Receba mensagens em seu Email

terça-feira, 31 de julho de 2012

Recadinos de Deus


5 coisas para as quais você nunca deve olhar

1 – Não olhe para nada que a (o) impeça de obedecer a Deus. “E se o seu olho o fizer tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. É melhor entrar na vida com um só olho do que, tendo os dois olhos, ser lançado no fogo do inferno” (Mateus 18:9).
2 – Não olhe para coisas inúteis. “Desvia os meus olhos das coisas inúteis; faze-me viver nos caminhos que traçaste” (Salmo 119:37).
3 – Não olhe para as atrações do mundo. “Pois tudo o que há no mundo – a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens – não provém do Pai, mas do mundo” (I João 2:16).
4 – Não olhe para o lado escuro da vida. “Os olhos são a candeia do corpo. Quando os seus olhos forem bons, igualmente todo o seu corpo estará cheio de luz. Mas quando forem maus, igualmente o seu corpo estará cheio de trevas” (Lucas 11:34).
5 – Não desvie o olhar do caminho de Deus para você. “Olhe sempre para frente, mantenha o olhar fixo no que está diante de você” (Provérbios 4:25).
Textos bíblicos na Nova Versão Internacional

Palavra Eficaz:Isaías 6:1, 2


Meditação Diária
Serafins

No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de Suas vestes enchiam o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. Isaías 6:1, 2

Os serafins pertencem a uma das mais exaltadas milícias celestiais. São “seres resplandecentes”, exaltados e nobres.

Ao estar em oração numa das alas do templo, Isaías teve uma visão do templo celestial. Suas portas se abriram e ele viu, no lugar santíssimo, o próprio Deus assentado em Seu alto e sublime trono. Que privilégio! De acordo com o Comentário Bíblico Adventista, a palavra “templo”, nessa ocasião, estava designando “o palácio do Grande Rei do Céu”.

Pela visão de Isaías, descrita no capítulo 6 do seu livro, podemos deduzir que os anjos pertencentes a essa categoria angelical são extraordinariamente belos. Eles são dotados de seis asas: duas são usadas para voar, duas para cobrir o rosto e duas para cobrir os pés. Quando Isaías teve essa visão, os serafins se apresentavam com as faces veladas em adoração, unindo suas vozes em solene invocação, clamando em antífona “uns para os outros: santo, santo, santo, é o Senhor dos exércitos”. Segundo alguns estudiosos, inclusive Billy Graham, a função primordial dos serafins é louvar o nome de Deus em Seu trono celestial e revelar a todo o Seu vasto Universo, incluindo nosso planeta, a glória divina.

Em toda a Bíblia, os serafins são mencionados apenas nesta visão de Isaías relacionada com o seu chamado e sua capacitação para a grande missão que o Senhor lhe confiara.

Como seria se acontecesse conosco o que aconteceu com Isaías, os nossos lábios serem tocados por uma brasa viva do altar de Deus trazida por um serafim? Quem sabe deixaríamos de ter lábios impuros, conversas vulgares seriam abandonadas, palavras torpes deixariam de ser pronunciadas... Em vez de criticar, usaríamos os lábios para abençoar os semelhantes. Muitos dos nossos hinos deixariam de ser apenas expressão da nossa vaidade pessoal e passariam a ser uma expressão do nosso amor e louvor a Deus e, então, as palavras de nossas orações chegariam com toda a certeza ao trono da graça.

REFLEXÃO: “Então, disse eu: Ai de mim! Estou perdido! [...] Então, um dos serafins voou para mim [...] com a brasa [viva] tocou a minha boca e disse: [...] a tua iniqüidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado” (Is 6:5-7). Seja essa a minha e a sua experiência. Amém!
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.


Levítico 16

Reavivados por Sua Palavra- 


Leitura Diária- Levítico 16
Leia ou ouça o capítulo  de  Levítico clicando em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/lv/16
Comentários do Pastor Jobson Santos- Levítico 16
Os serviços do  santuário do povo de Israel eram muito impressivos e representavam verdades solenes.

O  santuário possuía dois compartimentos: o santo e o santíssimo. Diariamente os sacerdotes entravam no lugar santo para suplicarem perdão para o povo. Apenas uma vez por ano, no dia da expiação, o sumo sacerdote recebia permissão para entrar no santíssimo, a fim de realizar a purificação do povo e do santuário.

“Este é um decreto perpétuo para vocês: No décimo dia do sétimo mês vocês se humilharão [devem jejuar] e não poderão realizar trabalho algum, nem o natural da terra, nem o estrangeiro residente.  Porquanto nesse dia se fará propiciação por vocês, para purificá-los. Então, perante o Senhor , vocês estarão puros de todos os seus pecados” (Lv 16:29-30).

Cada vez que um Israelita era perdoado o seu pecado era transferido, simbolicamente, para o sacerdote e, através dele, para o altar, o santuário e o Santo dos Santos. O perdão era concedido, mas o registro do pecado permanecia no santuário. Então, uma vez por ano o sumo-sacerdote devia fazer propiciação, ou expiação, ou purificação, a fim de que os registros de pecado fossem apagados.

“ O [sumo] sacerdote... fará propiciação pelo Santo dos Santos, pela Tenda do Encontro, pelo altar, por todos os sacerdotes e por todo o povo da assembleia” (Lv 16:32-33).

O dia da expiação era um dia solene. Através do sumo-sacerdote o povo comparecia diretamente na presença de um Deus santo e recebia a Sua aprovação ou não.

