Receba mensagens em seu Email

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Jó 22 COMENTÁRIOS Pr. Heber Toth Armi

Jó 22

COMENTÁRIOS Pr. Heber Toth Armi


Ao ver o sofrimento das pessoas, muitos intentam ajudar, mas acabam entrando por becos perigosos: Doutrinas espúrias e aplicações completamente equivocadas.


Elifaz não vê outra forma de explicar o sofrimento de Jó a não ser conectar com algum pecado. A visão dele era limitada demais, mas ele cria que suas palavras estavam recheadas da mais pura sabedoria. Contudo, não havia nenhum pecado evidente em Jó. Ninguém poderia acusá-lo de nada. Parecia que seu argumento de inocência falava mais alto que as acusações. Alguma coisa parecia errada (vs. 1-5). 


Então, Elifaz vasculhou seus pensamentos para provar sua filosofia teológica: Jó pecou por omissão! Dirigindo-se a Jó, Elifaz declarou: “Porventura, não é grande a tua malícia e sem termo as tuas iniquidades?” (v. 6). Então, prosseguiu especificando que...


1. Alguém ficou despido porque Jó não procurou em todos os lugares aos desprovidos de roupas (v. 6);

2. Alguém, em algum lugar deve ter ficado sem água ou sem comida porque Jó não assistiu a todos os sedentos e famintos (vs. 7-8);

3. Alguma viúva ou algum órfão ficou sem assistência por negligência de Jó (v. 9).


“Por isso”, afirma categoricamente Elifaz a Jó, “estás cercado de laços, e repentino pavor te perturba ou trevas, em que nada vês; e águas transbordantes te cobrem” (vs. 10-11).


A partir daí, Elifaz reflete teológica e filosoficamente culminando com um apelo poderoso diretamente a Jó:


• Deus é transcendente, incognoscível (vs. 12-15);

• Deus é Juiz poderosíssimo, mas terrivelmente vingativo (vs. 16-20);


Então:


1. Reconcilia-te com Deus e terás paz e prosperidade (v. 21);

2. Aceite a instrução divina e guarde Suas Palavras no coração (v. 22);

3. Arrepende-te e converta-se a Deus e serás restaurado, teus propósitos serão alcançados e terás recursos até para atender aos necessitados (vs. 23-27).


Nem todo discurso belo, inteligente e persuasivo está correto. Sermões com final positivo nem sempre resultam em reação positiva (como se verá no próximo capítulo). Por quê? Por estar no lugar errado, direcionado para a pessoa errada. 


Pregadores bem intencionados como Elifaz, mas totalmente equivocados em seus sermões, não falam ao coração dos sofredores; mesmo concluindo com tom positivo não colocam o bálsamo refrescante que sofredores tanto anelam; porque “não manejam bem a Palavra da verdade” (II Timóteo 2:15)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...