Receba mensagens em seu Email

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Neemias 4 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Neemias 4
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Precisamos fazer de nosso talento, nosso ministério; precisamos transformar nossa empresa em nossa igreja.

Para alcançar o alvo acima, é preciso consagração constante por meio de oração. Observe: O capítulo em apreço está pautado pela oração:

1. Enquanto a obra de Deus avança, inimigos se levantam para insultar e ameaçar visando paralisar o povo de Deus (vs. 1-3). Sambalate, irado e indignado, conspirou contra os judeus. Suas palavras foram de humilhação e desprezo.

2. Não se deve rebaixar ao nível dos inimigos e trocar impropérios com eles, pelo contrário, é necessário elevar-se a Deus em busca de intervenção contra o inimigo (vs. 4-5). As orações imprecatórias são bíblicas e tem o seu lugar, é melhor fazê-las do que tentar aliança ou discutir com provocadores inveteradas.

3. A oração fortalece o corpo, anima a alma e revitaliza a disposição frente à provocação, humilhação e ameaças (v. 6). A reedificação do muro avançou rapidamente após a oração.

4. Oposições que não surtem efeitos procuram ajuda, engrossam a fileira de opositores e investem mais acirradamente contra o povo de Deus; entretanto, este ora mais intensamente buscando forças, direção e capacitação em Deus (vs. 7-9). Enquanto o povo do mal (Sambalate, Tobias, os árabes, amonitas e adoditas) causa confusão, o povo do bem (os judeus) investe na oração.

5. Após orar, o povo de Deus sabe o quê fazer; em vez de atacar os inimigos, concentra-se na obra que tem de fazer (vs. 10-23). Neemias organizou uma defesa civil a fim de que os trabalhadores continuassem a executar a obra.

Nossa vida deve ser totalmente dedicada a Deus, desde os nossos talentos até nossos negócios. Tudo o que temos e somos deve ser consagrado. A teologia deste capítulo revela a importância do conhecimento correto de quem é Deus para avançarmos com fé:

1. Deus é grande e temível (v. 14);
2. Deus pode facilmente frustrar inimigos (v. 15);
3. Deus tem poder de batalhar contra os inimigos e vencê-los (v. 20).

Quando o povo de Deus se levanta para trabalhar, sempre alguém se erguerá para atrapalhar; contudo, Deus, certamente, intervirá para ajudar.

Quando crises nos sufocam tentando fazer-nos esquecer de Deus, é o momento de exercitar nossa mente para lembrar do Seu superpoder.

Ore, e vencerás! – Heber Toth Armí /


terça-feira, 30 de agosto de 2016

Neemias 3 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Neemias 3

Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Levante-se! Leia a Bíblia! Há muitas lições neste capítulo de Neemias para tua vida! Ore e medite:

O capítulo em vista, “é um dos mais importantes do livro todo” (Cyril Barber). “Neemias 3 é um dos textos mais fantásticos da Bíblia. Ele tem muitos princípios sobre liderança e aponta vários caminhos para o sucesso” (Hernandes Dias Lopes).

1. Organizar mutirão através de uma sábia mobilização resulta em um bom trabalho com resultados rápidos: São identificados nominalmente 38 trabalhadores e 42 grupos (havia outros trabalhadores que não foram citados). Foi grande a mobilização para a reconstrução do muro de Jerusalém, e muita motivação!

• Até o sumo Sacerdote se dispôs a reconstruir (v. 1). Ele foi o primeiro a abraçar a causa, sua posição não o isentou do trabalho. Não havia imposição, mas disposição ao trabalho.

• Baruque trabalhou com grande ardor, cheio de entusiasmo. “As palavras ‘com zelo’ são as únicas palavras descritivas que há neste capítulo [...]. Este homem fez seu trabalho de tal modo, que Neemias anotou sua atitude. Trabalhou com entusiasmo [...]. Graças a seu entusiasmo, Baruque continua sendo um exemplo para nós” (Rick Warren).

