Receba mensagens em seu Email

segunda-feira, 31 de março de 2014

Visão de Felicidade- Isaías 35


Lições de Vida
Leia na Bíblia- Isaías 35
Visão de Felicidade
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Deus gosta de prometer, e ama cumprir o que promete. Leia Isaías 35, são apenas 10 versículos. Estudando este capítulo percebe-se que inicialmente seu cumprimento profético era uma visão de felicidade que aguardava os libertos do exílio babilônico; entretanto, João em visão em Patmos demonstrou-nos que essa profecia é uma pálida ideia de como será a libertação do exílio deste mundo corrupto, imoral e injusto.

1. Como o povo de Deus do passado não cumpriu as condições espirituais para receberem a bendita promessa de total restauração da Terra, os cristãos que verão tal restauração são aqueles que cumprirem as condições.
2. Como o Israel antigo não experimentou a plenitude destas promessas, elas são estendidas ao Israel moderno, à Igreja cristã; estas promessas devem acalentar o coração de cada habitante deste mundo.

A visão profética é abrangente, ela oferece um vislumbre de como será a Nova Terra após o milênio, onde os fieis comprometidos com Deus passarão a eternidade. Porém, o efeito desta promessa começa com a vinda do Messias.

Como encontrar o caminho da felicidade? Onde neste mundo é possível experimentar o poderoso efeito de acreditar em verdadeiras promessas que enchem o coração de esperança? 

Leia a profecia de Isaías, no capítulo 35 de seu livro. O texto fala dos remidos (os salvos), essas promessas nem todos experimentarão (v. 10). O destino é Sião, o lugar da salvação, a Nova Jerusalém. Para chegar nesse lugar é preciso pegar à estrada, o Caminho da santidade: Jesus é o Caminho (v. 8). 

O imundo e os loucos não passarão por ela. É preciso deixar a bagagem do pecado para pegar essa estrada. Portanto, se você já deixou e está difícil andar na contramão deste mundo veja que há uma mensagem de ânimo, de incentivo aos que sofrem neste mundo: 

“Fortalecei as mãos fracas, firmais os joelhos trementes; dizei aos turbados de coração: Esforçai-vos, não temais; o vosso Deus virá com vingança; com recompensa divina Ele virá, e vos salvará” (vs. 3-4)

portanto, ainda que seja difícil perseverar, não desfaleça. Anime-se! Avance! Deus está com você, segura a tua mão e te protege em toda a situação!

As maravilhosas, extraordinárias e preciosas promessas de Isaías 35 podem ser aplicadas a você e a mim. Então, quais os pontos importantes desta profecia?

1. A Terra, quando for renovada, será totalmente transformada: Os lugares desertos se tornarão em belíssimos jardins, os desertos desaparecerão (vs. 1-2) e haverá um clima de pura alegria e prazer em toda a flora do Planeta (vs. 2, 7).

2. As deficiências humanas serão totalmente removidas: Há fieis que permanecerão deficientes fisicamente até o dia em que Deus eliminar toda deficiência humana. Cegos enxergarão, surdos ouvirão, aleijados pularão e mudos cantarão (vs. 5-6).

3. Os animais serão todos dóceis, nenhum deles será carnívoro: Nenhum animal feroz amedrontará a ninguém, será um lugar pacífico, agradável e perfeitamente alegre (vs. 9-10).

Vamos orar? “Pai querido, obrigado pelas promessas que fazem vibrar meu ser inteiro. Aguardo o cumprimento total delas em minha vida. Anseio estar conTigo no lugar que preparaste para mim. Quero que me guies, me moldes, me purifiques e me transformes a fim de que vejas o que farás no futuro aos que entram no presente pelo caminho da salvação, a estrada da santidade. Quero viver intensamente a bendita esperança! Em nome de Jesus, amém”.
Curta e compartilhe:

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
“Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Ministério de Oração  -A serviço do Reino de Deus

RPSP-Isaias 35


Reavivados por Sua Palavra

Leitura Bíblica  - Isaias 35
Comentários de:  Melodious Echo Mason

No capítulo anterior, aprendemos o que acontecerá com os ímpios e que desprezam o seu direito de primogenitura espiritual: sua terra aparentemente próspera será transformada em desolação. Em Isaías 35, encontramos o oposto.

Apesar de anteriormente mortos em pecado, com a vida como um deserto ressequido, sem Deus, os justos que, como Jacó, se agarraram ao seu direito de primogenitura e ao seu Deus, dizendo, como Jacó: “Não Te deixarei ir, a não ser que me abençoes” (Gn 32:26 NVI), recebem uma promessa incrível. A eles é dito que seu deserto se alegrará como as flores (v. 1), e que verão, com regozijo, a “glória” e o “esplendor do nosso Deus” (v. 2 NVI).

A nós, que não tínhamos nem “glória” nem “resplendor”, porque vivíamos no pecado, agora nos serão dadas ambas, pois nos tornamos mortos para o pecado. No entanto, os méritos são atribuídos ao Senhor, não a nós. Mateus 5:16 diz: “Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras, e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus” (NVI).