Em seu significado escatológico, o dia da expiação aponta para o momento em que Deus irá realizar o julgamento final. Cada um de nós terá que comparecer perante o tribunal de Deus, através do nosso sumo-sacerdote, para ser aprovado ou rejeitado.

Aqueles que forem aprovados no juízo final terão os seus pecados apagados dos registros celestes. Os que não forem aprovados colherão as consequências de suas escolhas. O mal deixará de existir.

Hoje vivemos o dia da expiação escatológico. Momento de colocar toda a nossa confiança em Jesus o nosso Sumo-Sacerdote e Juiz. Momento de suplicar que Ele nos declare aprovados no juízo. Este é um momento solene, mas feliz, pois indica que a libertação final da presença do mal está perto de acontecer.

Oração: Senhor vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.  (Salmos 139:24) /Jobson Santos/

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Louve a Deus

Louve a Deus mesmo em tempos difíceis
Texto por: Pr. Rodrigo Bertotti

Quando temos nossa vida nas mãos de Deus e temos a certeza que Ele está cuidando de cada detalhe. Podemos confiar que tudo o que acontecer será para o nosso bem. Lembrei-me do texto que Paulo usou em Romanos 8:28: “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu proposito.”.

É verdade que temos lutas a enfrentar nessa vida, e sei que você já deve ter passado por varias, isso se não está passando por uma agora. Mas saiba que tudo pode ser revertido em bênçãos. Deus consegue transformar problemas em bênçãos para nós. Você precisa confiar nisso enquanto está passando pelas tristezas da vida.

E sei que no momento da dificuldade não vemos saída e não conseguimos pensar em como aquilo pode ser bom pra nós. Mas Deus sabe todas as coisas e é nesse momento que você precisa ter fé que Ele é sábio o suficiente para conduzir a sua vida.

Palavra Eficaz:1 Tessalonicenses 4:16


Meditação Diária
Arcanjo

Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do Arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos Céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. 1 Tessalonicenses 4:16

Na Bíblia Sagrada, a palavra arcanjo nunca vem no plural (arcanjos). Isso nos sugere a idéia de que dessa categoria faz parte apenas um anjo – Miguel. Se assim é, esse Anjo ocupa sozinho essa posição e, sem dúvida, é um Anjo poderosíssimo – o mais poderoso de todos.

Billy Graham afirmou que o “prefixo arch sugere anjo-chefe, principal ou poderoso”. Para ele, Miguel é “o anjo acima de todos os anjos, reconhecido como sendo o primeiro Príncipe do Céu” (Angels, God's Secret Agents, ed. de 1994, p. 55).

A epístola de Judas, no seu capítulo único, verso 9, nos afirma que o Arcanjo Miguel disputou com Satanás o corpo de Moisés que havia sido sepultado pelo Senhor “num vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor”; e que ninguém ficou sabendo o lugar da sua sepultura (Dt 34:6). Mas Deus sabia onde Seu servo estava sepultado e, no momento oportuno, enviou o Arcanjo Miguel para devolver-lhe a vida. Moisés foi levado para o Céu como um exemplar de todos os que morrem e ressuscitarão no último dia, ao som da poderosa voz do mesmo Arcanjo que o ressuscitou.

Diante desse fato e de outras evidências bíblicas, comparando passagem com passagem, a Igreja Adventista aceita a conclusão de que Miguel “é o nosso Senhor Jesus Cristo”, pois somente Ele, o Criador do Universo, poderia devolver a vida a Moisés e a todos os filhos de Deus que morrem. Esse estupendo acontecimento tão aguardado por todos nós se dará quando a voz de Cristo, como o poderoso Arcanjo (1Ts 4:16), se fizer ouvir pela redondeza da Terra, chamando os santos que dormem. “Ele olha para a sepultura dos justos e, levantando as mãos para o Céu, brada: ‘Despertai, despertai, despertai, vós os que dormis no pó, e surgi!’” Um simples anjo criado não teria poder para tanto.

O nome Miguel significa “Quem é como Deus?” Esse personagem poderoso envolve em Si todas as características refletidas na vida do Messias, no Novo Testamento. Ele, agora, é o Príncipe do Céu, nosso grande intercessor!

REFLEXÃO: “Nesse tempo Se levantará Miguel, o grande Príncipe, defensor dos filhos do teu povo” (Dn 12:1). Aguardemos por esse dia! Ele está bem perto. Amém!

 Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

Levítico 15


Reavivados por Sua Palavra- 


Leitura Diária- Levítico 15
Leia ou ouça o capítulo  de  Êxodo clicando em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/lv/15
Comentários do Pastor Jobson Santos- Levítico 15

O capítulo 15 de Levitico trata da impureza dos corpos.

“Quando um homem tiver um fluxo que sai do corpo, o fluxo é impuro. Ele ficará impuro por causa do seu fluxo, quer continue, quer fique retido” (Lv 15:2-3).

O fluxo do corpo pode significar tanto um fluído que se esvai quanto um fluído estancado ou coagulado. Fluxos provenientes de vários tipos de infecções incluem diarreia, descargas uretrais (incluindo a gonorreia) e infecções respiratórias (como um nariz escorrendo).

Nos casos de fluxo do corpo, após o total restabelecimento da saúde a impureza se prolongava por sete dias. Então, no oitavo dia, duas aves deveriam ser oferecidas a Deus, uma pelo pecado e outra em holocausto. A pessoa então voltava a ficar pura.

“Quando um homem se deitar com uma mulher e lhe sair o sêmen, ambos terão que se banhar com água, e estarão impuros até a tarde” (Lv 15:18).