2. Sempre tem quem não move um dedo por nenhuma obra; não se deve desperdiçar energia com preguiçosos, eles nunca farão nada (v. 5).

3. As mulheres não podem ser subestimadas, mas valorizadas, em toda mobilização. Neemias reconheceu a importância delas no trabalho e atribuiu méritos a elas (v. 12).

4. Ser prático e diversificar atividades com sabedoria aliviam “os trabalhadores de ansiedades desnecessárias e os encoraja a fazer o máximo” observa Lopes. “Neemias organizou pessoas para trabalharem tão perto de casa quanto possível. Assim eles tinham interesse pessoal em construir aquela seção do muro que defenderia suas próprias casas ou negócios [...]. Neemias organizou grupos de trabalho em várias bases diferentes. Algumas foram organizadas pela vizinhança; outras por família, posição social e profissão [...]. Deus dá às pessoas diferentes dons e chama-nos de diferentes culturas e formações. Contudo, a igreja é única; e crentes devem trabalhar e adorar juntos” (Lawrence O. Richards).

A obra de Deus precisa avançar em unidade e harmonia, com estratégia e sabedoria!

Oração dá discernimento espiritual para a realização das obras divinas no mundo!

Oração gera ação comunitária, reavivamento e reforma!




sábado, 27 de agosto de 2016

Neemias 1 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Neemias 1

Comentários do Pr. Heber Toth Armí

A oração é o meio de atingir alvos impossíveis, por conectar seres limitados ao Deus todo-poderoso. Oração é uma forma simples de se comunicar com o maior Soberano do Universo.

O livro de Esdras terminou com oração, e, na sequência, o de Neemias começou com oração. Certamente, Deus usa pessoas que oram, dependem dEle e agem conforme Seus planos.

• Neemias tornou-se instrumento de Deus ao orar e jejuar intensa e sinceramente (vs. 1-4);

• Os primeiros passos de Neemias na realização de algo foram orações intencionais e fervorosas, avançou dedicando-se à oração e chegou ao topo de seus planos pautados pela oração: “Ele inicia o livro com a transição completa de uma súplica pelo povo da aliança (1.5-11), finalizando-a com quatro petições ‘lembra-te de mim’, das quais a última é sua assinatura (13.14,22,29,31), e, no curso da narrativa, sai um pouco do rumo para registrar várias outras orações (J. I. Packer).

Horas dispensadas em oração e jejum, clamor e súplica em prol de um alvo que exige ação não é desperdício de tempo; pelo contrário, é o único meio de obter verdadeiro sucesso na obra de Deus num mundo tomado por inimigos do Seu eterno reino.

O exemplo de Neemias, sua intenção e planos, sua forma de agir e decidir demonstram serem corretas as palavras de Rick Warren: “As pessoas podem recusar o nosso amor ou rejeitar nossas palavras, mas não têm defesas contra nossas orações” (Rick Warren). Neemias lidaria com pessoas, tanto seu chefe (v. 11) como os membros de seu povo – que estava em péssimas condições após retornarem do exílio para Jerusalém (v. 3).

É certo o que disse Bill Rybels que, “quando nós temos o hábito de orar, nós ficamos constantemente sintonizados na presença de Deus e abertos a receber Suas bênçãos”. A bênção que Deus derramou sobre Neemias devido a sua vida de oração foi tão grande que, como veremos, abençoou imensamente ao remanescente de Deus.

A oração de Neemias revelou seu conhecimento e grande compromisso com a Palavra de Deus (vs. 7-9, conf. Dt. 28:14; 30:1-4). Realmente, conhecimento bíblico é essencial para que nossa oração tenha foco certo!

Tudo o que fizermos precisa ser pautado pela Palavra de Deus! Até mesmo nossas orações em prol de nossas ações! – Heber Toth Armí /


sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Esdras 10 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 10

Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Carecemos de pessoas verdadeiramente consagradas que estejam realmente interessadas em nossa salvação. Precisamos aprender dos grandes ícones espirituais a fim de experimentar o reavivamento que estes líderes contemplaram.
Esdras, no versículo 1...
1. Chorou,
2. Curvou-se,
3. Orou, e
4. Confessou.

