Receba mensagens em seu Email

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Último cântico – Deuteronômio 32

Leitura Bíblica – Deuteronômio  32

Último cântico
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

A música cantada por Moisés foi ordenada por Deus, destinada ao povo de Deus, para que o povo cantasse e servisse de testemunha contra os negligentes dos ensinamentos contidos na música (Deuteronômio 31:19, 30).

Destacam-se neste cântico os seguintes pontos:

1. Um cântico com objetivo definido: Reafirmar o compromisso humano com Deus tendo céus e terra por testemunhas (vs. 1-3);

2. Proclamação da fidelidade impecável de Deus e corrupção irregenerável do povo (vs. 4-9);

3. Anúncio da bondade de Deus na formação de um povo neste mundo de pecado, confusão e morte (vs. 10-14);

4. Reconhecimento de que a abundância material induz ao abandono espiritual de Deus a tal ponto de cultuar aos demônios (vs. 15-18).

5. Assimilação do juízo divino sobre a corrupção física, moral, social e espiritual e, a ação da graça e bondade de Deus impondo limite ao Seu julgamento (vs. 19-27);

6. Aceitação da insensatez que caracterizou o comportamento humano diante de tanta sabedoria oferecida por Deus ao Seu povo (vs. 28-33);

7. Compreensão da misericórdia imensurável de Deus ao vindicar Seu povo no futuro para revelar Seu caráter perante todo o Universo (vs. 34-43).

Esta canção assimilada no coração era a teologia que Deus queria que o povo construísse sua história, moldasse seu caráter e regesse sua vida pessoal, familiar e coletiva. O futuro de todos dependia de uma vida desprendida da cultura pagã (vs. 44-47). E o nosso futuro?

Moisés está para dar o último suspiro. A lição aqui: Deus mostra que o fim de nossa história altera conforme vivemos a submissão a Ele (vs. 48-52).

Moisés cantou ao transpor o Mar Vermelho e compôs outra canção no final da vida. Este último cântico “tem sido considerado ‘como a chave de toda a profecia’, por se referir à origem de Israel como nação, à ingratidão e à apostasia do povo e, finalmente, ao castigo que sofreu e à restauração que, graças ao Senhor, o elevou à dignidade primitiva. O tema é o nome do Senhor, o carinho com que tratou o Seu povo, a justiça e a misericórdia com que o distinguiu. Abrange a história do povo eleito desde a criação do Universo até ao Dia do Juízo final” (G. T. Manley).

Reflita no que aprendeu!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...