O intercurso sexual e o ciclo mensal não causavam impureza no sentido médico, mas causavam impureza ritual. Nos dois casos, não havia necessidade de se oferecer sacrifícios para a purificação. Após o intercurso sexual bastava lavar-se e esperar até a noite para ficar puro novamente.

Uma mulher menstruada ficava impura pelo tempo em que seu período durasse. Contudo uma mulher com um fluxo de sangue anormal de longa duração, após sarar necessitava oferecer sacrifícios (Lv 15:25-30).

Seja qual fosse a natureza da impureza, todo aquele que entrasse em contato com pessoas ou coisas impuras purificar-se-ia por meio de banhos, lavando ao mesmo tempo os vestidos, mas ficava “imundo” apenas até à tarde (v. 22).

“Mantenham os israelitas separados das coisas que os tornam impuros, para que não morram por contaminar com sua impureza o meu tabernáculo, que está entre eles” (v. 31).

As leis a respeito da higiene e pureza ritual serviam pelo menos a dois propósitos: (1) distinguiam os Israelitas dos outros povos como santos, separados para um Deus santo. (2) Com bem menos tratamentos médicos disponíveis estas leis a respeito dos banhos rituais e do isolamento preveniam que doenças infecciosas se espalhassem. A santidade pessoal tinha portanto um valor espiritual e prático.

Senhor, dá-me saúde e pureza a fim de que possa Te adorar como Tu mereces./Jobson Santos/

domingo, 29 de julho de 2012

Palavra Eficaz:Hebreus 1:14


Meditação Diária
Anjos

Ainda, quanto aos anjos, diz: [...] Não são todos eles espíritos ministradores enviados para serviço, a favor dos que hão de herdar a salvação? Hebreus 1:14

A partir de hoje, vamos conhecer melhor algumas das categorias de anjos, suas atribuições, títulos que lhes foram dados e seus significados, e a diferença entre eles no grande contingente angelical.

Essa grande e absoluta maioria anônima de anjos, “anjos magníficos em poder”, fazem parte das milícias celestiais.

São como soldados da linha de frente que executam ordens superiores, tanto de Deus como dos anjos mais categorizados. São os exércitos do Senhor.

De acordo com João, o autor do livro do Apocalipse, o seu número é de “milhões de milhões” (Ap 5:11). São os anjos da guarda e, como tais, podem se apresentar, dependendo da situação, como anjos guerreiros, anjos mensageiros, anjos guias, anjos guardadores, anjos protetores, anjos libertadores, etc.

Os anjos dessa imensa categoria são bastante ativos e estão num constante vaivém entre o Céu e a Terra, obedecendo à voz da palavra de Deus (Sl 103:20, 21). Eles foram criados para servir diante do trono de Deus e para cumprir missões específicas em Seu grandioso Universo.

...“Esses anjos de luz criam uma atmosfera celestial, erguendo-nos para o invisível e eterno [...] Repetidas vezes têm anjos falado com homens, do mesmo modo como um homem fala com seu amigo, e os têm levado para lugares livres de perigo” (Atos dos Apóstolos, p. 153).

Em face de tantas evidências, “precisamos conhecer melhor do que conhecemos a missão dos anjos [...] Exércitos invisíveis, de luz e poder, auxiliam os mansos e humildes que crêem nas promessas de Deus e as reclamam. Querubins, serafins e anjos magníficos em poder, estão à destra de Deus, sendo ‘todos eles espíritos ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação’ [Hb 1:14]” (ibid., p. 154).

Os anjos estão sempre desejosos de fazer tudo por nós, desde que não lhes resistamos. Devemos aceitá-los como nossos amigos e pedir a Deus que eles sempre nos protejam. A atuação dos anjos junto aos filhos de Deus é demonstração do amor divino e, também, a maneira de Deus animar e alentar o peregrino prostrado na sua caminhada rumo ao lar celestial.

REFLEXÃO: “Bendizei ao Senhor, todos os Seus anjos, valorosos em poder, que executais as Suas ordens, e Lhe obedeceis à palavra” (Sl 103:20).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

Levítico 14


Reavivados por Sua Palavra- 


Leitura Diária- Levítico 14
Leia ou ouça o capítulo  de  Êxodo clicando em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/lv/14
Comentários do Pastor Jobson Santos- Levítico 14
No acampamento de Israel grande cuidado era tido com as doenças.

Se uma pessoa havia contraído lepra ou outra doença de pele infecciosa e depois sarou somente poderia entrar novamente no acampamento após ser inspecionada pelo sacerdote e declarada limpa.

“Esta é a regulamentação acerca da purificação de um leproso: Ele será levado ao sacerdote, que sairá do acampamento e o examinará” (Lv 14:2-3).

O sacerdote devia sair do acampamento a fim de verificar se o doente havia sarado. Isso protegia o povo de ser contaminado.

E para declarar que a pessoa estava curada uma cerimonia pública significativa devia ser conduzida pelo sacerdote.

Nenhuma destas cerimônias tinha um caráter mágico ou de curandeirismo nelas. Eram apenas cerimonias que atestavam publicamente que a pessoa estava curada graças a intervenção divina. Isto é significativo, pois o sacerdote era um representante de Deus que trabalhava em prol da saúde da comunidade e não um operador de milagres.

Quando um tipo pernicioso de mofo era percebido na parede de alguma casa o sacerdote devia ser chamado e se o mofo fosse diagnosticado como perigoso as pedras e o material ao redor devia ser retirado e enterrado num local impuro fora do acampamento. Além disso todo o reboco da casa devia ser retirado e substituido por outro.

