Receba mensagens em seu Email

sábado, 30 de abril de 2016

1 Reis 3 Comentários– Heber Toth Armí

Leitura Bíblica –1 Reis  3
Comentários– Heber Toth Armí

O pastor Ted Wilson escreveu que “segundo a interpretação profética adventista do sétimo dia e a aplicação hermenêutica correta das Escrituras, estamos vivendo no tempo do fim. Nossa necessidade não é de solução política, militar nem social, mas de retornar ao fundamento certo: à segurança da Palavra de Deus”.

Dedique, então, tempo para ler o capítulo supracitado. Depois observe:

Salomão começa bem. Recebe uma oportunidade de ouro. O Rei dos reis lhe aparece em sonhos. Oferece-lhe o que quiser. Desta forma, ainda que nunca fora plano de Deus que Israel tivesse reis humanos, cada uma das ações divinas visavam conduzir o gigantesco trem descarrilhado de volta ao trilho. Mesmo que para isso tivesse que fazê-lo andar fora dos trilhos.

Deus havia guiado a Davi, mesmo com suas quedas horríveis diante das terríveis armadilhas de Satanás. Agora, Deus está diante de Salomão, oferecendo-lhe a possibilidade de ter o que quisesse. Humildemente, Salomão pediu sabedoria para administrar o reino de Israel. Um dia Jesus viria com sabedoria superior à de Salomão para assentar-se no trono de Davi com objetivo de colocar o trem novamente nos trilhos.

Observe as lições extraídas da sabedoria presenteada por Deus a Salomão. Há preciosos princípios bíblicos relevantes:

• A sabedoria verdadeira é dom de Deus, não pode ser fabricada nos laboratórios humanos nem comprada em nenhum dos mercados do mundo.

• A sabedoria humana é falha, assim sabedoria pura jamais pode ser conquistada em nenhuma das mais sofisticadas universidades de renomes do mundo.

• Quem vai a Deus em busca de Sua sabedoria recebe mais do que pede. Junto ao pacote de sabedoria, vão outros pacotes surpresas.

• Diante das dificuldades da vida, quem pedir sabedoria divina, Deus a concederá abundantemente (Tiago 1:2-5).

• A sabedoria celestial embutida na mente humana é muito mais prática que teórica, visa solucionar problemas das pessoas, promover paz onde há discórdia, e ministrar o bem aos necessitados.

• Os pecadores regidos pela sabedoria divina discernem o erro, dissolvem intrigas, contendas e problemas alheios, construindo o reino de Deus baseado no bem, na paz e na harmonia.

Jesus já veio e morreu como humano. Contudo, miraculosamente ressuscitou. Portanto, voltará à Terra com Seu poder divino como Rei dos reis.

Seja sábio, entre logo nos trilhos da Palavra de Deus! – Heber Toth Armí

Reavivemo-nos! /Heber Toth Armí /


sexta-feira, 29 de abril de 2016

1 Reis 2 Comentários– Heber Toth Armí

Leitura Bíblica –1 Reis  2 
Comentários– Heber Toth Armí

Mais que um manual de instrução, a Bíblia é um manual de vida! Desviar-se dela significa preferir o caminho da morte.

Após ler o capítulo bíblico, avance a leitura deste comentário com oração e atenção. Primeiramente, note o panorama geral deste segundo capítulo do primeiro livro de Reis:

1. Antes de morrer Davi aconselha sabiamente a seu filho Salomão (vs. 1-12);
2. Antes de assumir propriamente a regência de Israel, Salomão teve que fazer uma faxina radical, resolver algumas pendências deixadas por seu pai:

a) Adonias foi morto por ter praticado o pecado da sedição (vs. 13-25);
b) Abiatar, sacerdote que apoiou Adonias em suas ambições políticas, embora expulso do cargo, permaneceria vivo, devido ao serviço leal a Davi (vs. 26-27);
c) Joabe, executado pelos seus erros passados e por sua associação traiçoeira com Adonias (vs. 28-35);
d) Simei, ainda que praticara muitas injustiças, viveria sob condicional; mas, após ultrapassar o limite acordado com Salomão, foi morto (vs. 36-46).

A monarquia humana geralmente foi marcada pela autoridade e assassinato a fim de ser estabilizada. Seria plano divino?

Reflita na última sentença deste capítulo escrito pelo autor inspirado conforme traduzido do hebraico ao português na Bíblia de Jerusalém: “E a realeza então consolidou-se nas mãos de Salomão”.

A Bíblia de estudo Andrews faz a seguinte síntese: “Este capítulo narra como o reino foi assegurado nas mãos de Salomão. Começou com as instruções de Davi ao filho sobre como executar justiça, proteger seus aliados e eliminar inimigos em potencial”.