Em Isaías 35, as promessas continuam. Os que estão cansados, vacilantes, desanimados, recebem encorajamento: “Sejam fortes, não temam!” (v. 4 NVI). O cego verá, os surdos ouvirão, os coxos saltarão e os mudos cantarão (v. 5 e 6a). Onde antes havia deserto, em breve haverão correntes de águas vivas (v. 6b).

Muitos não reconhecem o valor que tem para Deus. Também não reconhecem o que Ele deseja fazer com o deserto de suas vidas.

O Desejado de Todas as Nações nos diz: “O Senhor fica decepcionado quando Seu povo se estima a si mesmo como de pouco valor. Deseja que Sua escolhida herança se avalie segundo o preço que Ele lhe deu. Deus a queria, do contrário não enviaria Seu Filho em tão dispendiosa missão de a redimir. Tem para eles uma utilidade, e agrada-Se muito quando Lhe fazem os maiores pedidos, a fim de que Lhe glorifiquem o nome. Podem esperar grandes coisas, se têm fé em Suas promessas.” p. 668.

Entreguemos o deserto de nossa vida para Deus hoje, reconhecendo que aquEle que nos redimiu tem os melhores planos para nós. A seguinte promessa nos pertence: “… e os que o Senhor resgatou voltarão. Entrarão em Sião com cantos de alegria; duradoura alegria coroará sua cabeça. Júbilo e alegria se apoderarão deles, e a tristeza e o suspiro fugirão “(v. 10 NVI). Que maravilhoso dia esse será!

Comentários de:  Melodious Echo Mason

domingo, 30 de março de 2014

Buscai e lede- Isaias 34

Lições de Vida

Leia na Bíblia- Isaias 34
Buscai e lede
Comentários do Pr. Heber Toth Armí
Deus convida a todos, inclusive você a ouvir o que Ele tem a dizer. Preste atenção, saber o que Deus fará, fará total diferença em tua visão do futuro do mundo. Leia, antes de mais nada, Isaías 34. Deus, o grande Juiz julgará toda a Terra, todas as nações, todas as pessoas. Ele é soberano, mesmo assim avisa antes o que fará. Só será pego de surpresa quem não quiser acreditar em Suas revelações. Se você não quer ser surpreendido pelo que Deus fará, tire cinco minutos de teu tempo para meditar nestas palavras, o qual nos ensina que haverá uma destruição em massa do mundo, quando todas as nações se unirem para uma guerra contra o povo de Deus (vs. 1-4). Assim, com um olho neste capítulo e outro em Apocalipse, se nota que o fato das nações se reunirem para batalhar, terrível resultado haverá. Edom representa uma nação onde centralizar-se-á a força satânica para reger as nações em uma rebelião contra Deus; formando-se, desta forma, o quadro para o Armagedom. Na atualidade, observe qual é a nação que está cada vez mais dominando o mundo com seu idioma, cultura e poder. Tire tuas próprias conclusões!

A realidade do juízo divino está expressa em três formas figuradas em Isaías 34, a profecia escatológica é simbólica neste texto:
1. Nos versos 5 a 7 está a figura de uma grande matança;
2. Nos versos 8 a 10 está a figura de uma conflagração inextinguível;
3. Nos versos 11 a 17 está a figura de uma desolação total.
Diz S. J. Schwantes diz que por estas figuras serem em parte incompatíveis, nenhuma delas deve ser tomada literalmente. E, continua, “a necessidade de três figuras para descrever o julgamento escatológico mostra quão inadequada é a linguagem humana para descrever o que se passa no final e além da história”. Concluindo seu comentário do capítulo, declara: “Uma verdade ressalta desta visão apocalíptica: todas as nações são responsáveis diante do tribunal de Deus”. É preciso aprofundar-se nas profecias bíblias, elas nunca falharam, portanto, certamente nunca falharão. Elas são exatas, e cada detalhe se cumpre detalhadamente. A bondade de Deus se nota no fato dEle convocar a todos através do capítulo em questão para avisar o que fará a fim de que nos preparemos para os eventos finais dos anais da história deste mundo.

O fim do mundo há de existir, ainda que o mundo esteja cético sobre seu fim. O medo toma conta das pessoas, e o lenitivo é o ceticismo; uma tentativa falsa, portanto, frustrante para o desespero oriundo das evidências de um fim prestes a vir. Como Deus é quem avisa sobre o fim, Ele tem sido considerado por muitos como o responsável pela destruição dos pecadores impenitentes. Por isso haverá uma organização mundial para uma confrontação espiritual contra Deus na figura de Seus servos. Entretanto, o fim desta rebelião e revolta contra Deus já está profetizado em Isaías 34 e ampliado em Apocalipse 16. A indignação divina será vista por todos no mundo inteiro, mas também as promessas de salvação àqueles que se rendem a Deus se concretizará, os salvos herdarão as promessas, estarão para sempre num lugar seguro, na presença de Deus. A vingança de Deus é mais do que acertar as contas com as nações, refere-se à ação de Deus ao executar a sentença que Ele, como Juiz da Terra, acabou de pronunciar, a fim de salvar àqueles que estão ao Seu lado na luta contra o pecado. Louvado seja Deus! Ore a Ele agora: “Soberano Juiz, não é preciso os olhos da fé para perceber muitas profecias acontecendo à frente de nossos olhos; Te louvo porque estás no controle de tudo e já sabes o que fazer antes mesmo que as coisas se desencaminhem. Por isso, entrego minha vida totalmente a Ti a fim de que eu experimente sempre o plano de salvação que ofereces para mim. Amém”.
Curta e compartilhe:

