Receba mensagens em seu Email

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Deuterônômio 18 Comentários: John Ash

Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica: Deuterônômio 18

Comentários: John Ash

Moisés deveria estabelecer seis cidades de refúgio dentre as 48 cidades dadas aos levitas. As cidades de refúgio eram lugares para onde poderia fugir uma pessoa que houvesse matado alguém acidentalmente. A cidade proporcionava asilo para o fugitivo abrigando-o e protegendo-o  até que um julgamento justo pudesse ser realizado para determinar a sua culpa ou inocência. Se, no julgamento dos anciãos da cidade, a morte houvesse ocorrido acidentalmente e sem intenção, o homem recebia permissão para ficar na cidade de refúgio, sem medo de dano ou vingança por familiares do morto.

As cidades de refúgio refletem o próprio Deus. No Salmo 46:1 Ele diz: "Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações [ou "na angústia"]." Mais de 15 outras vezes, os Salmos falam de Deus como nosso refúgio.

Jesus, "Deus conosco", é o nosso refúgio real. Assim como  as  antigas cidades de refúgio, Jesus sempre esteve ao alcance e aberto a todos, e não apenas para os israelitas. Mas há uma distinção crucial entre as cidades de refúgio e o nosso refúgio em Jesus. As antigas cidades de refúgio só ajudavam o inocente, aqueles que mataram alguém acidentalmente, mas os culpados podem vir a Jesus. E isso vale para todos nós, "Porque todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus." (Romanos 3:23)

'Querido Deus, nós somos culpados. Admitimos. Obrigado por ser um refúgio acessível onde podemos nos abrigar. Em Ti buscamos perdão e purificação" (I João 1:9).

John Ash
União Missão Chinesa
Hong Kong
imagens do google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...