Receba mensagens em seu Email

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Crises e mais crises– Rute 1

Leitura Bíblica – Rute 1
Crises e mais crises
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Alguma vez você já enfrentou situações em que tudo estava bem e, de repente, tudo pareceu desmoronar rapidamente? Como você reagiu?

Como você lida com...
• ...crises sociais?
• ...crises econômicas/financeiras?
• ...crises políticas?
• ...crises religiosas?
• ...a fome, perdas, mortes e tantas outras coisas desesperadoras?

Você sente angústia? Estresse? Depressão?
Você enfrenta, ou foge?

Onde você busca solução/ajuda?
• ...No dinheiro/trabalho?
• ...No governo?
• ...Em parentes?
• ...Em tua experiência, forças ou sabedoria?

Foque tua atenção totalmente neste primeiro capítulo do livro de Rute. Tenha em mente, primeiramente, o contexto desta história. Quando ocorreu? Em uma “era mais pacífica dos dias em que governavam os juízes” (Samuel J. Schultz). Lembrando que, o período dos juízes foram os momentos históricos mais críticos de Israel!

O contexto era de total crise moral, social e espiritual. Consequentemente, Deus cumpriu os regulamentos dos documentos das escrituras da terra em Deuteronômio 27 e 28. Houve fome na terra que manaria leite e mel. Resultado? Outras crises, econômicas/financeiras, políticas, etc.

Com isso, a próspera família de Noemi...

1. Fugiu de Belém para livrar-se da morte;
2. Procurou refúgio em Moabe;
3. Pai e filhos morreram tentando ganhar a vida;
4. Noemi ficou viúva, sobraram apenas as noras;
5. Noemi despediu-se de Moabe e das noras, também viúvas desprovidas de filhos;
6. Noemi recebeu a graça de uma companhia para a viagem de volta: Rute;
7. Noemi voltou amarga para Belém! Perdera tudo: Bens, família, e até a alegria...

Crises e mais crises... Apenas com a graça de uma companhia em meio a tantas crises sufocantes! Você já se sentiu assim?

O livro de Rute tem sido considerado “há muito tempo como uma história maravilhosa que mostra pessoas superando as tragédias da vida mediante a devoção e o caráter forte” (Paul R. House). Antes, porém, da superação, foi necessário reconhecer a fraqueza:

• Fugir de uma situação complexa nem sempre será uma boa solução;
• Procurar refúgio onde Deus não está nunca trará prosperidade, vida, nem bênçãos;
• Intentar salvar-se sem auxílio divino implica cavar a sepultura com as próprias mãos;
• Deixar tudo para trás para recomeçar a vida pode parecer uma ideia atraente, mas será decepcionante.

A única solução real, concreta e viável para situações complexas da vida está em buscar a Deus e esperar nEle!
Reavivemo-nos!


domingo, 28 de fevereiro de 2016

Situação caótica – Juízes 21

Leitura Bíblica – Juízes 21

Situação caótica
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Nota-se nestes últimos capítulos que, infelizmente, a espiritualidade pura do povo de Deus foi contaminada pelo lixão teológico dos pagãos.

A cultura do Céu instituída por Deus ao Seu povo, revelada em Sua Palavra, fora suplantada pela ideologia reinante da cultura secular. O sincretismo religioso era positivo porque, ainda que misturada com tradições humanas restavam ideias de um Deus verdadeiro.

A igreja nunca precisou de críticos para reformá-la, mas de exemplos positivos para influenciá-la. A frase citada três vezes (17:6; 18:1; 19:1;) no livro, “Naquele tempo, não havia rei em Israel. As pessoas faziam o que bem entendiam”, encerram as últimas palavras de Juízes.

Não havia quem guiasse o povo na lei de Deus. “O pecado humano precisa de governos que imponham a moralidade” (Kenneth A. Mathews).

• Neste último capítulo, o autor demonstra como soluções humanas para o pecado podem trazer maiores problemas; que fazer justiça com as próprias mãos pode resultar em terríveis desgraças; e, o que resta será lamentar o caos perante Deus, O qual não é responsável pela desgraça causada pelo pecado de ninguém (vs. 1-5).

• Sobraram 600 homens e nenhuma mulher da tribo de Benjamim – era o fim dessa tribo; os restantes dos israelitas tiveram pena. Por isso, criaram uma estratégia estranha para lograr que a tribo não fosse extinta de uma vez. A parte positiva é que deu certo! (vs. 6-24).