“Mas, se o sacerdote for examiná-la e as manchas não se houverem espalhado depois de rebocada a casa, declarará pura a casa, pois as manchas de mofo desapareceram” (Lv 14:48). No entanto, se o o mofo voltasse toda a casa devia ser destruída e levada para o local impuro.

Nota-se que grande cuidade era tido para que o povo vivesse num ambiente saudável.

Hoje também Deus deseja que tenhamos o máximo cuidado para não contaminarmos nossos acampamentos com aquilo que é impuro não somente em termos de saúde física, mas também de integridade moral e espiritual.

Não apenas doenças de pele podem prejudicar uma comunidade. Existem pecados e vícios que se tolerados, terão um impacto deletério sobre o grupo social. Cabe aos lideres estabelecidos a responsabilidade de manter o acampamento limpo.

Espírito de Deus, ajuda-me a libertar-me de tudo que é impuro e prejudica meu corpo e mente./Jobson Santos/

sábado, 28 de julho de 2012

Perdão


Desculpem o transtorno, estamos em construção


Durante a nossa vida causamos transtornos na vida de muitas pessoas, porque somos imperfeitos.

Nas esquinas da vida, pronunciamos palavras inadequadas, falamos sem necessidade, incomodamos.

Nas relações mais próximas, agredimos sem intenção ou intencionalmente. Mas agredimos.

Não respeitamos o tempo do outro, a história do outro. Parece que o mundo gira em torno dos nossos desejos e o outro é apenas um detalhe. E, assim, vamos causando transtornos.

Esses transtornos tantos mostram que não estamos prontos, mas em construção. Tijolo a tijolo, o templo da nossa história vai ganhando forma.

O outro também está em construção e também causa transtornos. E, às vezes, um tijolo cai e nos machuca. Outras vezes, é o cal ou o cimento que suja nosso rosto. E quando não é um, é outro. E o tempo todo nós temos que nos limpar e cuidar das feridas, assim como os outros que convivem conosco também têm de fazer.

Os erros dos outros, os meus erros. Os meus erros, os erros dos outros.

Esta é uma conclusão essencial: todas as pessoas erram. A partir dessa conclusão, chegamos a uma necessidade humana e cristã: o perdão.

Perdoar é cuidar das feridas e sujeiras. É compreender que os transtornos são muitas vezes involuntários. Que os erros dos outros são semelhantes aos meus erros e que, como caminhantes de uma jornada, é preciso olhar adiante. Se nos preocupamos com o que passou, com a poeira, com o tijolo caído, o horizonte deixará de ser contemplado. E será um desperdício.

O convite que faço é que você experimente a beleza do perdão. É um banho na alma! Deixa leve! Se eu errei, se eu o magoei, se eu o julguei mal, desculpe-me por todos esses transtornos… Estou em construção!
Gabriel Chalita

Palavra Eficaz:Salmo 91:11



Meditação Diária
A Proteção dos Anjos

O Senhor dará instruções especiais aos Seus anjos para te protegerem em qualquer lugar onde fores. Salmo 91:11, BV

A atuação dos anjos bons aqui na Terra garante aos filhos de Deus segurança e proteção. É a maneira como Deus Se serve para animar, alentar e fortalecer os peregrinos na sua caminhada rumo ao Lar.

Os anjos são seres celestiais, majestosos, envoltos em luz, magníficos em poder e autoridade, enviados por Deus à Terra para auxiliar, servir e proteger as pessoas. Dedicam especial atenção às crianças por serem elas mais vulneráveis e indefesas.

Só por esse cuidado tão terno, compassivo e amoroso, dispensado aos seus filhos, livrando-os não poucas vezes de situações adversas e perigosas, sem mesmo o saberem, os pais deveriam ser muito gratos a esses invisíveis seres extraterrestres.

Qualquer pai ou mãe jamais deveria deixar de pedir a Deus que guarde seus filhos, particularmente os pequenos, especialmente num tempo de tantos perigos, de violência contra crianças, seqüestros e desaparecimento de menores indefesos. Mas não se esqueçam de seus filhos já adultos ao saírem para o trabalho, para as universidades, para um passeio ou uma viagem. Eles também precisam de suas orações e proteção. Pais, confiem humildemente no anjo da guarda de seus filhos.

 “Antes de sair de casa para o trabalho, toda a família deve ser reunida; e o pai, ou a mãe na ausência dele, deve rogar fervorosamente a Deus que os guarde durante o dia [...] Anjos ministradores hão de guardar as crianças assim consagradas a Deus” (Orientação da Criança, p. 519).

Oremos: “Senhor, peço-Te em favor de todas as crianças: das pobres e das ricas, das que têm um lar e das que não o têm, das que vivem nas ruas e das que têm uma casa onde morar, das órfãs e das que têm pais, das famintas e das que têm abundância de alimento, das negras, das brancas, das de todas as raças e origens, das excepcionais que, em muitas coisas dependem de adultos amorosos e compreensivos; enfim, das tantas e tantas outras que necessitam de amor, carinho e educação.” Todas são vulneráveis e presas fáceis da maldade, dos traficantes de drogas, dos mercadores do sexo e dos aproveitadores da sua inocência. Meu Deus, dá ordens aos Teus anjos a respeito delas. Amém!

REFLEXÃO: “O Senhor [...] enviará contigo o Seu anjo e levará a bom termo a tua jornada” (Gn 24:40).