Por mais que esteja dando certo, nunca tinha sido plano de Deus que Seu povo tivesse um rei à parte dEle. Jim Zackrison amplia esta questão dizendo que, “Israel, por ter escolhido um rei, haveria de sofrer para o resto de seus dias por sua decisão desastrada”. Contudo, Deus estava sendo paciente, amoroso e gracioso. Por isso, diz Zackrison:

“Como devemos ser todos gratos por Deus ainda estar disposto a trabalhar conosco, não importando como tenhamos errado o caminho”.

Certamente, Deus...

• ...cede, abre mão e adapta-Se para não perder as pessoas criadas a Sua imagem e semelhança;
• ...ajuda, abençoa e guia até quando Seus filhos descambam por caminhos que Ele nunca traçou.
• ...merece mesmo nossa devoção, amor e adoração!
•...é Rei dos reis!

Reavivemo-nos! /Heber Toth Armí /


quinta-feira, 28 de abril de 2016

1 Reis 1 Comentários– Heber Toth Armí

Leitura Bíblica –2 Reis  1 
Comentários– Heber Toth Armí

I REIS 1 – Iniciando a leitura deste livro avançamos em nosso projeto de reavivamento espiritual através da Palavra de Deus. Nos capítulos subsequentes analisaremos a história sagrada, o agir de Deus e Seu plano, focando a realeza hebraica.

Os livros de Reis abarcam aproximadamente “quatrocentos anos em pouco mais de 50.000 palavras”, conforme relata Charles G. Martin; portanto, muitas informações são extremamente limitadas. O escritor inspirado ocupou-se somente no que realmente importa. Desta forma, aquilo que está revelado é essencialmente relevante!

Na abertura do livro destacam-se os seguintes pontos:

• A velhice chega até ao menino fiel e corajoso que enfrento terríveis gigantes e desafios colossais: Após ter colecionado vitórias Davi estava tão envelhecido que foi preciso arranjar uma moça para aquecê-lo em seu leito gelado (vs. 1-4).

• Quem não busca a Deus, nem Seus planos, buscará oportunidades nas debilidades alheias visando alcançar ambições pessoais: O vaidoso Adonias, irmão de Absalão, acreditou ser ele o sucessor do trono de seu pai; aproveitando a fragilidade de Davi devido à idade avançada, “mexeu os pauzinhos” para sua autocoroação (vs. 5-10).

• Nas grandes vicissitudes mundiais um pequeno remanescente trabalha pelo avanço dos planos divinos: Natã e Bate-Seba comunicaram a Davi aquilo que ninguém havia lhe informado. Adonias, sabendo que estava errado, para a sua coroação não enviara convites ao profeta Natã, a Benaia, à guarda pessoal de Davi, a Salomão, e nem mesmo a Davi (vs. 11-29).

• A frouxidão na educação deverá ser quebrada com rigidez na vida adulta: Davi mimara demasiadamente a Adonias, mas agora precisará ser firme para que as consequências não corrompam os planos de Deus (vs. 30-40).

• O seguinte adágio geralmente revela verdades: “Quem deve, teme”. Adonias sabia que estava errado, portanto, ficou apavorado, morrendo de medo de morrer. Graciosamente, Salomão o acalmou! (vs. 41-53).

Após os eventos negativos na regência de Saul e os desafios enfrentados por Davi no estabelecimento da monarquia israelita, Salomão entra em cena para reinar. (Lembrando que Salomão era filho de Davi com a ex-mulher do falecido Urias: Deus não culpa os filhos pelos erros dos pais). Não sendo nada fácil, somente pela graça divina operando nas desgraças dos pecadores, que prosperou o estabelecimento do trono davídico.

Verdade bíblica: A graça divina age inclusive na desgraça humana!
Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí./Heber Toth Armí /


quarta-feira, 27 de abril de 2016

2 Samuel 24 Comentários– Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 24 
Comentários– Heber Toth Armí

O livro de II Samuel terminou no capítulo 20. Desde o capítulo 21 são apenas apêndices, os quais não deixam de ser inspirados e tão relevantes a nós como qualquer outra porção bíblica.

Concluindo nosso estudo nos livros de Samuel importa destacar esta aplicação expressa por Rosalie Haffner Lee:

“O relato da vida de Davi serve para relembrar-nos que, não importa quão estranha seja a nossa vida, quanto nos afastamos do plano de Deus para nós, ou quão penosas as circunstâncias em que nos encontramos, o amor e a misericórdia de Deus são maiores do que o nosso pecado, e a Sua salvação é mais ampla do que a nossa necessidade”.

Davi fez muitas coisas erradas. Assim como nós, ele não precisava ingressar numa escola de pecado para aprender a praticá-lo; como nós, ele também precisava permitir ser instruído pelo Mestre Divino a fim de amadurecer espiritualmente.