Analisado Juízes com oração e atenção, nota-se que, “justamente aqueles que Deus Se propõe a usar como Seus instrumentos para uma obra especial, Satanás, empregando seu máximo poder procura transviar” (Ellen G. White). Contudo, “a salvação é o alvo para o qual Deus dirigia e dirige a história. Como Senhor da história, Deus era livre para escolher qualquer pessoa para atuar como libertador” (Mathews).

Salvação? “Sexo, violência, estupro, massacre, brutalidade e fraude não parecem material adequado ao relato da história da salvação”. “Por isso, de certo modo, ficamos chocados sempre que lemos o livro de Juízes, pois deparamos com uma situação caótica” (Eugene Peterson).

Talvez, a maior lição de Juízes seja esta:

NÃO IMPORTA SE HOMEM OU MULHER, SÁBIO OU FORTE, LÍDER OU NÃO... INDEPENDENTE DE JESUS – O JUSTO JUIZ – JAMAIS HAVERIA SOLUÇÃO PARA O PECADO, NEM SALVAÇÃO AO PECADOR!
Assim, poderás reavivar-te estudando Juízes!


sábado, 27 de fevereiro de 2016

As condições religiosas, políticas e sociais-Juízes 20

Leitura Bíblica – Juízes 20

 As condições religiosas, políticas e sociais
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Se Israel tivesse sido fiel a Deus... Se os levitas tivessem se comprometido com sua função sacerdotal... Se a busca pelos princípios espirituais fossem levados mais a sério... o livro de Juízes não existiria!

Após Mica espalhar os pedaços de sua esposa-prostitua às doze tribos de Israel, a situação ficou complicada. Observe o esboço deste capítulo extraído do Comentário Bíblico Adventista:

1. O levita declara sua afronta em uma assembleia geral (vs. 1-7);
2. A declaração da assembleia (vs. 8-11);
3. Os benjamitas resistem contra os israelitas (vs. 12-17);
4. Os israelitas perdem quarenta mil soldados em duas batalhas (vs. 16-25);
5. Por meio de uma tragédia, destroem todos os benjamitas, exceto seiscentos (vs. 26-48).

A depravação da religião resulta em depravação da sociedade. A depravação da sociedade gera um ambiente perigoso. Uma corruptela da moralidade torna as pessoas cruéis, agressivas e corrompidas. Não há outra explicação para uma nação em conflito e rebelião, confusão e exacerbada corrupção.

Pequenas concessões aos pecados resultam em grandes confusões. Uma guerra civil no povo de Deus nos dias dos juízes deixou claro como o pecado é vil. Desgraças e caos social promovem reavivamentos, mas não verdadeiros. Observe:

“Uma vez arrefecida a fúria, as onze tribos deram-se conta que haviam praticamente exterminado uma tribo de Israel e caíram em pranto [...]. Ofereceram sacrifícios ao Senhor, mas não há registro algum de que o povo tenha se humilhado, confessado seus pecados e buscado ajuda do Senhor” (Warren W. Wiersbe).

Enfim,
• Nem toda contrição, tristeza e arrependimento resulta em humilhação, restauração e perdão divino.
• Nem todo movimento coletivo em prol da justiça é um reavivamento justo perante Deus.
• Reavivamento que não resulta em reforma de vida, de coração e que leve a um compromisso com Deus e Seus sagrados princípios não passa de uma fraude do verdadeiro reavivamento.
• Compromisso insuficiente com Deus gera espiritualidade deficiente, fé decadente e fervor deprimente.

Os últimos capítulos de Juízes são como apêndice apresentando as condições religiosas, políticas e sociais do povo de Deus nos dias dos doze juízes apresentados nos capítulos 3 a 16, imediatamente à conquista da Terra Prometida. Após Deus ter feito tanto e cumprido o que havia prometido a eles, é assim que eles reagiram. E quanto a nós?



sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

O pecado embrutece– Juízes 19

Leitura Bíblica – Juízes 19

O pecado embrutece
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Se o capítulo anterior te chocou, imagina este: Você conhece estes detalhes?

• O líder espiritual envolveu-se com prostituta: “A prostituição e a impureza sexual arrancam o coração consagrado a Deus e nublam o discernimento dos caminhos de Deus. Esta era a situação de Israel naquele momento, e aqui está um homem da tribo de Levi, a tribo sacerdotal, envolvido em concubinato” (Dr. Brian J. Bailey) (vs. 1-3).