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
“Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Ministério de Oração  -A serviço do Reino de Deus

RPSP- Isaías 34


Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica  - Isaías 34
Comentários de:  Melodious Echo Mason
Podemos ver, na vida do povo de Deus e reproduzido ao longo de toda a Bíblia, o tema do Grande Conflito: luz contra as trevas, bem contra o mal, carne contra espírito. Isaías 34, uma profecia contra Edom, também se insere neste contexto e, para melhor compreender seu significado, é útil rever um pouco de história.

Em Gênesis 25, encontramos a história de Isaque (filho de Abraão) e sua esposa Rebeca dando à luz a dois filhos gêmeos: Esaú e Jacó. A luta entre os dois irmãos começou no ventre da mãe e teve continuidade futura entre eles e suas descendências, que vieram a compor nações distintas.

Esaú desprezou o direito da primogenitura ao vendê-lo a Jacó por nada mais do que um prato de guisado vermelho. Edom, que significa vermelho, passou a denominar uma das nações dos filhos de Esaú (provavelmente ele era também ruivo) (ver Gên 25:30). Jacó levou a sério o direito de primogenitura e, mesmo não agindo de maneira nobre, fez de tudo para consegui-lo, com um alto custo: fuga, separação dos pais (provavelmente nunca mais viu a mãe), exploração na casa do tio.

Jacó tornou-se o pai de Israel, o povo escolhido de Deus, enquanto Esaú tornou-se o pai dos edomitas e de várias nações pagãs que tentaram destruir Israel.

Na época do Êxodo, Israel pediu ao rei de Edom a permissão para passar pacificamente por sua terra. Esta permissão foi recusada (ver Núm 20:14-21). Não muito tempo depois, os amalequitas (também descendentes de Esaú – ver Gên 36:12) foram os primeiros a fazer guerra contra os israelitas em sua jornada em direção a Canaã (Êx. 17:8).

Os edomitas foram por um tempo conquistados por Davi (2Sam 8:14) e mais tarde por Amazias (2Cr 25:11,12). Mas recuperaram a sua independência, anos mais tarde, durante o declínio do reino judeu (2Rs 8:20 e 16:6, NVI), fazendo, a partir daí, contínua oposição a Israel. Eles uniram armas com os caldeus quando Nabucodonosor capturou Jerusalém e, mais tarde, invadiram e dominaram o sul da Palestina, até Hebrom.

Edom prosperou por um tempo, mas sua destruição como nação foi selada, no entanto, por causa de sua contínua batalha contra o povo de Deus ao longo da história. Assim, rejeitaram a Deus e a Sua salvação e deveriam finalmente enfrentar um fim terrível. Em Isaías 34, encontramos a austera profecia de sua destruição (ver tb Ez 25:12,13).

Esta profecia cumpriu-se exatamente como predita. No entanto, ela possui um sentido mais amplo e terá o seu cumprimento futuro com a destruição no fim do mundo de todos aqueles que escolheram desprezar seu patrimônio espiritual e caminhar na direção contrária às leis de Deus. Naquele tempo, não haverá mais misericórdia e nem segunda chance.

Escolhamos hoje abraçar o dom da primogenitura espiritual, para que um dia, em breve, possamos desfrutar do novo céu e da nova terra.

Melodious Echo Mason
EUA

sábado, 29 de março de 2014

Quem habitará com o Senhor- Isaías 33


Lições de Vida
Leia na Bíblia- Isaías 33
Quem habitará com o Senhor
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Neste mundo é certo que teremos aflições; porém, não é certo focar nas aflições, mas nas lições que elas ensinam. “Esqueça os tempos de aflições, mas nunca esqueça o que eles ensinaram” disse H. S. Gasser. Quem não aprende lições nas aflições será constantemente afligido por elas. Quanto mais rápido aprender, melhor será! Então veja grandes princípios verdadeiros que enriquecerão a tua alma hoje, o dia inteiro! Abra a tua Bíblia em Isaías 33 e leia com atenção e depois continue esta meditação!

1. O capítulo começa com uma breve informação, uma nação que causou a Israel grande destruição (v. 1).
2. A seguir há uma oração dirigida a Deus pedindo intervenção, o povo aprendeu a lição (vs. 2-9).
3. Então Deus entra em cena apresentando Suas condições e promete libertação, bênção e proteção ao remanescente da nação (vs. 10-24).

Dedique um tempo para estudar, meditar e aplicar a Palavra de Deus a tua vida. Abra a tua Bíblia e com oração dedique-se a conhecer o caminho para as bênçãos de hoje. Assim terás um dia maravilhoso, esplendoroso e extraordinário! É isso que Deus tem para ti, você quer?