No último capítulo de II Samuel, notam-se os seguintes pontos:

• Primeiro, Deus permitiu que Satanás provasse Davi. Davi cedeu e caiu na sutil armadilha diabólica (v. 1; ver I Crônicas 21:1).

• Segundo, Davi permitiu que Satanás aplicasse orgulho e autoconfiança ao seu coração (vs. 2-9).

• Terceiro, Davi vê a propagação coletiva de seu pecado individual aprendendo que, qualquer pecado, por mais sutil que seja, é extremamente maligno; então, ele reconheceu e confessou sua culpa por ter desviado o povo de Deus com suas atitudes (vs. 10-17).

• Quarto, Deus orientou Davi através de Seu profeta Gade a erigir um altar para sacrificar nele; fazendo isso, cessaria a praga sobre Israel. Em breve, no lugar deste altar, seria erigido um templo ao Senhor (vs. 18-25).

Neste último apêndice, o autor inspirado mostra que, como pecador, Davi pode facilmente ser comparado a nós; e, também revela que Deus é incomparável. O Deus incomparavelmente misericordioso do passado é o mesmo no presente. Só precisamos ser humildes para aprender dEle como Davi aprendeu:

“Cria em mim, ó Deus,
Um coração puro
E renova dentro de mim
Um espírito inabalável.
Não me repulses de tua presença,
Nem me retires o teu Santo Espírito”.

Diante de nossa situação de miseráveis pecadores perante o Deus descrito nas páginas sagradas, seria orgulho e arrogância não fazer da oração de Davi nossa oração. Reavivemo-nos! /Heber Toth Armí /


terça-feira, 26 de abril de 2016

2 Samuel 23 Comentários– Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 23 

Comentários– Heber Toth Armí

Todo grande pecador precisa de um Salvador maior que seus pecados. Mas, para isso, a devoção Àquele que, unicamente, resolve nossa situação oferecendo-nos salvação, deve ser tão real como a realidade de nossas transgressões.

Falando sobre Davi, Paul R. House sintetiza: “Ele peca, mas sempre volta para Yahweh, o que demonstra que no íntimo está comprometido com o Senhor. Davi falha, contudo avança em seguida na direção de Deus. Desse modo, sua devoção é tão real quanto seu pecado”.

Certamente, Davi revela que Deus sempre foi Sua prioridade. Diferentemente de Saul que, quanto mais tempo vivia, mais afastava-se de Deus, as últimas palavras de Davi revelam poeticamente sua exemplar devoção a Deus (vs. 1-7).

House também observa que Davi “em dois poemas ele canta acerca da ajuda divina (22.1-51; 23.1-7), contudo também depende da ajuda de seres humanos inescrupulosos (21.15-22; 23.8-29)”. Após o cântico, o texto apresenta nomes de homens valentes:

• Os três principais e primeiros valentes de Davi são: Josebete-Bassebete, Eleazar, e, Samá. O relato destaca façanhas e proezas destes três valentes que ajudaram, apoiaram e lutaram por Davi (vs. 8-12).

• Além destes três, há outros valentes em destaque: Abisai e Benaia (vs. 13-23).

• Há mais trinta guerreiros citados por nomes (vs. 24-39).
Embora fosse grande pecador, Davi submeteu-se ao grande Salvador. Isso faz toda diferença! Por isso, Davi também foi um grande guerreiro; um grande rei, quem deu início ao ungido trono messiânico; e, um grande profeta, e também sacerdote (Atos 2:30; Salmo 110:4).

Antes de apresentar os valentes, o autor inspirado apresentou o que, na visão de Ellen G. White é “um cântico de confiança, do mais sublime princípio, e fé imortal”. Desta forma, observando o capítulo inteiro, captamos grandes aplicações, importantes aos cristãos do século XXI:

1. Como igreja, precisamos ser dependentes de Deus, contudo, importa usar nossas forças e habilidades para derrotar as portas do inferno que obstaculizam o caminho ao céu.

2. O texto inspirado visa inspirar a sermos crentes corajosos, ousados e habilidosos ao avançar enfrentando oposições no engajamento dos planos divinos.

3. Todo membro da igreja cristã deve unir suas forças para que o reino de Deus avance sobre o reino das trevas.

Reflita: Se priorizarmos Deus em nossa vida, faremos proezas!–/Heber Toth Armí /


segunda-feira, 25 de abril de 2016

2 Samuel 22 Comentários– Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 22

Comentários– Heber Toth Armí

Nas palavras de Kay Arthur, este capítulo “está repleto de reflexões maravilhosas sobre Deus e o que significa tê-lO como seu Deus. Queremos que leia este capítulo aos pedacinhos para ter tempo suficiente de meditar em seus magníficos preceitos para a vida”.