• O líder espiritual envolveu-se com bebidas e glutonarias: Na casa do sogro havia comida suficiente para alegrar-se e fartar-se, a ponto da intemperança afetar as decisões do levita (vs. 4-10).

• O líder espiritual saiu tarde, não encontrou hospedagem, mas o pecado da falta de hospitalidade: Jebus (Jerusalém) estava ocupada por estrangeiros pagãos; porém, na tribo de Benjamim, a coisa estava pior que entre os pagãos. Até que um idoso, dedicado trabalhador, ofereceu hospedagem (vs. 11-21).

• O líder espiritual foi alvo de depravação sexual: Vieram os filhos de Belial com objetivos homossexuais, violação e homicídio e rodearam a casa do idoso. O levita, após ter sua esposa abusada sexualmente durante a noite e encontrá-la morta pela manhã, sem ter a quem recorrer por justiça, esquartejou seu corpo em 12 pedaços e o enviou às 12 tribos do povo de Deus (vs. 22-30).

O levita, que deveria exercer liderança espiritual, estava desfocado, perdido, desviado. Foi atrás de prostituta, banqueteou-se na casa de seu pai intemperantemente, foi indiferente ao abuso e violação de sua concubina; depois, sem consideração, a fez em pedaços e espalhou pela terra.

Esse quadro lembra Sodoma e Gomorra, mas será que não lembra nossa sociedade atual também? Isso é o resultado de afastar-se de Deus e de Suas leis descritas em Sua Palavra.

Fique longe do pecado...
• ...sexual e infidelidade conjugal;
• ...da glutonaria;
• ...da falta de hospitalidade;
• ...da brutalidade e depravação moral;
• ...da indiferença (omissão).

O pecado embrutece e endurece o coração; afaste-se urgentemente dele: “O levita não apenas entregou a esposa às perversões daquela turba impiedosa, como também conseguiu deitar-se e dormir enquanto abusavam da mulher na rua!” (Warren Wiersbe).

ATENÇÃO: O caos social é resultado da indiferença aos divinos princípios espirituais!

Como cristãos, precisamos influenciar; não ser influenciados pela sociedade imoral! Devemos viver sábia e ousadamente cada um dos princípios revelados! Reavivemo-nos!Heber Toth Armí /


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Duvidando das promessas– Juízes 18

Leitura Bíblica – Juízes 18
Duvidando das promessas
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Você sabia que...

• ...Duvidando das promessas e Palavras divinas, a tribo de Dã não tomou posse da Terra Prometida por não seguir ordens de expulsar seus inimigos; agora querem algo mais fácil, invadir outras tribos? (vs. 1-2). Cuidado com dúvidas!

• ...Vivendo fora da revelada vontade de Deus, um levita demonstrou-nos que seguir os próprios caminhos religiosos significa trilhar as trevas pecaminosas ao dar conselhos teologicamente depravados aos representantes da Dã? (vs. 3-5). Existem conselhos perigosos!

• ...Folgados e ambiciosos, os danitas invadiram a cidade de Laís, atacaram seus habitantes, e tomaram suas propriedades, e, ainda... pensaram que possuíam a bênção divina? (vs. 7-10). Não tem coisa pior que atribuir a Deus a vitória concedida pelo pecado.

• ...Num contexto com tamanha bizarrice religiosa, os danitas roubaram pertences idolátricos de Mica; então, ofereceram melhor proposta ao levita Jônatas para ministrar a um público maior? (vs. 11-29). Compra e venda da fé: O mercado negro da religião surge com o afastamento da revelação divina e confiança na opinião humana.

• ...Na tribo de Dã criou-se o primeiro centro de idolatria entre Israel, o qual abriu portas ao cativeiro? (vs. 30-31). Quando o mal finca raízes no coração povo de Deus, certamente produzirá frutos que corromperá os justos.

Não critique/condena/acuse... Compadeça!

Críticos da igreja de Cristo deveriam ter coração moldado pela cultura celestial, não pelas influências da cultura do inferno; assim, eles deixarão de ter a postura almejada pelo diabo e adotarão a postura idealizada pelo Deus que ama e deu Seu Filho para morrer pelos pecadores.

Pensando e repensando...

• ...Reavivamento e reformas espirituais foram assuntos urgentíssimos nos dias dos juízes e, agora são em tempos de juízo investigativo.