Ao meditar em Isaías 33 é fácil perceber que Deus se revela a Seu povo que clama por socorro (vs. 1-11) que suas aflições resultaram de pecados e descrenças, da falta de confiança naquEle que só agora era lembrado como o todo-poderoso (vs. 13-16). 

A profecia aponta para o juízo completo da Assíria, nação inimiga. Porém, sua abrangência é maior: uma palavra é pronunciada aos gentios (os que estão longe) e aos judeus hipócritas em Sião (os que estão perto). Quando Deus levantar-se como fogo devorador e Seu poder for revelado, os sobreviventes serão aqueles que buscam a justiça e fogem de toda espécie de mal; estes são os remanescentes que verão ao Rei em Sua formosura (o Messias) e a Terra renovada, onde haverá abundância e estabilidade aos habitantes de Jerusalém (vs. 17-24). 

Deus nunca tolerou, não tolera e nunca vai tolerar o pecado... Nunca! Portanto, devemos ter a mesma atitude se quisermos um dia estar morando juntamente com Ele. As promessas divinas se cumprirão naqueles que aprenderem as lições que Ele tanto almeja que aprendamos. Tem gente que apanha o tempo inteiro, mas nunca aprende. Sejamos bons aprendizes e seremos ricamente abençoados!

Ao ler os 24 versículos do capítulo 33 de Isaías podemos perguntar: Que lições aprender deste relato? Veja bem que o texto inspirado nos ensina (ou exorta) a prestar atenção em nossa vida, se já houve arrependimento e conversão, ou seja, mudança de comportamento; pois,

1. Habitará com Deus aqueles que desde já andar em justiça e falar o que é correto;
2. Habitará na presença divina os que arremessam para longe de si o ganho de opressão e sacode de suas mãos todo suborno;
3. Os que viverão em Sião, na Casa do Senhor, serão aqueles que taparem seus ouvidos para não ouvirem falar de sangue e fechar os olhos para não ver o mal (desliga a TV);

Estes habitarão nas alturas, serão protegidos e sustentados (v. 16), verão ao Messias em Sua formosura (v. 17). Nas alturas, no lar celestial, não entrará traidores e nem destruidores (v. 1), os pecadores serão todos queimados (vs. 11-12). 

Agora, porém, é tempo de pedir a Deus que queime todos os pecados para que não sejamos queimados com todos os pecadores: “Deus que é infinito em poder, grandioso em perdoar e atencioso com todo pecador arrependido; almejo viver tuas promessas para o presente aguardando as promessas futuras, para isso devo ser transformado por Ti, e agora eu clamo a Ti por isso, pois preciso dessa transformação urgentemente. Em nome de Jesus, amém”.
Curta e compartilhe:

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
“Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Ministério de Oração  -A serviço do Reino de Deus

RPSP-Isaías 33


Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica  - Isaías 33
Comentários de:  Koot van Wyk

Em toda a Bíblia encontramos uma série de “ais” do Senhor para nós. A maioria desses “ais” são encontrados no livro de Isaías. Esses “ais” repreendem tudo, desde os pecados pessoais dos ímpios, ao orgulho dos justos e por estes chamarem o mal por bem. Isaías ainda diz “ai” para si mesmo quando reconhece que ele é um  homem de lábios impuros. O estudo dos “ais” pode nos ajudar a não nos incluirmos em algum deles.

Nos capítulos anteriores imediatos, de Isaías 28 ao capítulo 31, Isaías profetizou “ais” contra Israel e Judá por sua rebeldia e orgulho. Agora encontramos Isaías proferindo um sério “ai” contra o rei Senaqueribe e o exército assírio que vieram saquear Jerusalém. Apesar do capítulo 33 parecer começar com uma nota negativa, é realmente um capítulo de esperança e misericórdia para Jerusalém. Embora Israel tantas vezes tenha caminhado em seu próprio conselho, e procurado pela ajuda de outras pessoas em vez de Deus, quando eles clamam por misericórdia, esta profecia lembra a eles (e a nós hoje) que Deus ainda ouve e responde a oração. De fato, somos informados neste capítulo que o reino que veio para saquear Jerusalém seria saqueado (v. 4). (Ver história detalhada em Isaías 36 e 37.)

Há uma mina de ouro neste capítulo, mas vamos nos concentrar no verso 14 e no que vem depois. Vendo como o Senhor resgata Israel da Assíria, os pecadores e hipócritas em Israel (incluindo os falsos professores de religião) clamam em angústia: “Quem de nós pode conviver com o fogo consumidor? Quem de nós pode conviver com a chama eterna?” (NVI). No Salmo 24:3 encontramos um grito semelhante: “Quem poderá subir o monte do Senhor? Quem poderá entrar no seu Santo Lugar?” (NVI).