Arthur concluiu que, “observar essas reflexões ministrará ao seu coração”. Então, ele sugeriu: “Quando terminar, fale com Deus sobre o que aprendeu a respeito dEle. Peça-Lhe que mostre como essas verdades podem ser realizadas em sua vida e em seguida passe algum tempo adorando-O e agradecendo pelo que Ele é”.

Mergulhemos profundamente no texto bíblico:

• Primariamente, esse Salmo se aplica a Davi: O segundo rei de Israel estava a salvo de seus inimigos; seu reino estava unido e estabilizado; Deus havia proporcionado grandes bênçãos em sua vida e ministério. Tudo isso era razão de abrir o coração e elevar louvores e adoração ao Deus todo-poderoso e todo-misericordioso.

• Em segundo lugar, esse Salmo possui ênfase messiânica: Reiterado no Salmo 18, as palavras poéticas proferidas por Davi tornaram-se relevantes pela autoridade do Espírito Santo; também reiteradas no Novo Testamento: Hebreus 2:13; e, Romanos 15:9.

• Finalmente, esse Salmo tem um aspecto profético: Há nele citações que apontam para o futuro, quando o Messias, em Sua segunda vinda, destruirá Seus inimigos e estabelecerá Seu reino eterno.

Esse Salmo inspirado pelo Espírito Santo é magnífico, profundo e impactante. O teólogo Paul R. House declarou que neste Salmo “Davi entende que os grandes atos de Deus a seu favor merecem louvor devido ao caráter de Yahweh. Assim, o cântico de confissão encontrado em 2Samuel 22:1-51 ressalta a importância da adoração na vida de Davi”.

Preste atenção nestas aplicações:

• Quem tem a Deus como o primeiro em Sua vida sabe por experiência que é Ele Quem salva, protege e sustenta. Neste mundo inseguro, só nEle há verdadeiro refúgio (vs. 1-3).
• Orar, clamar e suplicar ao Senhor nunca será em vão àquele que depende totalmente dEle até nas horas críticas da existência (vs. 4-29).
• Deus age capacitando-nos para enfrentar as vicissitudes deste mundo (vs. 30-46).
• Precisamos adorar a Deus por prometer vitórias sobre todo sofrimento através do Messias, nosso soberano Salvador Jesus (vs. 47-51).

Tudo que temos e somos devemos a Deus! Rendemos-Lhe constantes louvores! Ele merece! –/Heber Toth Armí /


domingo, 24 de abril de 2016

2 Samuel 21 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 21

Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Lendo este capítulo estamos quase concluindo nossa reflexão no segundo livro de Samuel. Visualizando o conteúdo inspirado desde o primeiro livro da Bíblia, é fácil perceber que...

• Desde quando Satanás penetrou nosso planeta, a história mundial foi marcada por grande conflito entre o bem e o mal, o qual é bem percebido pelo povo de Deus.

Sendo privilegiados com a Palavra de Deus acessível a nós, podemos conhecer o caminho do bem para, então, desviarmos das avenidas do mal que tem o inferno como destino.

A Bíblia é um livro diferente, incomparável, com temas sublimes. Ela foi escrita por homens, mas sobrenaturalmente inspirada pelo Espírito Santo. Analisando os capítulos 21 a 24 do livro bíblico em apreço, onde está revelado o final do reinado de Davi, o Comentário Bíblico Africano destaca:

“Estes capítulos estão organizados de acordo com um requintado plano literário: dois relatos de pragas, um no começo e outro no final (21:1-14; 24:1-25), duas listas (21:15-22; 23:8-39) e, no meio, duas canções (22:1-51; 23:1-7)”.

Precisamente no capítulo em foco, destacam-se estes pontos:

1. A falha de Saul e as consequências de um voto desrespeitado; e, o evidente o amor de Rispa como mãe. Desta forma, a literatura bíblica evidencia as consequências das más atitudes, mas também exalta o exuberante amor de uma mãe (vs. 1-14).

2. Os pequenos podem vencer gigantes no poder de Deus. O menor alcança vitória sobre o menor quando existe confiança no Senhor. A literatura bíblica não esconde a força do mal; contudo, revela também a vitória dos débeis que dependem dEle (vs. 15-22).

O texto bíblico não despreza, nem humilha ou desvaloriza a figura feminina. O texto inspirado revela características sobressalientes e relevantes das mulheres na sociedade:

• A sabedoria da mulher vale mais que a força de milhares de homens; o que seria do mundo sem o toque feminino? (sobre essa verdade, confira II Samuel 19).
• O papel da mãe é importante para todo homem, e, o amor da mãe, que é incomparável, é essencial e vital em toda cultura, povo e nação.