• ...Frente à pobre espiritualidade social e eclesiástica atual, carecemos de líderes que proclamem profusamente ao mundo os nobres ensinamentos do Livro Sagrado.

• ...O povo de Deus em declínio espiritual nunca precisou de indiferentes, apáticos, relapsos; mas de intercessores para elevá-lo aos céus com suas orações.

• ...Seguidores de Cristo devem trocar o reclamar pelo clamar, o torpor espiritual pelo fervor, o liberalismo e o fanatismo pelo cristianismo bíblico.

• ...Diante da apatia religiosa e apostasia da maioria, os crentes precisam ser diferentes; e, com ousadia, viver decente, íntegra e escancaradamente os elevados princípios do Céu aqui na Terra.

Amigos... reavivemo-nos! Heber Toth Armí /


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Igreja imperfeita- Juizes 17 #rpsp

Leitura Bíblica – Juizes 17 #rpsp 

Igreja imperfeita
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

A igreja de Deus é imperfeita. O povo de Deus tem altos e baixos; às vezes, mais baixo que os pagãos.

Quando a situação da igreja está crítica, sobram críticos para acusá-la, humilhá-la, denegri-la e condená-la. Contudo, Seu proprietário a ama, por isso a cuida como se fosse a menina de Seus olhos. Observe a condição moral, social e espiritual de Israel na época em que “cada fazia o que parecia bem aos próprios olhos” (vs. 6; 21:25).

• Quando cada um faz o que acha ser certo, todos fazem tudo errado;
• Quando a razão se torna a base de toda ação desprovida da revelação divina, ninguém acerta no que é certo;
• Quando o critério para avaliação é o indivíduo, a sociedade toda experimenta o poder da corrupção.

O esboço do capítulo em estudo nos apresenta os seguintes tópicos:
1. Um homem de Efraim, Mica, roubou 1.160 siclos (13 kg) de prata de sua mãe e ela amaldiçoou o ladrão; o filho devolveu o que havia furtado e a mãe tomou 200 siclos (2,400 kg) e o entregou a um ourives para fabricar uma imagem, o que é idolatria (vs. 1-4);

2. Para uma capela particular da família, Mica consagrou um de seus filhos a sacerdote fazendo-o uma estola sacerdotal e fabricando vários ídolos tornando a capela para Deus uma casa de ídolos (vs. 5-6).

3. Assim que apareceu um levita de Belém, Mica o convidou para ministrar como sacerdote em sua capela familiar (vs. 7-13). Assim, “um levita renegado é transformado em sacerdote” (CBASD, v. 2, p. 311).

“Esse acordo humano e ilícito, que revela a apostasia espiritual da época, foi ignorantemente alardeado por Mica como razão da bênção divina” (M. F. Unger). Tudo isso que Mica fez teve boas intenções; ele fez “na esperança de que o Senhor faria prosperar o seu empreendimento” (Samuel J. Schultz).

A RELIGIÃO VERDADEIRA...
• ...desprovida da revelação, vira confusão;
• ...sem um bom líder espiritual, torna-se um caos;
• ...sempre carecerá de reavivamento e reformas.

Embora isso seja realidade visível em vários momentos da história, inclusive nos últimos dias, “a igreja de Cristo, por débil e defeituosa que seja, é o único objeto sobre a terra a que Ele confere Sua suprema atenção” (Ellen G. White).
Reavivemo-nos! Heber Toth Armí /


terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Deus atende à prece de Sansão– Juízes 16

Leitura Bíblica – Juízes 16

Deus atende à prece de Sansão
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Quatro capítulos são dedicados a Sansão, um dos doze juízes; sendo que alguns receberam menos de quatro versículos, Sansão é importante na literatura bíblica visando fornecer importantíssimas lições às crianças, jovens e adultos.

Precisamos urgentemente aprender de seus erros para não cometê-los. Isso é sabedoria! Anote a lição sobressaliente:

• Deixar-se dominar por sentimentos e pecados ao invés de permitir a regência da vida pelos princípios do Céu, encurtam a vida nesta Terra – ainda que no final haja arrependimento.

Do ponto-de-vista de um judeu, observe esta descrição sobre Sansão:

“Enquanto seus inimigos o torturavam, ele não abriu a boca. Mas agora estão atacando o Todo-poderoso. Estão ridicularizando o Deus de Israel, que deu Seu nome ao povo de Israel. Intolerável. É uma questão de [...] santificar o santo nome. Sansão envolve com os braços a coluna da direita e da esquerda. E murmura uma prece” (v. 28).

