Receba mensagens em seu Email

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Alimentos puros e impuros

Leitura Bíblica  - Levitico 11

Alimentos puros e impuros
Comentários  Heber Toth Armí

Fumar e beber são pecados? No processo de consagração/santificação muitos desconsideram o item alimentação, para Deus é relevante.

Muitos que afirmam serem servos de Deus absorvem culturas mundanas quando Deus espera que vivam a cultura celestial neste mundo contaminado pelo pecado.

Cristãos aceitam que o apóstolo Pedro tenha citado Levítico 11:44-45 referente ao imperativo divino sobre ser santo como Deus (I Pedro 1:15-16); mas esquecem de aderir ao regime alimentar prescrito pelo Deus que exige santidade (Levítico 11:2-43).

As leis sobre animais puros e impuros/imundos, referente ao que pode e ao que não pode comer (vs. 46-47) não são mosaicas. Moisés não é o autor destas leis, mas apenas o transmissor. Quem, então, as inventou?

O versículo 1 declara que Deus comunicou estas leis a Moisés e a Arão. Assim, declaradamente a Bíblia revela que é o próprio Deus Criador dos seres humanos e dos animais que liberou comer algumas carnes e proibiu muitas outras.

Comer carne de porco e seus derivados como bacon, toicinho, calabresa, mortadela, etc. tanto quanto comer camarão, lagostas, frutos do mar, etc. ou garça, coruja, gavião, etc., ou repteis, contamina o templo do Espírito Santo, pois tais carnes são abomináveis/repugnáveis a Deus.

Princípio espiritual: O que é abominável a Deus deve ser também para seus seguidores (vs. 12-13, 20, 23, 41-43). Toda carne imunda ingerida torna qualquer indivíduo imundo perante Deus.

Considere atentamente:
1. O texto sagrado não deixa implícito que a restrição alimentar imunda esteja ligado à saúde ou higiene, mas deixa explícito que tem a ver com santidade.

2. Como a Palavra de Deus não caduca e nem é exclusiva a um povo especial, a graça destas orientações alimentares destina-se a todos os que atentam para a revelação divina.

3. Estudada com atenção esta porção das Sagradas Escrituras percebe-se que a preocupação de Deus vai além da contaminação física; alcança a contaminação interior, a alma humana. Consequentemente, afeta/deteriora a espiritualidade.

4. Especialistas no estudo da Bíblia declaram que “é historicamente inimaginável que Jesus tenha ensinado coisas contrárias às leis alimentares da Torah” (David J. Rudolph).

Não considere insignificante o que Deus considera importante.

O gosto pessoal/paladar nunca deve estar acima da vontade divina. Jamais devemos desprezar/ignorar/rejeitar qualquer palavra que sai da boca de Deus.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...