Reflita: Alimentar preconceito à Bíblia é obstáculo à sua interpretação. A superficialidade e falta de familiaridade com Seu Autor são barreiras que inviabilizam a valorização do Livro mais importante do mundo!/Heber Toth Armí /



sábado, 23 de abril de 2016

2 Samuel 20 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 20

Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

O sofrimento intenso de Davi registrado na Bíblia tem muitos objetivos, um deles é ajudar-nos a evitar o sofrimento causado pelo pecado. Temos de seguir seu exemplo positivo, porém fugir de suas atitudes negativas.

“Durante praticamente uma década do reinado de Davi as solenes palavras proferidas por Natã se cumpriram realisticamente. Começando pela imoralidade de Amnom, e prosseguindo até a supressão da rebelião de Seba, o mal foi fomentado na própria casa de Davi” destaca Samuel J. Schultz.

Veja a síntese deste capítulo, conforme Matthew Henry esboçou:

1. Antes que Davi chegasse a Jerusalém, uma nova rebelião é levantada por Seba (vs. 1-2).
2. Sua primeira obra, quando veio a Jerusalém, é condenar suas concubinas à prisão perpétua (v. 3).
3. Amasa, a quem confia a missão de levantar um exército contra Seba, é lento demais em suas ações, o que o atemoriza (vs. 4-6).
4. Um dos seus generais o assassina barbaramente, quando estavam no campo de batalha (vs. 7-13).
5. Seba finalmente está preso na cidade de Abel (vs. 14-15), mas os cidadãos o entregam a Joabe, assim a sua rebelião é esmagada (vs. 16-22).
6. O capítulo conclui com um breve relato dos grandes oficiais de Davi (vs. 23-26).

O grande conflito teve início no Céu, e, ao Satanás ser expulso de lá veio para a Terra. O conflito continuou desde que Adão e Eva cederam espaço ao pecado. Desde então houve guerras, desavenças, vinganças, rebelião, separação, contendas, assassinato, tragédias, etc.

Prossiga atentamente...

• Pessoas que lideram ao povo de Deus no cumprimento dos propósitos divinos neste mundo enfrentarão fortes oposições, lidarão com sérias rebeliões e, encararão tremendas conspirações (vs. 1-3);

• Dentre o povo de Deus sempre alguém levantará a bandeira do Céu, enfrentará ao mal, e porá o exército de Belial, os filhos do diabo, para correr (vs. 4-13);

• Deus, lá do Céu, intervém na história aqui da Terra, administrando toda situação a fim de que o mal não vença ao bem (vs. 14-22);

• Deus tem um exército de combatentes de gigantes do mal neste mundo (vs. 22-25).

Fuja do pecado para não perder tuas forças contra as fortes investidas do mal. Aprenda das falhas de Davi; mas, principalmente da sua postura frente aos inimigos dos planos divinos!– /Heber Toth Armí /


quinta-feira, 21 de abril de 2016

2 Samuel 19 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 19
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Deixe Cristo reformar aquilo que o pecado deformou em você! A Bíblia tem grande participação em nossa transformação. Quanto mais você abandonar o pecado que mata, para buscar a Cristo, mais vivificado serás, pois Ele é fonte de vida!

Davi era excelente rei, mas péssimo pai. Seus filhos estavam extraviados, ele entristecido. Sua vida demonstra que nenhum sucesso compensa o fracasso da família. Não há honra ser rei respeitado pelos súditos nem mérito quando se está de luto por um filho que morreu tentando lhe matar.

• O fracasso no lar pode levar ao fracasso profissional: Joabe repreendeu o rei Davi por negligenciar o bem-estar dos israelitas (vs. 1-8).

• Para agir com responsabilidade em prol de um povo, às vezes será necessário sacrificar os sentimentos oriundos dos sofrimentos causados pela irresponsabilidade na educação (vs. 9-10). “Iniciou-se um movimento para restaurar Davi ao trono. ‘Por que vos calais e não fazeis voltar o rei?’ é uma pergunta apropriada para a igreja apática de hoje”, afirma William MacDonald.

• É necessário sabedoria e perdão para resolver a situação causada por negligência espiritual (vs. 11-15). MacDonald também comenta: “Davi resolveu remover Joabe do comando do exército (provavelmente por ter matado Absalão) e colocou Amasa em seu lugar. Pouco tempo antes, Amasa, sobrinho de Davi, havia comandando as tropas de Absalão. Para alguém de fora, pode parecer que o rei puniu a lealdade e recompensou a rebelião, uma política de governo que dificilmente poderia trazer estabilidade. Sua decisão, porém, moveu [...] o coração de todos os homens de Judá em favor dele, e lhe enviaram uma mensagem unânime de boas-vindas”.