Escrito por Wilson Sarli
Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

Levítico 13

Reavivados por Sua Palavra- 
Leitura Diária- Levítico 13
Leia ou ouça o capítulo  de  Êxodo clicando em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/lv/13
Comentários do Pastor Jobson Santos- Levítico 13
Os sacerdotes de Israel, além de dirigirem atividades no culto, zelavam também pela saúde da comunidade.

“Disse o Senhor a Moisés e a Arão: Quando alguém tiver um inchaço, uma erupção ou uma mancha brilhante na pele que possa ser uma doença de pele contagiosa, será levado ao sacerdote Arão ou a um dos seus filhos que seja sacerdote” (Lv 13:1-2, NIV).

Se a doença de pele fosse superficial o sacerdote podia colocar o indivíduo em isolamento por sete dias então declará-lo limpo. Se, contudo, a doença de pele fosse grave a pessoa devia ser declarada imunda.

Quem ficar leproso, ou “tiver uma doença de pele contagiosa, usará roupas rasgadas, andará descabelado, cobrirá a parte inferior do rosto e gritará: ‘Impuro! Impuro!’ Enquanto tiver a doença, estará impuro. Viverá separado, fora do acampamento” (Lv 13:45-46, NIV).

Esta era uma notícia terrível para o indivíduo com graves consequencias para a sua vida social e familiar, pois teria que passar a morar fora do acampamento.

Embora austera, essa lei protegia o povo de epidemias. Esse é um exemplo de colocar o bem estar coletivo acima do bem estar pessoal. Em nossos dias não estamos acostumados a isso. Achamos que nosso gosto pessoal sempre deve prevalecer. Mas em termos de saúde pública as autoridades médicas precisam ter a palavra final, sob o risco de graves epidemias irromperem.

Nos dias de Israel a responsabilidade pela saúde pública era confiada aos sacerdotes. Em nossos dias diversos profissionais se revezam a fim de cumprirem essa tarefa. Entre outros, podemos citar os médicos e os profissionais de saúde de modo geral. Somam-se a eles engenheiros civis, administradores públicos e também juízes. Estes profissionais realizam uma nobre atividade.

Como sacerdotes modernos de Deus faremos bem em exercer algumas dessas funções outrora exercidas por Arão e seus filhos. Devemos também apoiar os profissionais que contribuem direta ou indiretamente para a saúde pública. Afinal de contas, a saúde e o bem estar pessoal dependem, em grande medida, do bem estar da coletividade./
Jobson Santos/

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Graça e Paz


Graça, paz, fé, amor e esperança 

1 Tessalonicenses 1:1-3
1-Paulo, e Silvano, e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses em Deus, o Pai, e no Senhor Jesus Cristo: Graça e paz tenhais de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.
2-Sempre damos graças a Deus por vós todos, fazendo menção de vós em nossas orações,
3-Lembrando-nos sem cessar da obra da vossa , do trabalho do amor, e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai, 


Os três primeiros versos de 1 Tessalonicenses apresentam cinco das palavras favoritas de Paulo: graça, paz, fé, amor e esperança. Paulo se refere a cada uma dessas palavras repetidas vezes em suas cartas. Pelo fato de que elas eram fundamentais para sua compreensão do evangelho, devemos considerá-las brevemente.

Graça: O entendimento de Paulo da palavra graça está enraizado no uso dessa palavra nas Escrituras Hebraicas. A palavra se originou em um verbo hebraico que significa literalmente "curvar-se". Ela transmite a ideia de alguém se curvando para ajudar uma pessoa caída a se levantar, quando ela não consegue fazer isso sozinha. A partir desse conceito, a palavra graça passou a significar o ato de estender favor ou bondade a outra pessoa e, muitas vezes, a alguém que não merecesse. No Antigo Testamento, como nas cartas de Paulo, Deus é normalmente descrito como Aquele que estende graça.

Paz: Para Paulo, paz não se refere à tranquilidade semelhante à de um prado silencioso. O conceito que Paulo tinha dessa palavra igualmente vem da forma como ela era usada nas Escrituras Hebraicas. No Antigo Testamento, a palavra para a paz é shalom, que tem um conceito muito positivo e significa estar completo, estar inteiro, prosperar e ter saúde. Esta paz só pode ser encontrada em Deus, que a dá como um dom ao Seu povo (Sl 85:8; 1Cr 22:9, 10; Nm 6:24-26).

Fé: Para Paulo, a fé verdadeira é muito mais do que apenas conhecimento intelectual, mas se manifesta em ação (Gl 5:5, 6). A fé é sempre uma resposta ao que Deus já fez por nós.

Esperança: A esperança que Paulo menciona não é ilusão. É uma confiante expectativa na volta de Jesus (1Ts 1:10). Essa esperança foi a fonte da paciência e firmeza que encorajou os cristãos tessalonicenses a ser fiéis em tempo de perseguição.

Amor: O amor manifestado pelos crentes de Tessalônica não era apenas um sentimento afetuoso e emocional. Paulo diz que seu amor era forte e atuante. Esse tipo de amor não é natural aos seres humanos. A palavra em grego é ágape. Antes que os cristãos começassem a usar essa palavra, raramente ela foi usada na língua grega. Os cristãos a usavam para se referir a um amor não enraizado na atração externa nem na satisfação própria, mas o tipo de amor altruísta visto na vida de Jesus.

Graça, paz, fé,amor, esperança   estejam sempre presentes na sua vida.

Adaptado dos Comentários da  Lição 4 - da Escola Sabatina 3º Trimestre de 2012,

Palavra Eficaz:Mateus 16:18


Meditação Diária
O Significado Cristão do Vocábulo Igreja

Sobre esta pedra edificarei a Minha igreja. Mateus 16:18

A palavra igreja é de origem grega e não existe no Antigo Testamento. Esse vocábulo é uma tradução do termo grego eclésia que significa “os chamados de fora”, ou uma reunião de pessoas com fins políticos, sociais ou até mesmo religiosos.