Elie Wiesel continua sua descrição: “Deus atende à prece de Sansão. ‘Tamut nafshi Plishtim’, grita o condenado. Que eu morra com os filisteus. Que meu fim seja também o deles. Sansão sacode as colunas. E com um estrondo ensurdecedor, o edifício desaba. E, diz o texto, ‘os que ele matou em sua morte foram mais que os que matou em sua vida’. Então, só então, os irmãos e os membros de sua tribo aparecem e tratam de providenciar o funeral. Finalmente Sansão é amado. Todos o acompanham até a sua última morada. Entre Saraa e Estaol, depositaram-no para repousar na tumba de seu pai, Manoá” (vs. 20-31).

Assim cumpriu-se totalmente a profecia divina que Sansão libertaria Israel apenas parcialmente (13:5). Assim, Salvador real e absoluto é Jesus Cristo; Ele morreu para libertar-nos completamente do pecado.

Finalizando, “a história de Sansão comprova que a força e o poder humanos, mesmo quando ampliados sobrenaturalmente, não garantem o sucesso ou a invencibilidade. É a pureza de caráter, o amor a Deus e a dedicação ao dever que resultam na vitória. Hoje se exalta demasiadamente o vigor, a beleza, a juventude e a audácia, tudo isso mesclado com a indulgência sensual. O estatuto da vida de Sansão é extremamente importante para a sociedade moderna” (Roy E. Gane).

Na história de Sansão o verdadeiro herói é Deus; e, em tua história?


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

A misericórdia divina na vida de Sansão– Juízes 15

Leitura Bíblica – Juízes 15

A misericórdia divina na vida de Sansão
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Aqueles que empenham-se em conhecer a Bíblia descobrirão que suas ações forâneas às orientações da Bíblia resultam em destruição da vida.

Leia, estude, medite e reflita nos princípios divinos da história de Sansão. Não permita que os prazeres deste mundo faça que tua vida seja uma pura ilusão, desembocando num mar de frustração, amargura e decepção.

1. Não é sábio envolver-se com pessoas que não têm princípios, tais pessoas têm comportamentos tão cruéis que é de arrepiar os cabelos: A mulher de Sansão já havia sido dada a outro homem quando ele voltou “arrependido” reconciliar-se com ela e sua família. Irado, ele queimou plantações dos filisteus com 300 raposas; furiosos, os filisteus queimaram a mulher que era de Sansão e o pai dela. Sansão também se vingou deles por isso (vs. 1-8).

2. Um homem de muitas habilidades, orgulhoso, prepotente e arrogante, geralmente não têm amigos; vive uma vida solitária e só se mete em confusão. Os filisteus odiavam a Sansão e, inclusive os judeus o consideravam como inimigo. Os homens da tribo de Judá amarraram a Sansão e o entregaram aos filisteus (vs. 9-13).

3. Deus é misericordioso com Seu povo mesmo quando este está vivendo sob a regência do pecado, indiferença e comprometido com o mal. O Espírito do Senhor apossou-se de Sansão, o qual soltou-se das cordas, tomou uma queixada de jumento e arrasou com mil homens inimigos do povo de Deus (vs. 14-20).

É impressionante neste relato a misericórdia divina. Quando alguém louva a si mesmo pelas vitórias que Deus concedeu, Deus permite que necessidades o alcance objetivando levá-lo a reconhecer sua dependência do Autor da vida e das habilidades (vs. 15-19).

Síntese:
• Os sentimentos nos enganam.
• A vingança não é solução, causa mais confusão.
• A vitória e a salvação originam em Deus, sempre!

“Fisicamente falando, Sansão foi o homem mais forte da Terra; mas no domínio de si mesmo, na integridade e firmeza foi um dos mais fracos. Muitos tomam erradamente as paixões fortes como caráter forte; mas a verdade é que aquele que é dominado por sua paixão, é homem fraco. A verdadeira grandeza do homem é medida pela força de sentimentos que ele domina e não pelos sentimentos que o dominam” (Ellen G. White).

Reavivemo-nos! Heber Toth Armí /



domingo, 21 de fevereiro de 2016

Aprenda para não cometer erros- Juízes 14

Leitura Bíblica – Juízes 14

Aprenda para não cometer erros.
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Quando permitimos que o coração fale mais alto que a Palavra de Deus em nossa vida, nossas emoções dominam levando-nos para fora do belíssimo plano que Deus sonhou para nós.

