• ...terminou o período dos 2300 anos iniciado em 457 a.C.;
• ...marcou o início da purificação do santuário celestial;
• ...começou o juízo que antecede ao advento de Cristo;
• ...a verdade bíblica foi restaurada na Terra devolvendo esperança aos crentes.

Releia, estude, reflita, aviva-te... compartilhe! – Heber Toth Armí  #rpsp #rbhw #ebiblico
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...