Já que esse termo e suas finalidades eram bem familiares aos Seus discípulos, Jesus aproveitou-o, dando-lhe novo significado quando afirmou: “Edificarei a Minha igreja” (eclésia). Com isso, Ele queria dizer mais ou menos assim: “já que os judeus têm sua assembléia; e os gregos a sua, Eu também vou edificar a Minha assembléia”, isto é, a Minha eclésia (igreja). 
Mas que esse novo significado era essencialmente espiritual porque daquele momento em diante, para os cristãos, a igreja não seria simplesmente um encontro de pessoas com finalidades seculares, e sim, uma assembléia de pessoas redimidas por Jesus Cristo.

Desse momento em diante, a igreja, com esse novo significado dado por Cristo, passou a ser uma comunidade separada de crentes com o fim de demonstrar amor e lealdade de uns para com os outros e de todos para com Cristo.

A palavra igreja é usada no texto bíblico pelo menos em dois sentidos: em sentido geral, aplica-se ao corpo místico de Cristo, a igreja em todo o mundo; e, em sentido local, à igreja de uma cidade ou região. Já nos primeiros tempos da igreja cristã, eram mencionadas as igrejas locais: a igreja de Roma, a igreja de Corinto, a igreja de Éfeso e outras mais. Mas, também temos referências às igrejas de uma região: as igrejas da Galácia, as igrejas da Ásia, etc.

Deus estabeleceu Sua igreja com ordem, para facilitar a administração local e a evangelização dos povos. Os apóstolos colocaram em prática os critérios divinos, organizando igrejas entre os povos que eram evangelizados na Ásia e Europa.

Deus os abençoou com grandes resultados e crescimento. Eles cumpriram a missão que o Senhor lhes confiou e os frutos se espalharam na forma de milhares de igrejas em todo o mundo, inclusive a igreja local da qual fazemos parte. É a soma de todas as igrejas de todos os lugares e tempos que forma a igreja geral, o corpo de Cristo.

Amemos nossa igreja, pois ela faz parte dos planos de Deus para a salvação da humanidade.

REFLEXÃO: Portanto, “quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Ap 2:29).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

Levítico 12


Reavivados por Sua Palavra- 


Leitura Diária- Levítico 12
Leia ou ouça o capítulo  de  Êxodo clicando em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/lv/12
Comentários do Pastor Jobson Santos- Levítico 12

O capítulo 12 de Levítico nos informa que uma mulher que dá a luz torna-se cerimonialmente “impura” e necessita trazer um sacrifício a fim de ser purificada.

A mulher que dá a luz a um filho do sexo masculino fica cerimonialmente impura por uma semana e precisa esperar 33 dias antes que possa ser purificada de seu sangramento. A mulher que dá a luz uma filha do sexo feminino fica impura por duas semanas e precisa esperar por 66 dias. No oitavo dia o filho homem deve ser circuncidado.

O tempo indicado de impureza cerimonial não deve ser considerado como uma atitude negativa da parte de Deus para com o ato de dar a luz. Deus mesmo ordenou que os casais fossem frutíferos (Gn 1:28) e a mulher com muitos filhos é considerada abençoada (Salmo 128:3).

“Quando se completarem os dias da sua purificação pelo nascimento de um menino ou de uma menina, ela trará ao sacerdote, à entrada da Tenda do Encontro, um cordeiro de um ano para o holocausto e um pombinho ou uma rolinha como oferta pelo pecado” (Lv 12:6)

Alguns entendem que a chave para a compreensão desta cerimônia está ligada a ideia do pecado original. A despeito do nascimento de uma nova criança ser algo maravilhoso, Deus queria que fosse lembrado que em cada nascimento um novo pecador chega ao mundo.

O período da impureza cerimonial também permitia a nova mãe ter um tempo de descanso e reclusão muito benéficos para ela e para o bebê.

O período mais longo de impureza cerimonial após o nascimento de uma menina não deve ser considerado como uma penalidade. Qualquer que seja o motivo, sabemos que há um propósito belo por trás dessa orientação divina.

A compreensão de que cada ser humano que vem ao mundo é pecador e necessita de um salvador é teologicamente correta. E a possibilidade da mãe se abster de outros trabalhos a fim de estar com a criança recém-nascida é recomendado do ponto de vista da saúde física e emocional tanto para a mãe como para a criança.

Feliz é a pessoa que vê por traz das leis da Bíblia um Deus amoroso que quer nos proteger, abençoar e salvar./
Jobson Santos/

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Palavra Eficaz:Salmo 133:1


Meditação Diária
Unidade Entre os Crentes

Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos! Salmo 133:1

A igreja de Deus é um corpo composto de muitos membros e, individualmente, somos os membros que formam esse corpo, o “corpo de Cristo”, a igreja (1Co 12:27). Isso nos traz à lembrança a descrição figurativa que o apóstolo Paulo faz em Efésios 4:16. Esse conceito de Paulo sugere a união e o ajustamento “de toda junta” e partes formando uma unidade harmônica a fim de que, como no corpo humano, tudo, na igreja, funcione com eficiência e suavemente.

Cada membro tem sua função, todos, porém, contribuem para a unidade de propósitos. Em Efésios 4:16, Paulo sugere que pés, mãos e cabeça são todos órgãos solidários e indispensáveis para o funcionamento harmonioso do corpo humano. O mesmo deve acontecer com a igreja, o corpo de Cristo.