Reflita nesta reflexão escrita pelo Dr. Siegfried J. Schwantes sobre Sansão:

“Sansão acabou caindo nas mãos do inimigo, porque jamais caiu em si mesmo. Dominou o leão no caminho de Timnate, mas nunca dominou o próprio eu. Gostava de propor enigmas, mas só tarde resolveu o enigma de sua vida. Fixou os olhos no brilho ofuscante de uma falsa Dalila e acabou cego. Buscou uma liberdade falsa, e terminou escravo. Não quis trilhar a senda da retidão e findou dando voltas e mais voltas empurrando as moendas do cárcere. Incendiou com o auxílio das raposas as searas inimigas, mas permitiu que a raposinha dos vícios destruísse sua própria vida. Carregou os portões de Gaza sobre os ombros, mas foi esmagado sobre os pecados de Gaza. Brincava de deixar-se amarrar, e amarrado ficou. Gostava de folia e seu penúltimo ato foi servir de palhaço, perante algozes. Felizmente arrependeu-se na undécima hora e procurou redimir uma vida fracassada com um último arroubo de esforço de fé. Venceu, mas quão gloriosa teria sido sua carreira, tivesse aceito a diretriz divina para sua vida”.

Caso queiras aprender para não cometer os mesmos erros, invista tempo com a Bíblia, atente às diretrizes divinas para sua vida:

• As raízes dos problemas no matrimônio surgem antes do casamento, são observáveis no namoro (vs. 1-7). Desconsiderar sábios conselhos paternais, e, investir em jugo desigual, resultam em caos total (Deuteronômio 7:3-4).

• As causas dos problemas no casamento podem sabiamente e racionalmente serem identificadas no namoro (vs. 8-17). Chantagem emocional, falta de confiança e traição resultam em maldição.

• As razões dos problemas no namoro estouram no casamento; a arte de estragar casamento reside em não saber lidar com problemas no namoro (vs. 18-20). Guiar-se pela emoção e não pela revelação é o trampolim da autodestruição.

Relacionamentos que Deus nunca planejou para Seus filhos são causas de muitas desgraças familiares e, também, da verdadeira religião. Casamentos impróprios aos olhos de Deus dão-nos uma vida que nunca planejaríamos para nós.

O divórcio de Sansão se deu na lua-de-mel para chamar nossa atenção. Fiquemos atentos!  Heber Toth Armí /

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Sansão um libertador – Juízes 13

Leitura Bíblica – Juizes 13
Sansão um libertador
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Se você lê o livro de Juízes procurando perfeição, logo se deparará com a decepção. Depois de tudo o que Deus já havia feito até o capítulo 12 de Juízes, note o primeiro versículo do capítulo 13:

“O povo de Israel voltou a agir mal diante do Eterno. Por isso, o Eterno os entregou ao domínio dos filisteus por quarenta anos”.

A seguir, o texto prepara-nos para o nascimento de Sansão; Dale Ralph Davis intitula o capítulo assim: “Nasce Sansão o salvador”. Salvador?

Sim! Roy E. Gane diz que “Sansão foi um libertador especial a quem Deus escolheu antes do Seu nascimento”. Por quê? Porque embora eles O tivessem abandonado, “Deus, em Sua grande misericórdia, não abandonara os israelitas”.

Todo nascimento de uma criança neste mundo é um milagre divino; porém, o nascimento de um bebê por uma mulher estéril (impossibilitada de engravidar) é bem mais impactante e mais miraculoso. Sansão, nitidamente, foi fruto de um milagre (vs. 2-3). Contudo, isso não resolve o problema da nação em pecado.

Sansão foi um milagre de mãe estéril. Manoá e sua esposa receberam não só a visita de um anjo, mas orientações divinas dele. Ao crescer, Sansão foi abençoado por Deus... e foi guiado pelo Espírito Santo. Eis o início da história do homem mais forte do mundo; do qual, através dele Deus começaria a livrar Israel das mãos dos filisteus (vs. 4-25).

• Acaso Deus omitiu alguma orientação?
• O que mais Deus deveria fazer?
• Faltou algo a Sansão para permanecer nos caminhos do Senhor?
• Os pais de Sansão foram totalmente consagrados?
• Sansão tornou-se o líder mundial mais consagrado e poderoso?