• Tratar com cortesia, amabilidade e compaixão qualquer pessoa é uma forma de permitir que Deus aja através de nós para auxiliar e restaurar o estrago que causamos em Seus planos para nossa vida. Davi perdoou Simei, saiu para receber bem a Mefibosete após ouvir fofoca sobre ele, e ainda valorizou o velho Barzilai (vs. 16-39).

• Embora inveja atrapalhava, Deus, através de Sua graça e misericórdia operava a reunificação do governo davídico. Desta forma, os efeitos bombásticos do pecado ainda continuavam no reino de Davi (vs. 40-43); e, Deus também!

“Senhor, reconhecemos que falhamos. Perdoa-nos. Carecemos de ajuda para lidar com as consequências de nossas escolhas erradas! Fortalece-nos!” – /Heber Toth Armí /

quarta-feira, 20 de abril de 2016

II Samuel 18 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 18
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Este capítulo é rico e cheio de preciosas aplicações! Leia-o com oração e alcançarás pérolas espirituais de grande valor...

Lúcifer usou sua habilidade, criatividade e liberdade para inventar o pecado. A partir daí suas características são nítidas nas pessoas que caem do nível do pecado da desobediência ao da rebeldia. Contudo, notam-se, também, traços de Deus nos filhos dEle:

• Absalão trilhou o mesmo caminho de Lúcifer, aventurou-se pela estrada da vaidade e ambição (vs. 9, 18; Ezequiel 28:16-17).

• Absalão levou boa parte do povo de Deus a participar da rebelião, assim como Lúcifer conquistou o coração da terça parte dos anjos (v. 7; Apocalipse 12:3-4).

• Absalão intentou usurpar através da guerra ao trono dado por Deus a Davi, da mesma forma que Lúcifer intentou usurpar ao trono de Deus (vs. 1-6; Ezequiel 28:13-16).

• Davi experimentou o desafio da rebeldia de seu filho, assim como Deus provou o enfrentamento bélico de Lúcifer e seus anjos (vs. 7-17; Apocalipse 12:7-9).

• Davi amou imensamente e desejou o bem de seu filho rebelde, assim como Deus amou a Lúcifer mesmo quando este O atacava (vs. 5, 19-32; Isaías 14:12-15).

• Davi chorou pela morte de seu filho Absalão, o que ilustra a tristeza de Deus pela rebelião de Lúcifer que, por sua nova personalidade formada pelo pecado tornou-se Diabo e Satanás (v. 33; Apocalipse 12:10).

O pecado é impetuoso em sua função destrutiva. Ele tornou Lúcifer, um anjo de luz, em Diabo e Satanás; arrastou a terça parte dos anjos; levou à morte mais de 20.000 homens de Israel, em batalha contra Davi; tornou o príncipe Absalão, o pai da paz, em ícone da rebelião contra os planos divinos.

Um dia Lúcifer terá fim como teve Absalão (Apocalipse 20). E, quem estiver com ele morrerá como os mais de 20.000 homens do exército de Absalão. Precisamos precaver-nos para que não participemos do exército do maligno; devemos ser membros do povo de Deus, então sairemos vencedores.

Precisamos abandonar avenidas do inferno para entrar pelo caminho do Céu (João 14:6); pois, em breve, o mal será eliminado! Nesse momento, o coração de Deus ficará partido porque muitos de Seus filhos preferiram a rebelião antes que Jesus – a salvação (Isaías 28:21).

A quem você reflete: Cristo ou o Diabo?


II Samuel 17 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 17

20/04/2016 #rpsp
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

A destruição dos planos de Deus é o objetivo incessante de Satanás. Contudo, os planos divinos para tua vida não ruirão se tua confiança estiver firmada no Senhor, apesar das falhas, imprudências e quedas espirituais.

Absalão queria usurpar o trono de Davi, seu pai. Aquele que não hesitou matar seu irmão Amnon, estava determinado a matar seu pai. Sobre essa guerra civil entre pai e filho, Warren W. Wiersbe observou:

“Absalão estava confiando em seu charme, em sua popularidade, em seu exército e na sabedoria de Aitofel, porém Davi confiava no Senhor [Salmo 61:1, 2]”.

1. Absalão chamou dois conselheiros: Aitofel e Husai:
• Aitofel sugeriu-lhe agilidade, intrepidez e ação imediata com apenas 12.000 homens à noite no combate a Davi – o que teria dado certo, Davi seria derrotado (vs. 1-13);
• Husai deu um conselho mais bem elaborado, aparentemente mais seguro e certeiro; mas sua execução seria mais morosa e daria tempo para avisar a Davi (vs. 14-22).

2. Sabendo Aitofel da decisão de Absalão sobre a aceitação do plano de Husai, com seu discernimento aguçado visualizou a derrota do filho do rei; então, suicidou-se (v. 23).

