Receba mensagens em seu Email

domingo, 4 de março de 2018

Marcos 10 Comentário Pr Heber Toth Armí

MARCOS 10
Comentário Pr Heber Toth Armí

Arrependimento gera conversão, e, conversão leva ao discipulado. Ser discípulo de Cristo deve ser o alvo de cada pecador.

O capítulo em pauta continua o tema do discipulado. Jesus não quer meros crentes esquentadores de bancos no templo, não quer crentes inativos. Ao contrário, Ele quer seguidores que infiltrem os princípios do reino de Deus na cultura mundana.

Avance com oração:

1. Ao armar uma armadilha com o tema “divórcio” para que Jesus caísse nela, os fariseus foram surpreendidos pela resposta dEle (vs. 1-12):

a) O casamento é uma instituição divina, o divórcio uma instituição humana;
b) O divórcio não é princípio divino, foi permitido devido à dureza do coração pecaminoso;
c) O divórcio conspira contra os planos divinos para a felicidade humana. O plano de Deus para o casamento é que ele seja...

• ...Heterossexual;
• ...Monogâmico;
• ...Monossomático;
• ...Indissolúvel.

2. Jesus não apenas aceita as crianças que anseiam aproximar-se dEle, mas também as abençoa. Além disso, Jesus valeu-se delas para ensinar pecadores o caminho para entrada no reino de Deus (vs. 13-16).

3. Além de reformular o relacionamento conjugal, o tratamento com as crianças (filhos), o discipulado atinge a forma de lidar com os bens materiais (vs. 17-31).

• “O problema do homem rico não era a riqueza em si, mas o fato de não entender que somente Deus – e não a riqueza – era bom, e que o chamado radical de Deus para ser discípulo era para o seu bem. Apenas a confiança radical na bondade de Deus torna possível abandonar a riqueza e seguir a Jesus no caminho da cruz. Essa confiança absoluta na bondade de Deus, um pré-requisito para a entrada no reino, é impossível sem a ação da graça na vida da pessoa (10.24-27). E Deus fez o impossível na conversão, reorganizando radicalmente os valores da pessoa. Aos que deixaram tudo para segui-lo, como Pedro, Jesus promete recompensa – e perseguição (10.28-30)” (Christopher L. Church).

4. Discipulado passa pela humildade, não pela ambição. Como Jesus, Seus discípulos devem experimentar a cruz antes de entrar na glória (vs. 32-45).

5. O discurso de Jesus sobre discipulado começa e termina com cura de cegos. O último enxergava pela fé (vs. 46-52) – é o que Jesus espera de nós!

Permitamos ser curados da cegueira espiritual? – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...