É verdade que o pé pode tropeçar e causar queda e algum dano ao nosso corpo físico. O mesmo pode acontecer quando um membro da igreja se desvia do caminho e tropeça em alguma das normas da Lei de Deus, afundando-se no abismo do pecado, da vergonha e do opróbrio, causando mal-estar a todos os membros do corpo, a igreja.

Disso podemos tirar uma grande lição. Se o pé tropeçou, talvez seja porque os olhos não o alertaram do perigo. Isso mostra que, em certo sentido, todos somos responsáveis pelo bem espiritual de todos. Será que, em alguma ocasião, quem sabe se por mau exemplo, não temos servido de pedra de tropeço para que um de nossos irmãos desanime na fé?

Por outro lado, quando o pé se machuca, o coração parece sentir a dor, os olhos choram e os demais órgãos do corpo se ressentem. Da mesma forma, se todos sofremos pela queda de um irmão é porque, de algum modo, todos nos sentimos solidariamente responsáveis. Sendo assim, todos temos que trabalhar pela unidade orgânica da igreja, por sua integridade e bem-estar, cada qual fazendo o que lhe compete para o bem comum, porque um só não pode prover tudo.

“A unidade da igreja é a prova convincente de que Deus enviou Jesus ao mundo para o salvar” (Testemunhos Seletos, v. 2, p. 263). Aleluia!

REFLEXÃO: “Todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor” (Ef 4:16).
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

Levitico 11

Reavivados por Sua Palavra- 


Leitura Diária- Levítico 11
Leia ou ouça o capítulo  de  Êxodo clicando em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/lv/11
Comentários do Pastor Jobson Santos- Levítico 11

O conhecimento acerca dos animais puros e impuros vem desde os tempos anteriores ao dilúvio. Tanto que na arca de Noé entraram sete casais de animais puros e um casal de impuros. Agora, na escola do deserto, Deus considerou importante repetir essas instruções.

“Vocês devem fazer separação entre o impuro e o puro, entre os animais que podem ser comidos e os que não podem. Lv 11:47, NIV”

Entre os animais que não deveriam ser comidos está o porco. “E o porco, embora tenha casco fendido e dividido em duas unhas, não rumina; considerem-no impuro. Vocês não comerão a carne desses animais nem tocarão em seus cadáveres; considerem-nos impuros” (Lv 11:7-8). Embora seja um alimento popular em nossos dias, cada vez mais a ciência comprova que a carne do porco é contraproducente em termos de saúde.

Acerca dos animais que se movem rente ao chão é dito: “Se um deles cair dentro de uma vasilha de barro, tudo o que nela houver ficará impuro, e vocês quebrarão a vasilha” (Lv 11:33). Deus estava protegendo o povo de adquirir doenças resultantes pelo contato com ratos e outros animais.

O apelo de Deus para a obediência a estas instruções alimentares veio da seguinte forma. “Eu sou o Senhor, o Deus de vocês; consagrem-se e sejam santos, porque eu sou santo. Não se tornem impuros com qualquer animal que se move rente ao chão. Eu sou o Senhor que os tirou da terra do Egito para ser o seu Deus; por isso, sejam santos, porque eu sou santo” (Lv 11:44-45). Entendemos que a santidade abrange também o que comemos.

Hoje sabemos que a carne de alguns destes animais é deletéria à saúde, pois favorece o desenvolvimento de doenças. Mas Deus não utilizou este argumento. A razão apresentada foi acima de tudo relacional. Como um pai amoroso Deus disse o seguinte: “eu não comeria a carne destes animais. Então se quiserem ser santos como eu, também não comam”.

Deus convidou o povo para obedecer como fruto da gratidão pela libertação do Egito e pelo desejo de agradá-Lo em todas as coisas. Hoje também Ele deseja que obedeçamos pelos mesmos motivos.

Senhor ensina-me a te obedecer por gratidão e amor fruto da confiança na Tua direção./Jobson Santos/

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Palavra Eficaz:Efésios 5:27


Meditação Diária
A Igreja

Para a apresentar a Si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. Efésios 5:27

Naquele sábado, eu deveria fazer o sermão de dedicação de uma linda igreja, um verdadeiro santuário de adoração. Momentos antes, um dos líderes daquela igreja segredou-me: “Pastor, agora, com este belo templo, confortável e atraente, vamos ganhar muitas pessoas para Jesus.” E ele estava sendo bastante sincero em suas palavras.

Concordei com ele, mas acrescentei: “Sabe, tudo isso ajuda, sem dúvida... mas não se esqueça de que não são os tijolos, as pedras, a beleza das cores e os vitrais que atraem pessoas a Cristo, e sim o bom testemunho dos seus membros diante da comunidade.

“A igreja não é templo [...] Não é santuário onde os fiéis se reúnem para cultuar a Deus. Igreja é gente, e não lugar. É assembléia de pecadores perdoados; de incrédulos que se tornaram crentes; de pessoas espiritualmente mortas que são espiritualmente ressuscitadas [...] de soberbos que se fazem humildes; de degradados que voltam ao aprisco.

“Igreja é mistura de raças diferentes, distâncias diferentes, línguas diferentes, cores diferentes, nacionalidades diferentes, culturas diferentes, níveis diferentes, temperamentos diferentes. A única não diferença na igreja é a fé em Jesus Cristo”. Quem menospreza a igreja ofende a Cristo que é o Seu esposo (Revista Ultimato, março e abril de 2002, adaptado).