3. Deus cuidava de tudo: Dissipou o bom conselho de Aitofel (v. 14), preservou a vida e proveu sustento ao rei escolhido por Ele (vs. 24-29).

O pecado traz terríveis consequências. Davi está colhendo o que plantou; todavia, Davi “manifestou disposição para receber a correção de Deus e, confiante, voltou-se para Ele como Sua única esperança. Deus recompensou a humilde confiança que Davi depositou nEle, anulando o conselho de Aitofel e preservando-lhe a vida”, comenta Ellen G. White.

Note estes princípios:

1. Está claro no currículo de Davi que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus; confiando nEle, veremos esse princípio em nossa vida também (Romanos 8:28).

2. Assim como no relato o filho queria a morte do pai, por amor a Deus atraímos ódio mortal de pessoas descomprometidas com Ele (Romanos 8:36).

3. Contudo, absolutamente nada (nem tribulação, nem angústia, nem perseguição, nem fome, nem nudez, nem perigo, nem espada) nos separa do amor de Cristo; e, se Deus é por nós, quem será contra nós? (Romanos 8:31-35).

Então, por que não reavivar tua confiança em Deus? Entregue-se! Confie! – 


terça-feira, 19 de abril de 2016

2 Samuel 16 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 16
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

A melhor coisa que podemos fazer, e o maior bem que podemos promover em prol de nossa vida, família, igreja e comunidade, é desprezar veementemente ao pecado, ao mal e à imoralidade. Deveríamos usar toda habilidade, recursos e forças para combater a promiscuidade, a corrupção e a perversidade em nosso redor.

Você nunca sabe até onde o pecado te levará. Você não consegue mensurar os tremendos efeitos do mal em tua vida. Então, censure o mal, rejeite o pecado, fuja da imoralidade, para que vivas feliz e tomado de satisfação, não de humilhação.

O capítulo de nosso estudo apresenta os seguintes pontos:

• Ziba propõe ardilosa mentira a Davi sobre o que dissera Mefibosete. Aproveitando-se do contexto, Ziba disse a Davi que Mefibosete conspirava contra ele (vs. 1-4); confira como a mentira tem pernas curtas no capítulo 19:24-30.

• Simei, contrariando a lei expressa em Êxodo 22:28, amaldiçoava ao rei instituído por Deus: Ele acusava, criticava e insultava a Davi com palavras torpes, ferinas e cruéis, além de atirar-lhe pedras e torrões como se fosse cachorro (vs. 9-14).

• Aitofel, avô de Bate-Seba, cujas palavras eram respeitadíssimas, dá conselho absurdamente perverso promovendo imoralidade à vista do povo de Deus: Sugere-se que Absalão se relacionasse sexualmente com as concubinas de seu pai, o rei Davi (vs. 15, 20-23).

• Absalão, atendendo prontamente ao conselho de Aitofel, “armou uma tenda no terraço, à vista de todos, e deitou-se com as concubinas de Davi”, seu pai (vs. 21-22). Essa abominação resultou do pecado de Davi, confira no capítulo 12:11-12.

• Husai, servindo Davi coloca-se a serviço de Absalão visando ofuscar os conselhos do sábio Aitofel, os quais eram considerados “infalíveis” (vs. 15-19).

Reflita:
Deus perdoa pecadores arrependidos; entretanto, o pecado não perdoa suas vítimas. Sem dó e piedade o pecado vai destruindo como furacão. Davi aceita a humilhação, pois sabe que está sofrendo por seus erros. Verdadeiramente, ele espera no Senhor, o único Salvador.

Davi experimentou o sabor amargo do pecado que cometera. Jesus também experimentou o gosto amargo do pecado, embora não cometera nenhum. É que, verdadeiramente, Ele tomou sobre Si os pecados de Davi e também os nossos, visando libertar-nos da consequência eterna de nossas imprudências.

Amigos... Jesus é nossa única Esperança! Portanto, rendamo-nos a Ele! Reavivemo-nos! /Heber Toth Armí /


segunda-feira, 18 de abril de 2016

2 Samuel 15 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 15
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

O mel do pecado dura apenas momentos; porém, seu fel dura a vida inteira. Satanás joga sujo e, a desgraça é o resultado de jogar com ele.

Davi sofreu demais: Ele enfrentou situações dolorosíssimas, as quais podemos evitá-las, pois seus erros revelados na Bíblia visam alertar-nos.

• O pecado de Davi deu brechas para o desenvolvimento de pecados na vida de seu filho Absalão, o qual carinhosamente “roubava o coração” do povo, visando usurpar o trono de seu pai (vs. 1-13).

