Receba mensagens em seu Email

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Advertências divinas

Leitura Bíblica - Levítico 20

Advertências divinas
Comentários: Pr.  Heber Toth Armí

Práticas religiosas pagãs, por mais comoventes que sejam a ponto de entregar um filho para ser queimado em sacrifício, não gera um mínimo de santidade.

Moloque era um deus pagão representando qualquer idolatria – fazia parte da cultura religiosa que causava repulsa em Deus (vs. 1-5).

Nem todo caminho leva a Deus, nem toda forma de religião é aprovada por Ele. Pelo contrário, por mais sincero que alguém seja no erro, o erro nunca deixará de ser opção errada. Deus não apenas condena o espiritualismo/ espiritismo/ ocultismo, mas Ele abomina quem envereda-se para estas práticas. Tudo isso não passa de corrupção da verdadeira religião (v. 6).

Deus tem um alvo muito elevado, pois nos quer distantes do pecado! O pecado mata. Quem peca assina sua sentença de morte!

1. Pecar contra os primeiros mandamentos resulta em pena de morte (vs. 1-6);
2. Deus apela ao Seu povo a viver em santidade: Não amaldiçoar pais, não adulterar nem perverter/deturpar/corromper o sexo para não assinar a sentença de morte (vs. 7-21);
3. Deus quer pureza de Seu povo liberto por Ele, Sua graça opera para transformar o que o pecado deformou. Deus relembra que quem é santificado não come porcarias (vs. 22-26);
4. Deus condena o espiritismo novamente ao concluir o capítulo (v. 27).

Parece que este capítulo reitera assuntos do capítulo 18, mas não. Este enfatiza a pena de morte para pecados daquele.

Refletindo sobre pena capital, José Flores Junior diz que o mandamento “Não matarás” proíbe o assassinato, que difere da pena de morte, a qual resulta de crimes hediondos. “Desde o princípio, Deus permitiu que o povo de Israel” diz ele, “aplicasse a pena capital para tipos específicos de transgressão. [ver Gênesis 9:6]. Aqui se encontra a primeira referência bíblica acerca da pena de morte como sentença judicial aplicada pelo ser humano”.

O método para aplicar a pena de morte era o apedrejamento e a fogueira (vs. 2, 14, 27). Deus é radical porque prefere eliminar o pecado antes que o pecado nos elimine radicalmente.

As advertências divinas aqui são preventivas. Deus quer frear a maré da corrupção, barrar a perversão. Deus nos quer distantes do pecado e uma sociedade menos corrompida.

ATENÇÃO! A ênfase divina não é matar, é santificar (vs. 7-8). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...