Sansão era narizeu antes de nascer. “Deus instituiu o chamado ao narizeado para ajudar a reforma e sociedade hebraica (Amós 2:10-12). A promessa de ser temperante era parte fundamental dessa reforma. Hoje, quando a maior parte do mundo está embriagada com o vinho de Babilônia (a contrafação espiritual) e também degenerada com o vinho pelos hábitos de comer e beber, a vida de abstinência é especialmente recomendada” (Gane).

• Hoje, Deus quer pessoas que se consagrem a Ele!
• Não importa se o ambiente é favorável ou não, a decisão de servir a Deus está em tuas mãos!
• Temos muito a crescer!

“Reaviva e reforma-nos, Senhor!”

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Juízes vêm, juízes vão– Juizes 12

Leitura Bíblica – Juízes 12
Juízes vêm, juízes vão
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Tem coisas que sem oração não tem solução. A questão é mais séria do que muitos imaginam. Vida sem consagração é cheia de confusão.

Observe:

“O livro de Juízes começa com as tribos israelitas cooperando entre si (Juí. 1:1-3 e 22 – ‘casa de José’ = Efraim e Manassés’). Eles cooperaram liderados por Baraque (Juí. 5:14, 14 e 18) e Gideão (Juí. 7:23-25). Mas o problema entre as tribos cresceram desde a apatia (Juí. 5:15-17) até a contenda (Juí. 8:1-3) e finalmente a guerra (Juí. 12:1-6). Os israelitas se tornaram seus próprios inimigos!” (Roy Gane).

Brigas entre amigos, ou melhor, entre irmãos. A vida longe de Deus é de constante tensão, provocações e confusões. Houve guerra civil no povo de Deus. Nas palavras de Merril F. Unger, “o resultado foi disputa e guerra entre irmãos, morte e amargas e duradouras rixas, tão características de crentes que perderam o senso de unidade do Corpo de Cristo (1Co 12.13; Ef 4.1-6)”.

Jefté não teve a paciência e tolerância de Gideão (Juízes 8); consequentemente, morreram de Efraim, naquele tempo, 42.000 pessoas. Apesar disso, Gane afirma: “A despeito de suas faltas, Jefté foi um homem piedoso e zeloso perante o Senhor”; focando o Novo Testamento, ele atesta: “Levando em conta a época e as circunstâncias de sua vida, Deus registrou Jafté como um herói de fé (Heb. 11:32-34)”.

Após a morte de Jefté – que julgou por 6 anos –, levantaram-se outros juízes para governar a Terra Prometida:

• Ibsã, de Belém, que julgou Israel por 7 anos; porém, pouco se sabe sobre ele (vs. 8-10);

• Elom, de Zebulom, que julgou a Israel por 10 anos e foi sepultado em Aijalom (vs. 11-12);

• Abdom, de Piratom, que teve 40 filhos e 30 netos, que cavalgavam 70 jumentos. Julgou Israel por 8 anos e foi sepultado em terras amalequitas (vs. 13-15).

Juízes vêm, juízes vão; porém, a imoralidade em Israel continuava em ascensão. Isso é consequência da apatia do povo de Deus em relação à consagração.

Atenção:

1. Se for para guerrear, faça-o em prol da verdade;
2. Se for para lutar, que seja contra a imoralidade;
3. Se for para destruir, que seja a perversidade/iniquidade.
4. Se for para promover, que seja o sonho pela eternidade.

Consagremo-nos! Reavivemo-nos! Santifiquemo-nos!


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Dependência de Deus– Juízes 11

Leitura Bíblica – Juízes 11

Dependência de Deus
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Um grande homem não depende das circunstâncias, depende da dependência que ele tem de Deus. Ninguém é tão grosseiro, traumatizado e marginal que Deus não possa operar através dele e fazer história que culmina em vitória.

Deus atendeu as necessidades do povo quando este abandonou suas iniquidades, arrependeu dos pecados e buscou a Deus de todo coração. Então, “levantou-se um libertador na pessoa de Jefté, gileadita, o qual fez guerra contra os amonitas, e destruiu eficazmente o seu poderio” (Ellen G. White).

• Nossas angústias podem ser expulsas de nossa vida se tivermos a atitude correta diante de Deus; entretanto, preferimos apegar aos pecados que nos destroem.

Note este alerta de White. “Semelhantes a Israel, muito frequentemente os cristãos se rendem à influência do mundo, e conformam-se a seus princípios e costumes, a fim de obter amizades dos ímpios; mas no fim achar-se-á que tais professos amigos são os mais perigosos adversários”.

