Receba mensagens em seu Email

domingo, 20 de dezembro de 2015

Projeto RPSP-Deuteronômio 9

Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica: Deuterônômio 9
Comentários: Norman Gulley

Chegou para Israel o dia de atravessar o Jordão e entrar em Canaã. Moisés iria morrer, assim como morreu a primeira geração que saiu do Egito. O orgulho momentâneo de Moisés ao bater na rocha não era característico dele. Mas Deus teve de lidar com o este orgulho para que ele não se espalhasse por todo Israel.

Era hora de ir para casa: Moisés para o Céu, e Israel para a terra prometida. O povo da terra era maior e mais poderoso do que Israel. E incluíam os descendentes dos anaquins, os gigantes que Israel temeu quarenta anos antes. Havia até uma pergunta bem conhecida na época: "Quem pode estar diante do descendente de Anaque?"

Pouco antes de o Israel contemporâneo passar pelo Jordão para possuir a Canaã celestial, a mesma questão é levantada: "Quem é como a besta? Quem pode guerrear contra ela? "(Apocalipse 13:4b NVI). A confederação global no fim dos tempos (Ap 13:1-4), apoiada pelos reis da terra, será o gigante final (Ap. 17:12-13). A história irá se repetir. Assim como Moisés disse, "o Senhor, o seu Deus, Ele mesmo, vai adiante de você como um fogo consumidor. Ele os exterminará e os subjugará diante de você" (9:3 NVI), assim, no final dos tempos os gigantes finais "guerrearão contra o Cordeiro, mas o  Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; e vencerão com Ele os Seus chamados, escolhidos e fiéis" (Apocalipse 17:14 NVI).

Pouco antes das duas travessias do Jordão para entrar nas duas terras de Canaã (antiga e celestial) Deus derrota os gigantes em favor de Seu povo.

Mas há uma grande diferença entre as duas histórias. Quando o povo de Deus estiver para ser levado no Segundo Advento, será humilde e dependente nEle. Quando o antigo Israel deixou o Egito era teimoso e rebelde, ao ponto de a moldar um bezerro para adoração, enquanto Moisés recebia as primeiras tábuas escritas por Deus. Quando Deus propôs fazer uma nova nação a partir da descendência de Moisés, este rogou pelo povo, pois se Ele os destruísse, os inimigos de Deus exclamariam: "Olhem! Deus libertou Israel do Egito apenas para destruí-los no deserto!" "Ele prometeu dar-lhes a terra prometida e não o fez. Que tipo de Deus é Ele!?"  

Moisés não buscou honra para si próprio. Ele queria que Deus fosse honrado. Moisés se prostrou por quarenta dias e noites, a mesma quantidade de tempo que ele tinha estado no Monte Sinai com Deus. Foram oitenta dias e noites sem comida, mas Deus miraculosamente o preservou. Que grande Deus nós temos!

Deus advertiu Israel de que eles não iriam obter a vitória sobre os seus inimigos porque eles eram justos mas porque os inimigos eram maus. No fim do tempo, o moderno Israel de Deus de Israel não vai receber o crédito por sua vitória contra o gigante prestes a exterminá-lo (Apocalipse 13:15), mas glorificará somente a Deus sozinho pela vitória. Eles cantarão o cântico de Moisés e do Cordeiro: "Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações. Quem não te temerá, ó Senhor? Quem não glorificará o teu nome? Pois tu somente és santo. Todas as nações virão à tua presença e te adorarão, pois os teus atos de justiças se tornaram manifestos."(Ap 15:3-4 NVI).

Deus será vindicado.

Dependamos dEle hoje! Assim, dependeremos dEle no final.

Norman Gulley

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...