Consequentemente, o povo em pecado, nos versículos 2-3...
1. Aproximou-se,
2. Confessou os pecados,
3. Dispôs-se a abandonar o pecado: Dispensar as esposas pagãs.
Influenciados pela oração e exemplo de contrição de Esdras, o povo reconheceu seus pecados e pediu-lhe que liderasse uma reforma; então, ele continuou...
• Jejuando, e
• Chorando por causa do povo (vs. 4-6).

“Os propósitos de Esdras eram altos e santos; em tudo o que fizera fora movido por um profundo amor pelas almas. A compaixão e bondade que revelava para com os que haviam pecado, fosse em plena função da vontade, fosse por ignorância, deveria ser uma lição objetiva a todos os que procurassem promover reformas. Os servos de Deus devem ser tão firmes como a rocha onde retos princípios estiverem envolvidos; mas do mesmo modo devem manifestar simpatia e longanimidade” (Ellen G. White).

• O povo deu a sugestão, não foi imposição de Esdras. Os transgressores abandonariam radicalmente seus pecados de jugo desigual, despediriam a esposa pagã. Um tribunal ficou responsável por resolver essa questão de forma legal mesmo em época de chuva. Foram três meses de burocracia, mas os princípios bíblicos prevaleceram (vs. 7-14).
• Um número insignificante opôs-se à solução ao problema (vs. 15-17). Tem gente que não larga o problema, ainda quer que os outros se apeguem também a ele. Porém, a democracia, às vezes, é positiva.
• O livro termina com um tom negativo, falando dos casamentos mistos, a razão da depravação do povo de Deus. Desta forma, o livro mostra o quanto o remanescente ainda precisa amadurecer espiritualmente (vs. 18-44).

“O livro de Esdras é um estudo sobre reavivamento. Quando as pessoas aplicarem a verdade da Palavra de Deus em sua vida, quando os santos orarem, intercederem e houver confissão seguida do afastamento de pecados reconhecidos, a igreja receberá poder para realizar coisas grandiosas para Deus” (William MacDonald).

A Palavra de Deus precisa ser central na vida de todo povo de Deus – creio ser essa a ênfase do livro de Esdras para nós.
Reavivemo-nos! Heber Toth Armí /


Esdras 9 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 9
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Quem se dispõe a colocar Deus em primeiro lugar e no centro de tudo decidirá e fará somente aquilo que é da Sua vontade, seja na igreja ou no trabalho, no namoro e no casamento. O alvo diário não será os próprios interesses, mas sempre os de Deus.

Contudo, o povo de Esdras colocou seus próprios interesses acima dos interesses divinos; então, o destino dos judeus rumou-se para o plano do diabo. Observe a sequência:

1. Líderes e oficiais do povo de Deus uniram-se a mulheres pagãs e enveredaram para práticas perversas/imorais dos povos pagãos (vs. 1-2);

2. Note a atitude de Esdras diante destes fatos, em suas palavras: “rasguei minha roupa – até minha túnica – arranquei cabelo da cabeça e da barba e me joguei no chão, desesperado” (v. 3).

3. No sacrifício da tarde, Esdras criou coragem e com as vestes rasgadas não se levantou para condenar e/ou acusar o povo transgressor, mesmo sabendo que os mesmos pecados praticados levaram os pais dos ex-exilados ao cativeiro. Ele assumiu a culpa do povo baseando-se no caráter incomparavelmente misericordioso de Deus e pôs-se a orar, interceder perante Deus, pelo povo. (vs. 4-15).