A resposta vem nos versos seguintes às duas passagens: “Aquele que tem as mãos limpas e o coração puro, que não recorre aos ídolos nem jura por deuses falsos” (Sl 24:4 NVI). “Aquele que anda corretamente e fala o que é reto, que recusa o lucro injusto, cuja mão não aceita suborno, que tapa os ouvidos para as tramas de assassinatos e fecha os olhos para não contemplar o mal”(Isaías 33:15 NVI).

Como é que nós, seres humanos pecadores, podemos ter um coração puro? Como podemos nós, injustos desde o nascimento, andar retamente? Não podemos; Não sem Cristo. “Sem Cristo não podemos subjugar um único pecado nem resistir à menor tentação. É a conexão com um poder que é todo-poderoso que nos fará vencedores. Que todos que vem a Jesus andem em humildade e sintam diariamente que precisam de um poder fora e acima de si mesmo para amolecer seu coração de pedra; que ele precisa ser derretido como um metal para que a escória da autosuficiência possa ser consumida.” Signs of the Times, 10 de agosto de 1891, par. 2.

Louvado seja nosso todo-poderoso Senhor! Que Deus glorioso nós servimos! Arrependamo-nos e nos voltemos a Ele hoje para que Ele perdoe nossas iniquidades e subjugue todos os nossos inimigos. Ao reconhecermos quem somos em comparação ao que nosso Deus é, torna-se cada vez mais evidente a nossa total incapacidade para cumprir as exigências divinas. Contudo, Isaías 33:22 resume tudo muito bem: ” Pois o Senhor é o nosso juiz, o Senhor é o nosso legislador, o Senhor é o nosso rei; é Ele que nos vai salvar.” (NVI).

Melodious Echo Mason
EUA

sexta-feira, 28 de março de 2014

Liberte-se - Isaías 32


Lições de Vida
Leia na Bíblia- Isaías 32
Liberte-se
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

A vida sem Cristo é marcada por sofrimento. A insegurança, a angústia e o desespero toma conta daqueles que não se dão conta que Cristo “é esconderijo contra o vento, refúgio contra a tempestade, como ribeiros de águas nos lugares secos, e como sombra de uma grande rocha em terra sedenta” (Isaías 32:1-2). A vida espiritual mirrada opera com uma fé estragada, uma fé estragada resulta em uma vida arruinada; porém, com a vinda do Messias, muita coisa mudaria (vs. 3-4). Atente para Seu ministério terrestre:

1. Será um rei que reinará com justiça sobre a Terra (v. 1);
2. Terá poder para restaurar o povo arruinado pelo pecado (vs. 2-4);
3. Sua presença irá expor erros, pecados, hipocrisias e falsidades (vs. 5-8).
Permita que os efeitos do ministério de Cristo alcancem a tua vida, revele a tua real condição e te liberte do caminho da perdição. Entregue-se a Cristo, a menos que você não queira a salvação!

Deus tem uma mensagem às mulheres em Isaías 32. O profeta emite um alerta às mulheres do povo de Deus, pois segundo M. F. Unger “o estado espiritual das mulheres é um barômetro sensível do estado moral de qualquer nação”. Entretanto, creio também que tal exortação tinha a ver com a preocupação de Deus preparar pelo menos uma mulher para ser mãe de Seu Filho, o Messias:

1. Elas deveriam ser diligentes em ouvir a Palavra de Deus e praticá-la, não negligenciá-la por preguiça, senão a colheita (resultado esperado) não viria nunca (vs. 9-10);
2. Elas deveriam dar total atenção à palavra de Deus, sendo advertência ou promessa, a fim de que suas casas não se percam (vs. 11-14). Sem preguiça, deveriam atentar às profecias.
Hoje as mães devem ser tão bem preparadas para educar seus filhos como se fossem o Messias, pois dos tais é o reino dos Céus e o diabo não pode desviá-los desse destino. Portanto, as mães tem muita influência para o bem ou para o mal; então não devem ser negligentes no aspecto espiritual.

O final do capítulo 32 do livro do profeta Isaías é inspirador. Depois de falar das coisas ruins devido ao pecado, do ministério do Messias na Terra e de dar palavras de exortação às mulheres, o profeta proclama a obra do Espírito Santo na Terra, o qual trará vigor e restauração espiritual dando continuidade à obra iniciada por Cristo:

1. O derramamento do Espírito virá para ungir o povo de Deus operando restauração (v. 15);
2. O derramamento do Espírito trará mudança comportamental, haverá justiça que resultará em paz, repouso e segurança naqueles que permitirem ser transformados (vs. 16-17);
3. O derramamento do Espírito trará resultados gloriosos, colheitas abundantes (vs. 19-20).

Desligado de Deus, a fonte da vida, a alma humana seca como um deserto; porém quando uma pessoa, família, igreja ou nação se liga a Deus por meio de Cristo mediante a obra do Espírito Santo, o reavivamento espiritual traz preciosas bênçãos, muda a atitude das pessoas e promove paz e repouso... 

Reavive-se! "Senhor, preciso do reavivamento em minha vida, portanto, arranque do meu coração tudo aquilo que impede esse ato glorioso do Espírito em mim. Torna-me um cristão vivo para Cristo e morto para o pecado. Amém".