Por 18 anos o povo esteve sob a pressão de inimigos que os atormenta por negligência à oração. Se o povo reclama, não clama; se apenas chora, não ora. Entretanto, ao orar e clamar, coisas incríveis acontecem:

• Deus levanta alguém mesmo quando não tem ninguém com o perfil adequado (vs. 1-3);

• Deus mostra o nível de comprometimento de um líder para libertar Seu povo de mãos inimigas (vs. 4-11);

• Deus concede dons, sabedoria e habilidades ao líder para alcançar o sucesso almejado por Ele (vs. 12-40).

Cuidado com pré-julgamentos. Quem parece cristão pode ser ou tornar-se pagão; em contrapartida, quem parece não ter perfil para realizar planos divinos pode tornar-se poderoso instrumento de Deus.

Cuidado com interpretações impróprias. Jefté já foi considerado por intérpretes como assassino sem escrúpulo de sua filha; entretanto, creio ser inadmissível tal conclusão. Jefté conhecia os princípios divinos, estava cheio do Espírito Santo, etc. portanto, sua declaração designava oferecer a Deus um sacrifício e consagrar a Deus à primeira pessoa que lhe saísse ao encontro após obter a vitória dependo de Deus.

A verdade é que seguir a vontade de Deus traz prosperidade. A capacidade humana vinculada ao Espírito Santo alcança alturas inimagináveis. Jefté experimentou isso. Tanto é que ele fez uma promessa caso obtivesse a vitória que talvez pensou que nunca precisaria cumpri-la.

Entendeu? Então, compartilhe!


Inscreva-se @tododiacomDeus convide seus amigos


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Reavivamento e reforma são necessários – Juízes 10

Leitura Bíblica – Juízes 10

 Reavivamento e reforma são necessários
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Crianças precisam de cuidado, amor e tolerância; os pecadores também. É evidente no livro de Juízes o cuidado, o amor e a tolerância de Deus para com Seus filhos imaturos, rebeldes e ingratos.

Embora seja necessário ter fé, ainda é muito mais fácil admitir o caráter de Deus do que assumir quem realmente somos. É por isso que precisamos ler a Bíblia para aplicá-la bem em nossa vida. Para isso, precisamos interpretá-la bem também!

O capítulo em apreço pode ser esboçado da seguinte forma:
1. Dois novos juízes na lista dos libertadores de Israel: Tola e Jair (vs. 1-5);
2. Os canaanitas influenciam mais os israelitas do que são influenciados (v. 6);
3. Deus não cruza os braços e deixa pecados tomarem conta; pelo contrário, Ele reage à maré do mal que se levanta (vs. 7-9);

4. O povo de Deus sabe encontrar o caminho de volta quando as coisas complicam, a situação aperta ou quanto a vida se torna difícil:
a) Confessa pecados (v. 10);
b) Deus ouve e responde (vs. 11-14);
c) Deus renova compromissos arruinados (vs. 15-16);
d) Tem suas necessidades supridas por Deus (vs. 17-18).

A graça divina invade a desgraça humana. Ao tocar o coração que clama na lama da desgraça, a graça opera a fim de restaurar a situação do pecador arrependido genuinamente.

Contudo, a graça pode ser rejeitada, desprezada; consequentemente, qualquer coisa passa a ocupar o coração. A graça divina encontra limites na rejeição humana. Deus não invade onde a decisão levanta a voz dizendo-lhe: “Aqui não”!

O ser humano é complexo, suas atitudes são difíceis de serem interpretadas e suas emoções difíceis de serem analisadas corretamente. Contudo, Deus nos conhece melhor do que nós mesmos. Baseando-se neste capítulo, Ellen G. White escreveu:

“O povo lamentava porque seus pecados lhes haviam acarretado sofrimento, mas não porque tivessem desonrado a Deus”.

Aplicações:
1. Reavivamento e reforma são necessários, reconhecemos; mas, não os buscamos como de fato, deveríamos buscar.

2. Arrependimento é importante, mas o verdadeiro arrependimento nem sempre é perseguido.

3. Deveríamos aprender a buscar a Deus antes que o sofrimento batesse à nossa porta e roubasse a nossa paz.

4. Deus está sempre disposto a ouvir-nos quando clamamos com sinceridade por perdão dos pecados.

Reavivemo-nos!


Inscreva-se @tododiacomDeus convide seus amigos


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...