Receba mensagens em seu Email

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Números 32 Comentários: Fred Knopper

Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica: Números 31
Comentários: Fred Knopper

Quando as tribos de Rúben e Gade pediram a Moisés para permanecer no lado leste do rio Jordão e lá viver, Moisés entendeu que eles estavam abandonando a luta e imediatamente os confrontou, dizendo: “Vocês querem ficar aqui enquanto os seus patrícios vão para a guerra? Será que vocês querem desanimar o povo de Israel para que não entre na terra que o SENHOR lhe está dando?"(Números 32:67 BLH).

Agora, para crédito destas duas tribos, essa suposição não pareceu ser a sua verdadeira intenção. Sua resposta (começando no versículo 16) indica que eles estavam dispostos a lutar com o resto das tribos para conquistar toda a terra prometida. Mas antes que eles possam defender-se verbalmente, Moisés passa a descrever a rebelião da geração anterior e como ele vê essa solicitação de Rúben e Gade na mesma luz, chamando-os de "uma nova geração de pecadores" (v. 14, versão Good News Translation). Moisés então conclui dizendo que essa atitude pode, de fato, resultar em mais 40 anos de peregrinação no deserto. É claro a partir de sua reação que Moisés estava realmente cansado, talvez mesmo um pouco desanimado, devido à atitude constante de rebelião exibido pelo povo durante todo o livro de Números. Moisés representava a imagem paterna para o povo e ele provavelmente via essa nação como filhos voluntariosos e desafiadores. Neste caso, porém, Moisés havia chegado a uma conclusão muito rapidamente, aliás, uma tendência humana comum.

Quantas vezes nós presumimos o pior em vez do melhor em outra pessoa e suas intenções? O apóstolo Paulo nos adverte que parte do amor é assumir o melhor e não o pior nos outros, e não os ficar permanentemente confrontando com seus erros. O amor "não mantém um registro dos erros; o amor sempre supõe o melhor." (1 Cor 13:05, versão Clear Word).

A próxima vez que alguém se aproximar de você com um comentário, dúvida ou solicitação, lembre-se deste episódio da vida de Moisés e considere como sua resposta pode desencorajar ou animar. Em seu livro Taming Tension (Domando a Tensão), Phillip Keller escreve: "É algo solene perceber que temos a felicidade de outros em nossas mãos. O que eu fiz hoje? O que eu disse neste dia? O que eu escrevi? Onde eu estive? O que minhas atitudes colaboraram nestas últimas vinte e quatro horas para aumentar a soma total de felicidade de outros?"
[...]
Possam nossas vidas continuamente refletir a graça transformadora de Deus de forma que a nossa influência e nossa resposta a outros sejam transbordantes da fragrância do amor.
Fred Knopper


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...