Curta e compartilhe:

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
“Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Ministério de Oração  -A serviço do Reino de Deus

RPSP- Isaías 32

Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica  - Isaias 32
Comentários de:  Koot van Wyk

Isaías começa sua descrição messiânica de Cristo como Rei que reinará com justiça (v. 1a).

“Isaías desvia a atenção do iminente ataque assírio a Jerusalém (Is 31:8,9) para se referir ao tempo de paz que viria a seguir. Depois da retirada de Senaqueribe, em 701 a.C., seguiu-se um tempo de paz sob o justo reinado de Ezequias… . De forma similar a derrota de todas as forças de Satanás será seguida do eterno reinado de Cristo em justiça e glória. Como de costume, o quadro profético de paz e segurança une a descrição das glórias do mundo porvir com a era messiânica. Nesse contexto messiânico, o “rei” é Cristo”. CBASD, vol. 4, p. 231.

Os fiéis são vistos como “príncipes que governarão com justiça” (v1b NVI)  Paulo diz que os justos irão julgar o mundo e até os anjos (ver 1 Cor. 6:2,3).

Nesta época pós-advento glorioso, onde cada homem terá a firmeza de uma fortaleza (v. 2), os cegos verão, os surdos ouvirão (v. 3). A “mente do precipitado saberá julgar”, pois discernirá a verdade (v. 4a), e os gagos falarão “com facilidade e clareza (v. 4b NVI). Isaías viu a perfeição total.

No final do tempo as coisas receberão o devido valor. Nunca mais o tolo será chamado nobre (v.5a) e os violentos serão chamados generosos (v.5b).

Isaías define como insensato (NVI) aquele que loucamente “só pensa no mal; … pratica a maldade e espalha mentiras sobre o Senhor” (v. 6 NVI). O insensato  está constantemente a fazer planos para retirar proveito daquele que não tem como defender seu direito (v. 7). Em contraste, Isaías mostra que o homem nobre planeja o que é nobre e será apreciado por causa disso (v. 8).

No final desta descrição Laodiceana da igreja, há um duplo chamado ao despertamento àqueles que dormem como as dez virgens da parábola de Jesus (v. 9). Isaías fala a seguir do momento em que o remanescente será convidado a se retirar do meio do erro: “saiam dela, povo meu … para que as pragas que vão cair sobre ela não os atinjam!” (Apoc. 18:4 NVI). Então, em um alívio, Isaías fala no verso 15 como o derramamento do Espírito tornará frutíferos os campos.

Em Joel 2:28, o Senhor diz: “derramarei do meu Espírito sobre todos os povos” e, então, quem quer que invocar o nome do Senhor será salvo. É o momento da chamada final em que muitos se unirão ao Remanescente. A justiça e a retidão serão encontradas onde antes era apenas deserto, mas que se tornou em campo fértil (v. 16).

Agora Isaías retorna ao tema inicial do capítulo, o reino Messiânico: “o fruto da justiça será paz” (v. 17a). A paz em Sião é fruto da justiça de Jesus e de seu justo reinado.  O justo “viverá em locais pacíficos, em casas seguras” (v. 18 NVI).

No versículo 19 Isaías vai voltar a mencionar como as cidades ficaram desoladas e destruídas. João em Apocalipse fala de grandes pedras de granizo e cidades arrasadas (Apocalipse 16:21). Em contraste, os justos estarão no céu onde eles e os animais poderão andar livremente porque lá não haverá guerras ou ladrões (v. 20).

Querido Deus,
Queremos viver em segurança espiritual e desejamos crescer na Sua graça. E quando a última chuva do Espírito for derramada, queremos ser banhados por ela.  Amém.
Koot van Wyk
Coreia do Sul

quinta-feira, 27 de março de 2014

Nossa confiança unicamente em Deus-Isaias 31

Lições de Vida

Leia na Bíblia- Isaias 31
Nossa confiança unicamente em Deus
Comentários do Pr. Heber Toth Armí

Você confia em quem? Quando você tem problemas graves e complicados a quem você recorre em busca de ajuda? Você confia em ti mesmo, em alguém mais forte que você, em tua posição, no dinheiro, na política, etc.? Você confia em Deus? Você sabe confiar plena e unicamente nEle? Como você faz isso? Você faz orações? Você sabia que confiar na oração é uma coisa errada, pois é possível fazer da oração um fim (um amuleto) e confiar nela sem confiar em Deus? Você sabia que confiar na Bíblia nem sempre significa confiar em Deus? 

A Bíblia e a oração devem ser o meio e nunca um fim de si mesmas; elas são instrumentos de nos levar a Deus e, portanto, não podemos fazer da Bíblia ou da oração o nosso Deus, nosso ídolo. Agora reflita novamente, você confia em Deus mesmo? Você sabe confiar nEle? Como você sabe que está, de fato, confiando em Deus e não nos instrumentos de Deus? 