Casamentos com pessoas que não têm as mesmas crenças na Bíblia, certamente trarão mais males que bênçãos. O dilúvio foi necessário porque tais casamentos enfraqueceram tanto o povo de Deus que resultou na multiplicação da maldade e no aumento da imoralidade. Por isso, Deus precisou tomar atitudes drásticas (Gênesis 6:1-6).

Visando preservar a espiritualidade das famílias de Seus filhos e o processo de desenvolvimento da fé no ambiente familiar, Deus foi categórico em proibir casamentos com quem não tinha compromisso com Ele (Êxodo 34:14-16), pois enfraqueceria e desviaria a nação/igreja inteira dos trilhos que levam ao Céu (Deuteronômio 7:1-6; Josué 23:11-13).

Apesar dessa terrível transgressão, Esdras fez o que muitos reformadores espirituais ignoram: Interceder com compaixão pelos transgressores.

• Diante de qualquer problema do povo de Deus não podemos nos precipitar com atitudes drásticas para inibir ou resolver a situação;
• Os transgressores precisam de intercessores mais do que os santos;
• Os acusadores dos transgressores são agentes do destruidor, não do Salvador.

Duas lições: 1) Case para a glória de Deus; e, 2) interceda por quem casou para sua própria glória.
Vamos orar?

          http://moracao.blogspot.com.br/

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Esdras 8 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 8
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

A pregação hoje é diferente da pregação do século XIX. Antigamente pregava-se a um público conhecedor das Escrituras, atualmente prega-se a um público analfabeto nas Escrituras. No passado, os sermões duravam aproximadamente uma hora; no presente, passar de meia hora torna-se enfadonho...

A pregação do capítulo anterior levou a uma reforma na comunidade dos exilados que retornaram a Jerusalém. A pregação da Palavra de Deus é essencial para colocar as coisas em ordem. O impacto dessa Palavra quando proclamada corretamente é nítido: Ela rege o pregador e o ouvinte!

Warren Wiersbe observa que Esdras:
1. Mostrou-se sábio ao reunir dezoito chefes de família do povo, sabendo que esses homens poderiam influenciar seus parentes, o que de fato aconteceu (vs. 1-20).
2. Mostrou sua confiança em Deus. A abordagem dele em relação à viagem foi espiritual, pois, se a boa mão do Senhor não tivesse estado com ele, tudo teria dado errado (vs. 21-23).
3. Mostrou autoridade em chamar os líderes espirituais a assumirem compromissos de cuidarem dos tesouros do Senhor (vs. 24-30).
4. Mostrou como foi difícil a jornada de Babilônia até ali em Jerusalém:
• Chegada (v. 31);
• Descanso (v. 32);
• Levantamento (vs. 33-34);
• Adoração (v. 35);
• Autorização (v. 36).

Esdras está contando num sermão sua experiência desde a saída de Babilônia até chegar em Jerusalém. Além de preservar Seu povo, Deus estava protegendo Sua Palavra. Observe esse histórico:

“Moisés escreveu aquilo que Deus lhe disse (Êx 24:4, 12; Dt 28:58; 29:21; 30:10; 31:9, 19, 24) e também manteve um registro das jornadas de Israel (Nm 33:2). Deixou para Josué o ‘Livro da Lei’ (Js 1:8), ao qual Josué acrescentou seu próprio registro (23:6). Samuel escreveu nesse livro (1 Sm 10:25), e outros também fizeram acréscimos (1 Cr 29:29). Ao que parece, o Livro da Lei ‘perdeu-se’ no lugar menos provável de todos – o templo – e foi recuperado no tempo de Josias (2 Cr 34-35). Os escribas judeus copiaram as Escrituras com cuidado e precisão extremos, a fim de guardá-las da corrupção textual. Graças a fidelidade desses homens e à providência de Deus, temos as Escrituras nos dias de hoje” (Wiersbe).

