Receba mensagens em seu Email

domingo, 9 de outubro de 2016

Jó 20 COMENTÁRIOS Pr. Heber Toth Armi

Jó 20
COMENTÁRIOS Pr. Heber Toth Armi

A dor está presente desde nosso nascimento. Já nascemos chorando e ao morrermos deixamos muita gente chorando. Nossa existência não flui por caminhos aveludados, mas por estradas acidentadas: Subidas íngremes e precipícios perigosíssimos. Trilhamos muitas vezes por desertos abrasadores e despencamos para vales escuros.

Perdas. Lutos. Dores. Sofrimentos... A vida não é um mar de rosas; nem um parque de diversões. Nossa existência não acontece num jardim. Estamos entre espinhos, numa luta ferrenha para sobreviver. Somos açoitados de um lado para outro pelos látegos da dor sem a presença de entes queridos. Desprovidos de recursos vitais, somos entregues à morte o dia todo, principalmente se amamos a Jesus (Romanos 8:36).

Cicatrizes, hematomas, feridas purulentas, corações partidos, amores destruídos, vazio na alma, abandono, desprezo... vão aumentando nosso currículo, diminuindo nossas expectativas. E, nestas horas sempre tem alguém para nos dar sermões moralistas, legalistas. Jó teve que ouvir as proposições de Zofar, o qual destacou os seguintes pontos:

1. Aquele que defende teorias infundadas sente-se ameaçado quando confrontado. Começa a falar precipitadamente objetivando impedir aquele que tem opinião contrária de prosseguir expondo seu lado. Zofar mostra-se incomodado com a repreensão de Jó (vs. 1-3).

2. Aquele que se sente ameaçado emite opinião como se fosse absoluta convicção. Zofar não tem nada novo para acrescentar a seu discurso, seu objetivo é martelar na mesma tecla a fim de intentar convencer seu oponente a mudar de opinião. Ele reitera sobre o destino dos perversos intentando provar que Jó não era um bom indivíduo devido a sua situação caótica (vs. 4-29).

Comentando este capítulo, Tewoldemedhin Habtu diz sobre Zofar: “Considerando seu estado emocional agitado, teria sido melhor permanecer calado”. Zofar descreve “as desgraças que aguardam ao perverso... Ainda que essa lista de retribuições seja expressa em termos gerais, não há dúvida que o alvo de Zofar é Jó. Contudo, a acusação de que Jó oprimiu e desamparou os pobres (20:19) é totalmente infundada. Prosseguindo com sua metralhadora de punições, Zofar afirma que aflições e ira de Deus serão recompensas do perverso em meio à sua prosperidade; não há como escapar”.

Assim, quem...

• ...diz meias-verdades acusa justos de perversos.

• ...vive de opiniões despreza provas que lhe ameacem.

• ...é orgulhoso tem dificuldades para explicar o sofrimento.

Portanto, cresçamos espiritualmente! – Heber Toth Armí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...