A igreja é a família de Deus na Terra, composta de filhos adotados (Rm 8:15, 16) por Sua escolha. E, como tais, somos “concidadãos dos santos” (Ef 2:19), co-herdeiros com Cristo” (Ef 3:6; Rm 8:17) e co-participantes das promessas” (Ef 3:5). Enfim, somos nada mais e nada menos que membros da família de Deus com todos os privilégios de filhos. Nela, ninguém é corpo estranho, ninguém é estrangeiro, ninguém é de fora.

A igreja é conhecida também como: “igreja do Deus Vivo” (1Tm 3:15), “rebanho de Deus” (1Pe 5:2), “igreja de Deus” (1Co 11:22; 1Tm 3:5), “corpo de Cristo” (1Co 12:27), “igreja dos primogênitos” (Hb 12:23), “universal assembléia” (Hb 12:22).

Em nossos dias, a igreja nada mais é que o povo de Deus reunido em amor, com o pensamento centralizado em Cristo e, sob a liderança do Espírito Santo, envolvido na pregação da volta de Jesus.

REFLEXÃO: Na consumação dos séculos, parafraseando Apocalipse 21:3, “Deus habitará conosco. Nós seremos povo de Deus, e Deus mesmo estará conosco”. Deus estará com a Sua igreja para sempre!
Escrito por Wilson Sarli

Coloque seus projetos, suas alegrias, e suas lutas, aos pés Daquele que tudo pode, e descanse na segurança que somente Jesus Cristo pode nos dar.

Levítico 10


Reavivados por Sua Palavra- 


Leitura Diária- Levítico 10
Leia ou ouça o capítulo  de  Êxodo clicando em: http://www.bibliaonline.com.br/acf/lv/10
Comentários do Pastor Jobson Santos- Levítico 10

Deus orientou que o fogo a ser oferecido a Ele no santuário devia ser santo. Dois sacerdotes, no entanto, ofereceram fogo estranho e foram imediatamente fulminados.

“Nadabe e Abiú, filhos de Arão, pegaram cada um o seu incensário, nos quais acenderam fogo, acrescentaram incenso, e trouxeram fogo profano perante o Senhor, sem que tivessem sido autorizados. 2 Então saiu fogo da presença do Senhor e os consumiu. Morreram perante o Senhor” (Lv 10:1, 2).

A punição de Nadabe e Abiú revela o desprazer de Deus para com o fogo estranho – a adoração leviana e auto-suficiente que não provem do Espírito Santo.

Ao longo das Escrituras observamos que Deus julga de maneira exemplar aqueles que são os primeiros a perpetrarem uma má ação, após terem recebido muitos privilégios.

As cidades de Sodoma e Gomorra foram destruídas com fogo pela estilo de vida que haviam adotado. Ananias e Safira foram mortos pelo Senhor por terem mentido a respeito do valor de venda de um campo prometido para a obra do Senhor. No entanto, outras cidades perversas e outras pessoas mentirosas não foram destruídas assim tão exemplarmente.

O procedimento de Deus é educativo. Uma árvore é mais moldável em seus primeiros anos, uma criança é mais influenciável que um adulto. Se a nação aprendesse a amar e obedecer a Deus em seus primórdios seria poupada de grandes sofrimentos no futuro.

Nadabe e Abiú ofereceram fogo extranho provavelmente por estarem embriagados. Tanto que o Senhor fez questão de enfatizar a Arão: “Você e seus filhos não devem beber vinho nem outra bebida fermentada antes de entrar na Tenda do Encontro, senão vocês morrerão. É um decreto perpétuo para as suas gerações. Vocês têm que fazer separação entre o santo e o profano, entre o puro e o impuro, e ensinar aos israelitas todos os decretos que o Senhor lhes deu por meio de Moisés“ (Lv 10:9, 10).

Os modernos sacerdotes de Deus precisam eliminar de seu cardápio alimentos que anuviem a mente. Somente assim terão condições de adorar a Deus adequadamente.

Deus é santo. Ele quer que o adoremos em completa submissão ao Espírito Santo. /por Jobson Santos/

terça-feira, 24 de julho de 2012

Recadinhos do Criador


Dez lembretes acerca da paz de Deus

1 – Deus nos dá paz e força. “O Senhor dá força ao Seu povo; o Senhor dá a Seu povo a bênção da paz” (Salmo 29:11).
2 – O Senhor luta por nós para nos dar a paz. “O Senhor lutará por vocês; tão-somente acalmem-se” (Êxodo 14:14).
3 – A humildade produz a paz. “Mas os mansos herdarão a terra e se deleitarão na abundância de paz” (Salmo 37:11).
4 – A obediência produz a paz. “Se tão-somente você tivesse prestado atenção às minhas ordens, sua paz seria como um rio…” (Isaías 48:18).
5 – A fé produz paz. “Jesus disse à mulher: “Sua fé a salvou; vá em paz” (Lucas 7:50).
6 – Jesus dá-nos paz. “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbe o seu coração, nem tenham medo” (João 14:27).
7 – A vida no Espírito produz paz. “A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz” (Romanos 8:6).
8 – Andar no caminho de Deus produz paz. “O fruto da justiça será paz; o resultado da justiça será tranquilidade e confiança para sempre” (Isaías 32:17).
9 – Amar as leis de Deus produz paz e proteção. “Os que amam a Tua lei desfrutam paz, e nada há que os faça tropeçar” (Salmo 119:165).
10 – Quem se esforça para viver em paz com os outros recebe a paz de Deus. “Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14).
Textos bíblicos na Nova Versão Internacional
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...