Esdras andou cerca de quatro meses (1500 km) para pregar a Palavra! Então... vamos valorizar mais a Bíblia? Heber Toth Armí /

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Esdras 7 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 7

Comentários do Pr. Heber Toth Armí

ESDRAS 7 – Deus tem grandes alvos para cada membro de Seu povo. “Um membro dedicado, que ama a Cristo, fará mais bem na igreja do que uma centena de obreiros meio convertidos, não santificados e autoconfiantes” destacou Ellen G. White.

O capítulo em pauta pode ser assim dividido:
• A genealogia de Esdras, um sacerdote e escriba (vs. 1-5);
• Breve relato do retorno do cativeiro (vs. 6-10);
• Uma cópia do decreto de Artaxerxes (vs. 11-26);
• A gratidão de Esdras (vs. 27-28).

Estamos diante do último grande reavivamento registrado no Antigo Testamento. Sua base foi a pregação bíblica e o exemplo de vida religiosa de Esdras. A liderança espiritual de Esdras causou um impacto nacional.

Esdras “buscava a lei de Deus, obedecia a ela e a ensinava. Era um homem de amplos conhecimentos; mas, com o passar dos anos, desejou aprender novas coisas sobre a história de Israel e as razões para sua atual debilidade espiritual. Almejava estar em harmonia com Deus e cumprir o concerto do qual Israel se desviara tantas vezes”. Ele “era apenas um homem; sua vida teve, porém, significativa influência no desenvolvimento do caráter de jovens e idosos. Sua fidelidade em preservar e transcrever muitas cópias dos escritos sagrados conduziu a um reavivamento no estudo da Bíblia e a nova compreensão do desígnio de Deus para a igreja. Isso nos mostra qual é a parte que as Escrituras desempenham no verdadeiro reavivamento e reforma” (Frank Holbrook).

A Bíblia não é lida como deveria. Muitos crentes nem a leem. Quando leem, não fazem questão de entendê-la. Quando entendem, não se esforçam para praticá-la; uns poucos que praticam, não a comunicam a outros.

Esdras é ícone da pregação que produziu reavivamento espiritual em toda uma nação. Comentando sobre isso, Hernandes Dias Lopes declarou:

“O melhor exemplo que temos no Antigo Testamento sobre a pregação expositiva talvez seja Esdras. Ela era expositor por excelência”.

Como Esdras, precisamos...
1. Ter um coração preparado e dedicado ao estudo da Bíblia;
2. Estar disposto a praticar tudo o que aprendemos na Bíblia;
3. Compartilhar profusamente com outros os ensinos da Bíblia.
Atualmente a Bíblia não está sendo usada nos púlpitos como deveria, porque os três passos acima estão sendo ignorados pelos pregadores pós-modernos.

Então, vamos fazer a diferença? Heber Toth Armí /  #rpsp  #rbhw  #ebiblico


terça-feira, 23 de agosto de 2016

Esdras 6 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 6

Comentários do Pr. Heber Toth Armí

A maior satisfação humana está em realizar os projetos divinos. A sensação é incomparável, mesmo tendo enfrentado ferrenhas oposições infundadas.

Derek Kidner sintetiza o capítulo em questão nos seguintes tópicos:
• O decreto de Ciro redescoberto (vs. 1-5);
• Dario autoriza a obra (vs. 6-12);
• Conclusão (vs. 13-15);
• O templo é dedicado (vs. 16-18);
• Uma páscoa prazerosa (vs. 19-22).

Nós, seres humanos, somos extremamente limitados para as grandes obras de Deus a serem feitas neste mundo dominado pela oposição ao bem. O templo foi concluído em 12 de março 515 a.C., quando o decreto de Ciro autorizando sua reconstrução foi em 538/537 a.C

Os que investem tempo, talento e tesouro nas coisas de Deus em benefício espiritual dos pecadores e no avanço do reino de Deus no mundo, são as pessoas mais felizes e produtivas.

• Adam Clark investiu 40 anos de sua vida para realizar um comentário de toda a Bíblia;
• Noah Webster investiu 36 anos para elaborar um dicionário, cruzando o oceano duas vezes em busca de material visando oferecer dados mais corretos;
• John Milton interrompia seu sono diariamente às 4 h da madrugada para compor e reescrever poemas que se tornaram parte da melhor literatura do mundo.

