Receba mensagens em seu Email

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Cidades de Refúgio– Deuteronômio 19

Leitura Bíblica – Deuteronômio  19

Cidades de Refúgio
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Se você se sente o pior pecador, não fuja de Cristo, fuja para Cristo. Se você é assassino, estuprador, pedófilo, ladrão, ou algum tipo de criminoso, não precisa fugir... Saiba onde existe segurança.

Desde o início do pecado, Deus esteve sempre criando estratégias para proteger, alcançar e restaurar o transgressor. Deus revelou que sabe o potencial do pecado em nós, mas Seu potencial para salvar-nos é maior que o potencial do pecado.

O capítulo em apreço contém orientações para construção das cidades-refúgio. Embora Números 35 já fizesse referência e esse assunto, Moisés, neste sermão, o relembra; para que, após sua morte e a entrada do povo em Canaã não fossem esquecidas estas construções.

Mas, atenção!

• Deus não “passa a mão na cabeça” daquele que pratica o mal premeditadamente. Seu objetivo com as cidades de refúgio não era propagar o mal, mas eliminar o mal. Deus não quer que seja vingado aquele que, acidentalmente, cometeu um crime; por isso, as seis cidades de refúgio (vs. 1-10).

• Se o criminoso é ruim, perverso, cruel e, só está usando tais cidades para preservar sua vida para, então, continuar destruindo vidas, ele deve ser entregue nas mãos do familiar vingador das vítimas que ele destruiu (vs. 11-13). Claro, nossa legislação hoje é diferente.

• Contudo, o que é evidente para nós hoje destas regras que deveriam ser vigente antigamente, é a intenção divina acabar com o mal entre a humanidade (vs. 14-21).

Diante de qualquer acusação era necessário ter duas testemunhas verdadeiras. Entendido corretamente, Deus pretendia inibir o mal, não criar vingadores ou fofoqueiros. Por isso...

1. Um processo legal deveria analisar cada caso (vs. 14-17)
2. A testemunha falsa estava sujeita à pena de morte (vs. 18-20).
3. A sentença não deveria ultrapassar ao crime cometido (v. 21).
Estas orientações “não eram uma licença para a vingança, era um princípio legal que limitava o castigo, fazendo que este se apegasse ao crime cometido” (L. John McConville).

Deus quer destruir o mal!

Pode-se dizer que atualmente as igrejas são cidades-refúgio e, no tribunal celestial cada caso será decidido. Nesta ocasião, os anjos serão testemunhas.

Se você fez qualquer coisa que te trouxe o incômodo da culpa, corra imediatamente para Jesus, Ele é o refúgio que você precisa! Heber Toth Armí


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...