• O aclamado rei Davi precisou fugir das artimanhas de alta periculosidade engenhada por seu filho contra ele. Ameaças de morte nunca apartaram de sua casa após seu pecado escancarado, explícito e premeditado; esse é o salário exigido pelo pecado (vs. 14-27).

O relato inspirado revela Davi humilhado subindo chorando e descalço no monte das Oliveiras. Os soldados que estavam com ele também choravam enquanto subiam.

Absalão era bondoso, amigável, cortês e amável com todos os que o procuravam na política. Contudo, além dele ser falso em seus propósitos, mentia em relação a seu pai. Desta forma, ele usava a política para beneficiar-se.

Diante disso, destacam-se dois pontos relevantes para nossa caminhada no reavivamento pela Palavra de Deus:

1. Praticar o bem nem sempre significa fazer o que é certo; pode-se praticar o bem e agir com afetividade possuindo intenções diabólicas.

2. Fazer o bem com segundas intenções torna o “bem” em “mal”. Absalão, maquiando o “mal” com “bem”, organizou estratégia maquiavélica levando grande parte do povo de Deus a pecar cegamente, o que resultou numa rebelião coletiva contra Deus e Seus planos no mundo.

Assim, fica óbvio que os pecados dos pais acarretam seríssimos problemas na vida dos filhos. Portanto, devemos consagrar nossa a vida a Deus e devotá-la totalmente a Seu serviço para que o pecado não faça horrendos estragos em nossa família.

Cuidado:

• O pecado não presta.
• O mal é a raiz do caos.
• A ruindade é a mãe da rebelião. 
• O ódio é o pai das desavenças.
• O pecado causa confusão tentando encontrar solução para a alma em conflito.
• O pecado mascara o bem.
• O pecado cobra um preço muito alto.
• O pecado humilha e destrói até quem ocupa alto posto na sociedade.

Imediatamente, clamemos: “Senhor, reaviva-nos hoje!” /Heber Toth Armí /


domingo, 17 de abril de 2016

II Samuel 14 Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Leitura Bíblica – II Samuel 14
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Antes de aprender com a inspiração deste capítulo, é importante relembrar quem é Absalão:

• Primeiramente, ele é filho Maaca, uma das esposas de Davi (3:3);
• Segundo, vingador de sua irmã Tamar, estuprada por seu irmão Amnom (13:14):
• Terceiro, assassino de seu irmão Amnom (13:22-28);
• Quarto, fugitivo da casa de seus pais (13:37).

Moacir da Cunha Viana observa que, “depois do assassinato de Amnom, fugiu Absalão para a corte de Talmai, em Gesur. Três anos depois pediram a Davi que permitisse a volta de seu filho para Jerusalém, no que ele anuiu; mas não quis vê-lo senão passados mais dois anos dando-lhe, no fim desse tempo, o beijo da reconciliação. Era agora Absalão, entre os filhos sobreviventes, o mais velho de Davi, mas receando ser suplantado pelo filho de Bate-Seba, procurou obter popularidade, mantendo ao mesmo tempo uma esplêndida corte. Por fim, revoltou-se contra seu pai, e a princípio foi bem-sucedido; mas depois foi capturado e morto por Joabe, apesar da proibição de Davi, que ainda muito amava a seu filho”.

• Atenção: Possuir beleza, destreza, liderança, força, talento e influência não garantem verdadeiro sucesso. 

Absalão tinha tudo isso, mas sucumbiu ainda jovem sem deixar nenhum bom legado às gerações futuras. Seu nome possui paz (shalom), mas seu coração vivia em conflito.

• Mimar demasiadamente aos filhos, dar rédeas à permissividade na educação, faltar com a disciplina corretiva, dar brechas à entrada do pecado no lar, farão que tal pai seja humilhado pelos filhos e afligidos por suas ameaças.
• Ausência de disciplina gera filhos fracos, indecisos, indiferentes. Precisamos de sabedoria do Pai Celestial para educar filhos corretamente neste mundo imoral.
• Pais frouxos geram filhos revoltados!

As lições extraídas de Absalão são úteis quando aprendemos a não trilhar seu caminho. Hernandes Dias Lopes atesta três atitudes que macularam sua vida:

1. Mágoa, ausência de perdão;
2. Fuga, ausência de diálogo;
3. Conspiração, ausência de lealdade.

Mágoas, ausência de lealdade e diálogo refletem ausência de Deus no íntimo. O bálsamo refrescante do perdão divino é capaz de restaurar qualquer situação por mais complexa que seja. Deus pode arrancar maus sentimentos de nossa alma e, semear no lugar boas sementes que produzirão frutos do Espírito, conforme descritos em Gálatas 5:22-23.

Peçamos ao Senhor: “Ajude-nos produzir bons frutos!” /Heber Toth Armí /


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...