• Edward Gibbon dedicou 26 anos escrevendo “O declínio e queda do Império Romano”, o qual é um monumento para a pesquisa histórica.

• William C. Bryant reescreveu 100 vezes uma de suas obras-primas visando alcançar beleza poética e perfeição de expressão.

Fazer coisas incríveis que marcam a história exige muito daqueles que se dedicam a fazer bem feito o que sonham para a humanidade. Contudo, o prazer de colocar toda a força, habilidade, tempo e recursos numa obra, não tem preço que pague e não se compara o mais nada.

As dificuldades existentes na elaboração de algo, servem para aprimorar o sonho e a convicção para agir com mais dedicação o que precisa ser feito. Foi assim que os judeus terminaram a reconstrução do templo e assim muitos concluem grandes feitos.

Quando o povo busca a Deus para fazer Sua vontade e Deus Se inclina para ajudar Seu povo, nada e nem ninguém conseguirá impedir a satisfação de concluir uma obra divina no mundo.

Anima-te! Arregace as mangas, faça alguma coisa importante e útil!
Reavivemo-nos!
Heber Toth Armí / #rpsp #rbhw #ebiblico




segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Esdras 5 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 5

Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Se pessoas grandes ou pequenas, fortes ou fracas, influentes ou líderes políticos se oporem a você, fique do lado de Deus e tudo dará certo. Se Deus estiver a seu favor e muitas pessoas se levantarem contra, espere por tua vitória e pela derrota de quem se alia ao inimigo do povo de Deus.

• Deus envia dois profetas para pregar aos judeus, com toda autoridade celestial, para motivar a obra parada mais de 15 anos. Empolgados, reavivados e dispostos a agir, nem mesmo a reiteração das ameaças dos oponentes lograram parar novamente os judeus. “Deus estava com os líderes dos judeus; por isso, a obra não foi interrompida até Dario ser informado e enviar resposta oficial” (vs. 1-5).
• O governador do território a oeste do Eufrates, Tatenai, enviou carta oficial ao rei Dario, pedindo-lhe que verificasse a construção. Embora bem formal, a missiva testemunhava de Deus a Dario. Remetentes e destinatários estavam sendo impactados pelo Deus verdadeiro (vs. 6-17).

No capítulo 3 foi dada a reconstrução do templo após o retorno do cativeiro babilônico. No capítulo 4, a reconstrução foi paralisada e a razão é a oposição dos vizinhos dos judeus. Agora, no capítulo 5, a reconstrução foi retomada e “está sendo executada com empenho e rapidez”.

O povo judeu, embora livre do exílio babilônico, nesse período estava sob o domínio persa, por isso precisava autorização legal. Contudo, Deus lida com burocracias e resolve os dilemas levantados pelos oponentes de Sua obra na terra; a qual, neste caso, avançou mediante:
• A própria supervisão do Deus da obra (v. 5);
• A pregação motivadora dos profetas enviados por Deus (vs. 1-2);
• A liderança ousada de Zorobabel e Jesua (v. 2).

A grandeza de um líder espiritual não é medida pelo sucesso em tudo o que faz, mas como reage nos momentos desafiadores. Zorobabel e Jesua aprenderam a lidar com a oposição. Ageu e Zacarias tiveram que ser intrépidos em relação aos fortes oponentes e diante da inanição dos judeus.
• Liderar certamente envolve assumir responsabilidades maiores que os desafios, ainda mais a liderança espiritual.

Os “participantes do remanescente [que retornaram à Jerusalém] não desfrutaram frequentemente de uma vida fácil, mas fruíram do favor de Deus” (Paul R. House).
Avancemos com Deus, apesar dos obstáculos! Reavivemo-nos!
Heber Toth Armí / #rpsp #rbhw #ebiblico


sábado, 20 de agosto de 2016

Esdras 4 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 4
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Nem tudo é pacífico neste planeta. Desafios existem ao tentar alcançar qualquer alvo nobre. Ainda mais quando se quer fazer o que Deus quer que façamos; pois, fazer a vontade do diabo sempre parece mais fácil.