Amigo(a), abra a Bíblia a fim de encontrar ensinamentos claros, diretos e verdadeiros sobre a questão da confiança plena em Deus, Ele mesmo quer nos ensinar através de Sua sagrada e santa palavra. A leitura de hoje está em Isaías 31, onde Israel, com medo dos inimigos assírios preferiu confiar nos poderosos egípcios e não no todo-poderoso e invencível Deus! Reflita profundamente em tua confiança em Deus e mude o que precisa mudar!

Nossa confiança precisa ser depositada unicamente em Deus! Não é correto confiar nem mesmo na oração, embora seja pela oração que se relava o quanto se confia nEle. A atual geração de cristãos precisa aprender o que realmente significa confiar plenamente em Deus. É por isso que Ele deixou sábias palavras em Isaías 31, onde Israel confiou no Egito: decisão perfeita do ponto de vista humano, mas não do ponto de vista divino. Veja algumas lições de vida:

1. Não confiar em Deus consiste em pecado; pois, confiar em tudo o que não seja Deus, ainda que tenha lógica, implica em desconfiar e afastar-se dEle (vs. 1-3).

2. Separar-se ou ignorar a Deus é pecado, isso atrai o fracasso, a angústia e a decepção (v. 3).

3. Não confiar em Deus é tolice, é perca de tempo, não resolve totalmente a situação, quando não complica ainda mais a questão (vs. 4-9).

Portanto, é errado voltar-se a qualquer coisa ao invés de voltar-se para Deus. Embora quem se volta a Deus de verdade e confia plenamente nEle, deixará de confiar em tudo o mais. Arrependerá de seus pecados. Mudará o estilo de vida, o comportamento e viverá a plenitude e a essência da verdadeira religião - experiência que poucos têm! Pense nisso e vá além da superficialidade espiritual!

No que consiste uma rebelião tão profunda segundo Deus? No capítulo 31 de seu livro, o profeta Isaías revela que Deus se levanta contra Seu povo (naquele tempo, Israel), pois o povo se voltou para o Egito em busca de ajuda para alcançar proteção e vitória. Isso é apostasia, rebeldia e rebelião profunda, por isso Deus chama Seu povo à conversão (v. 6). O Deus que se volta contra Seu povo poderia voltar-se contra o inimigo do povo, se o povo estivesse do lado dEle. Aí seria o fim dos inimigos, mas o povo não se posicionou ao lado de Deus!

1. Se o povo estava com medo dos Assírios, Deus seria como um leão que afugenta a um grande número de pastores (Assíria) para proteger ao Seu rebanho (v. 4).

2. Se a Assíria intentasse invadir Jerusalém, Deus protegeria a cidade como um bando de aves que pairam sobre ela, impedindo qualquer exército de entrar nela (v. 5).

No tempo do fim, todas as nações e religiões se unirão para por fim a um pequeno grupo que permanecerá fiel a Deus; todavia, quem for fiel até o fim, receberá a coroa da vida! Pelo fato da profecia de Isaías 31 não ter-se cumprido plenamente em Senaqueribe, rei da Assíria, ela possui aspectos que abrangem o período final da história do mundo; aprendamos as lições, a fim de não cairmos como o povo de Deus do passado. 

Portanto, ore: 
“Poderoso Deus, ai de mim se não aprender a confiar plena e unicamente em Ti; quero que me ensines a fim de que aprenda o quanto antes. Em nome de Jesus, amém”.

Curta e compartilhe:

Imagens do Google – editado por Palavra Eficaz
“Antes de buscar a ajuda dos homens busque a ajuda de Deus.”

Ministério de Oração  -A serviço do Reino de Deus

RPSP- Isaias 31


Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica  - Isaias 31
Comentários de:  Koot van Wyk

Nos dias de Isaías, os interesses do Egito na Palestina eram as rotas comerciais e a madeira. Já os Judeus encontravam no Egito cavalos velozes (v. 1b), carros de batalha (v. 1c) e fortes soldados mercenários (v. 1d). Ao invés de buscarem ajuda no “Santo de Israel”, eles estavam confiando na ajuda humana contra a Assíria.

Isaías lembra que os egípcios são apenas seres humanos, mas Deus é divino; os cavalos são apenas carne, mas Deus é Espírito (v. 3a-b).

Em seguida, o Senhor usou, através de Isaías, a ilustração de um grande leão atacando uma ovelha. E pastores tentando em vão assustar este leão correndo em sua direção, gritando e fazendo barulho. Do mesmo modo, a batalha de Deus contra o mal não pode ser interrompida por ninguém (v. 4). Ao dizer que “o Senhor dos Exércitos protegerá Jerusalém”, Isaías  se refere tanto à Jerusalém literal, salva pelo anjo do Senhor do exército de Senaqueribe (Is. 37:36,37) quanto à Jerusalém celeste e a seus fiéis dentro dela.

João descreve no Apocalipse a batalha final após o milênio (Apoc. 20:1-6), quando a Nova Jerusalém será cercada pelos exércitos ressuscitados de Satanás (Apoc. 20:7-10). João não apresentou um conceito novo, pois Isaías foi o primeiro a falar acerca do milênio em Isaías 24:22, quando os ímpios e seus líderes serão “castigados depois de muitos dias” (NVI). Deus consumirá os Seus adversários (Is. 26:11), mas não tem prazer nisso. Por isso, Ele suplica aos rebeldes: “voltem para aquEle contra quem vocês se revoltaram” (v. 6).