O comentário introdutório de Warren W. Wiersbe sobre este capítulo nos chama a atenção para uma triste constatação:

“Desde o princípio, o remanescente sofreu oposição de uma população mista que se encontrava na terra e que não queria que os judeus ocupassem Jerusalém e reconstruísse o templo. Com frequência, a oportunidade e a oposição andam juntas, e quanto maior a oportunidade, maior a oposição”.

Logo após, Wiersbe destaca os seguintes itens:

• A cooperação que leva à transigência (vs. 1-3);
• A acusação que leva ao medo (vs. 4, 5, 25);
• Mais oposição à obra de Deus (vs. 6-23).

Sempre que alguém se dispõe e liderar a obra de Deus, a promover um reavivamento, ou mesmo investir em um templo para Deus, haverá fortes oposições. Adversários críticos e diversos problemas surgem de onde ninguém imagina!

• Quando pessoas partem para a ação em relação ao plano de Deus neste planeta, é retirada a tranquilidade e a paz de Satanás, o qual fica irado!
• Satanás usa pessoas e estratégias variadas. Ele tem inúmeras fórmulas para intentar paralisar o desenvolvimento da obra de Deus.
• Sempre que pessoas despertam para a obra de Deus, antigos inimigos mostram suas garras com estratégias bem elaboradas e com ações aparentemente bem intencionadas.

No texto, Satanás usou...
• ...estratégias samaritanas sob o governo de Ciro (vs. 1-5);
• ...táticas samaritanas sob os governos de Xerxes e Artarxerxes (vs. 6-23).

Quem oferece ajuda com segundas intenções (vs. 1-2), e recebe um “não” como resposta (v. 3), intentará incomodar/perturbar e ameaçar visando impedir o avanço dos planos divinos (vs. 4-7). Inclusive cartas diplomáticas oficiais podem ser redigidas apresentando uma política perversa de quem pretende difamar (vs. 8-16). Às vezes, as estratégias diabólicas dão certo – Infelizmente!

Lamentavelmente Satanás consegue o que quer em suas investidas contra o povo de Deus: “Assim, a reconstrução do templo do Eterno em Jerusalém foi interrompida. Nada foi feito até o segundo ano do reinado de Dario, rei da Pérsia” (v. 24, AM). Portanto, recorramos a Deus; mas jamais desfaleçamos!

Persista: Ore, jejue, avance! Nunca desista!
Heber Toth Armí / #rpsp #rbhw #ebiblico


Esdras 3 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 3
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Existem livros bíblicos que não recebem o mesmo tratamento que outros. Assim, crentes deixam de receber nutrientes que Deus deixou em Sua Palavra para instruir-nos e fortalecer nossa fé.

Quem ouviu ou pregou sermões expositivos extraídos do livro de Esdras? Eis diante de nós um livro relevante, onde há um Deus aparentemente distante, mas atuante em meio às crises que desafiam nossa existência. Deus libertou da Babilônia e protegeu os libertos na caminhada de quase 1500 km até Jerusalém.

Este capítulo, intitulado “altar e templo” é assim sintetizado por Derek Kidner:

1. Primeiro o primeiro (vs. 1-6a);
2. Preparativos para o templo (vs. 6b-9);
3. Clímax e anticlímax (vs. 10-13).

Apesar do perigo, desafios e supostas ameaças, o medo não deve determinar nenhuma decisão e atitude do povo de Deus. Contudo, não importa a situação, Deus deve ser sempre o primeiro. Devemos adorá-lO sempre.

As práticas eclesiásticas não são negligenciadas quando o medo é sufocado pela determinação de servir ao Senhor.

Apesar da escassez e crises econômicas, Deus nunca deve ser deixado em segundo plano – pior ainda é substituí-lo por coisas insignificantes ou apegar-se ao dinheiro como mais importante que Deus.

Quem idolatra dinheiro expulsa Deus de sua vida. Por outro lado, quem é liberto da escravidão do pecado é generoso em suas ofertas para a obra divina.

Quando Deus é levado a sério, Sua obra é feita sob o cuidado de supervisores. Para Deus, sempre o melhor!

Quando há sério investimento de tempo e recursos na obra de Deus, a satisfação, alegria e entusiasmo na adoração toma conta do coração dos crentes: há louvores, pulos de alegria, cânticos alegres e choros nostálgicos – consequentemente, “o barulho podia ser ouvido de longe”.

Choro e alegria? Sim! É assim que vive os extremos de duas gerações: Nostalgia dos velhos e alegria dos novos. Os jovens celebravam porque teriam novamente um templo. Os velhos choravam por lembrarem-se do Templo de Salomão.

• É perigoso ignorar o passado, mas também o é viver apenas do passado.
• É necessário aproveitar a experiência dos anos vividos com a força da juventude!
• É preciso existir harmonia entre a nova geração e a velha guarda – esta lição era importante no passado tanto quanto é no presente!

Reavivamento depende de tuas prioridades!  Heber Toth Armí / –#rpsp #rbhw #ebiblico

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Esdras 2 Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Esdras 2

Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Nem tudo é como queremos. Até mesmo a liberdade é ruim por causa de nossas escolhas erradas. Israel foi liberto do exílio babilônico, mas a dura realidade que encontraram não foi nada agradável.

“A história não foi favorável para o povo de Israel, por isso, a nação estava em declínio. A Babilônia, uma superpotência militar, havia derrotado Israel, deixando suas cidades e templo em ruínas, e havia levado a população para o exílio. Agora, cento e vinte oito anos depois, alguns judeus estão de volta a Jerusalém e tentam recomeçar tudo: uma árdua tarefa que se arrasta por décadas. Mas a situação não era boa. Estavam se segurando pelas pontas dos dedos. Até que chegou Esdras”.

Estas são palavras introdutórias escritas por Eugene H. Peterson. Ele continua, e, suas explicações merecem nossa atenção:

“Esse é um caso extremo de uma história muito familiar, que se repete de diversas maneiras na maioria das épocas e em diversos lugares do mundo. Homens e mulheres que encontram sua identidade básica em Deus, à medida que Deus se revela em Israel e no Messias, não estão obtendo muito êxito. De fato, nunca tiveram. E nunca terão. A identidade deles está sob constante desafio e ameaça, às vezes por ataque frontal, outras por sedução sutil e sorrateira. Seja por ataque, seja por sedução, o povo de Deus chegou, várias vezes e muito perigosamente, próximo da extinção. Nunca estamos fora de perigo”.

O capítulo em questão pode ser assim dividido (conforme F. Charles Fensham) para facilitar nossa compreensão:

1. Introdução (vs. 1-2a);
2. Leigos identificados pela relação familiar (vs. 2b-20);
3. Leigos identificados pelos nomes dos lugares (vs. 21-25);
4. Sacerdotes (vs. 36-39);
5. Levitas, cantores e porteiros (vs. 40-42);
6. Serventes do templo (vs. 43-54);
7. Serventes de Salomão (vs. 55-58);
8. Os que não podem provar sua linhagem (vs. 59-63);
9. Totais (vs. 64-67);
10. Localização dos repatriados (v. 70).

O que me chama a atenção destes que voltaram é a disposição de doar recursos para a reconstrução do templo: Quinhentos quilos de ouro, três toneladas de prata e cem vestes sacerdotais.

A situação caótica em que se encontra o povo de Deus nunca deve tirar Deus do centro e do primeiro lugar de nossa vida!  Heber Toth Armí / –#rpsp #rbhw #ebiblico


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...