Naqueles dias, diz Isaías, cada ímpio “rejeitará os ídolos” (v,7 NVI) fabricado para o pecado e que agora lhe são inúteis para lhe suster a vida perante o fogo consumidor do Senhor. Os ímpios cairão não por uma espada humana, mas pela Palavra de Deus (v. 8), assim como o exército de Senaqueribe não escapou (Is. 37). Sua força, sua confiança, “sua fortaleza” caiu “por causa do pavor” (v. 9a NVI).

O assunto mais importante enfocado aqui por Isaías não é o Egito ou Judéia, mas Deus, que é sábio e trará desastre sobre aqueles que escolheram permanecer desconectados dEle.

Em quem iremos colocar nossa confiança? No “Santo de Israel” (v. 1 NVI) ou nos ídolos que criamos para nós mesmos, idolos tecnológicos ou ideológicos que nos levam a pecar? Nossa escolha hoje determinará se estaremos protegidos por Deus no dia do acerto de contas final ou se seremos consumidos pelo fogo do Senhor (v. 9).

Querido Deus,

Conceda Senhor que nossa confiança esteja sempre centrada em Ti e não em maquinações e poder humanos. Mantenha-nos bem junto a Ti, pedimos. Amém.

Koot van Wyk

quarta-feira, 26 de março de 2014

RPSP- Isaías 30


Reavivados por Sua Palavra
Leitura Bíblica  - Isaías 30
Comentários de:  Koot van Wyk
Isaías começa o capítulo descrevendo um problema de rebelião pela grande maioria do povo de Deus, que os levou a procurar refúgio no lugar errado (v. 1). Judá procurou refúgio no Egito sem consultar a Deus (v. 2a-c).

Quando fazemos alguma coisa sem consultar a Deus certamente entraremos em dificuldades. Isaías adverte o povo acerca da inutilidade de confiar no Egito a fim de obter segurança no futuro (v. 5-7).

Isaías descreve vividamente a situação espiritual de Judá. “Esse povo é rebelde; são filhos mentirosos, filhos que não querem saber da instrução do Senhor. Eles dizem aos videntes: ‘Não tenham mais visões!’ e aos profetas: ‘Não nos revelem o que é certo! Falem-nos coisas agradáveis, profetizem ilusões’ ” (v. 9-10, NVI). Há uma rejeição geral da Palavra de Deus (v. 12b).

Quando não se confia no Senhor, se está confiando automaticamente no mestre da opressão e o resultado é a instabilidade (v. 13). O colapso vem de repente (v. 13c). O fim dos ímpio é o mesmo de Satanás (v. 14): total e definitiva destruição.

Então Isaías apresenta a solução: “Em vos converterdes e em sossegardes está a vossa salvação” (v. 15b ARA). Se o povo se voltasse arrependido para o Senhor, confiando em Sua bondade e obedecendo às Suas instruções, a nação poderia ser poupada. O problema é que eles não estavam dispostos em assim proceder (15d).

Quando um ser moral livre escolhe fazer o que é errado, Deus se entristece, mas respeita a decisão tomada. Mas, de acordo com Isaías, Deus espera ansiosamente a oportunidade de ser benigno para com seus filhos. “O Senhor espera o momento de ser bondoso com vocês; ele ainda se levantará para mostrar-lhes compaixão. Pois o Senhor é Deus de justiça. Como são felizes todos os que nele esperam!” (v. 18, NVI).

Isaías mostra, então, o que está reservado àqueles que se refugiam em Deus e nEle depositam sua confiança (versos 19-26). Eles serão guiados pelo Espírito de Deus, que lhes dirá: “Este é o caminho, andai por ele” (v. 21 ARA). Isso indica que muitos abandonarão seus ídolos e retornarão à obediência aos mandamentos de Deus (v. 22).

Apesar das dificuldades enfrentadas por todos nós, um dia o Senhor curará todas as feridas do Seu povo. Isso ocorrerá por ocasião da Segunda Vinda, quando os corpos dos fiéis serão transformados e tornados incorruptíveis. O Senhor será para eles o sol da justiça, sete vezes mais brilhante do que o sol (v. 26).

Isaías mostra no final do capítulo a situação do mal quando Deus se levantar. Cristo, o Messias Guerreiro, virá com poder e fogo destruidor contra o mal.  Neste dia, enquanto os ímpios serão abalados, Isaías vê o remanescente em segurança e cantando cheios de alegria (v. 29).

Querido Deus,
Nosso maior anseio é sermos ressuscitados e renovados na Segunda Vinda. Permita-nos estar no Monte do Senhor para celebrarmos com músicas e canções o final da história do mal e o começo de uma nova criação. Amém.

Koot van Wyk
Coreia do Sul
Traduzido por JAQ/JDS
Texto original em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/isa/30/Fonte: http://reavivadosporsuapalavra.org/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...